domingo, 13 de janeiro de 2013

A Rede Globo e o "Morde e Assopra" Com os Evangélicos

Já há muito tempo que a Rede Globo de Televisão não dá a mínima importância para os cristãos, principalmente, evangélicos. Recentemente resolveu promover os shows de música gospel contratando alguns cantores evangélicos para estrelarem o que chamou de Festival Promessas.

Os favoráveis dizem que é uma forma de evangelização e que é sinal de que a Rede Globo está se curvando ao evangelho do Senhor Jesus. Os contrários enxergam uma jogada de marketing, em razão da forte presença evangélica no Brasil e a queda dos níveis de audiência da emissora ao longo dos anos.

Com o crescimento da população evangélica no Brasil ocorreu uma mudança importante na audiência da programação televisiva brasileira. Diferente de outros segmentos religiosos, os evangélicos são mais criteriosos com relação ao que é oferecido.

A emissora alega ser laica, no entanto, apresenta assuntos religiosos sem levar em consideração o posicionamento cristão. Aliás, ela ressalta as religiões de matizes místicas e africanas como bons e os evangélicos sempre são pixados como retrógrados, hipócritas, fundamentalistas, mercenários, homofóbicos e coisas do gênero. Desta forma, ela não é laica, é tendenciosa.

Os evangélicos não tem interesse em fazer parte do espetáculo. O que queremos é ser respeitados como todos os segmentos sociais devem sê-lo.

A Rede Globo de Televisão é uma empresa particular, detentora de autorização governamental para exploração de mídias. Desta forma, ela tem todo direito de fazer o que quiser, inclusive, pagar artistas gospel para atuarem em seus programas. No entanto, duas observações são necessárias:

1. Se os evangélicos não gostam da programação da Globo e da forma como são debatidos alguns assuntos que lhe dizem respeito, tem todo direito de mudar de canal e estimular outros a fazerem o mesmo.

2. Como cidadãos, os cantores evangélicos tem todo direito de participarem dos shows patrocinados pela referida emissora e ganharem para isto. Porém, como cristãos, tem o dever missionário de unir-se aos demais integrantes do Corpo de Cristo na proclamação do evangelho, manifestando com sabedoria a vontade de Deus para esta nação.

A Globo oferece. Nós, como consumidores, temos todo direito de rejeitar e/ou criticar. É a lei de mercado.

Nenhum comentário: