quarta-feira, 30 de abril de 2014

Esses Nossos Dias

Se você...

  • Não é fã de atores, atrizes, jogadores de futebol, cantores, pastores e apóstolos;
  • Não gosta de funk, axé e reteté;
  • Não torce para o Bahia, Vitória, outro time qualquer, ou para Seleção Brasileira de Futebol;
  • Não é narcisista, nem gosta de narcisismo, e tem conta no face;
  • Está satisfeito com seu corpo;
  • Não gosta de cigarro e cerveja;
  • Não segue o engano dos políticos e falsos profetas que por aí estão;
  • Se empenha em chegar no horário quando tem um compromisso;
  • Respeita o direito de opinião dos outros e deseja que respeitem as suas;
  • Não busca, orgulhosamente, um cargo maior;
  • Não sai da fila no banco ou supermercado, deixando o lugar onde estava "marcado";
  • Respeita as normas de trânsito. Não ultrapassa pela direita, não faz fila dupla, nem estaciona na calçada ou na vaga para deficiente físico e idosos;
  • Se esforça para pagar suas contas em dia;
  • Não frauda o INSS, o FGTS, o PROUNI, o FIES;
  • Não faz "gato" de energia elétrica, nem de tv a cabo;
  • Não coloca dados mentirosos no Imposto de Renda, nem no pedido de inscrição em alguma "bolsa" governamental;
  • Só estaciona seu carro na vaga disponível para você;
  • Respeita o direito dos vizinhos ao silêncio;
  • Não compra produto pirata;
  • Não obstrui passeio ou qualquer outro espaço público com miudezas;
  • Não conduz seus pensamentos subjugado ao "politicamente correto da vez";
  • Se esforça em ser um cristão "autêntico";
  • Não precisa de chefe para cumprir com suas obrigações profissionais;
  • ...



E quer apenas que respeitem seus direitos. Sinto muito. Você está vivendo
num tempo errado.



“De tanto ver crescer a INJUSTIÇA, de tanto ver agigantar-se o poder nas mãos dos MAUS, o homem chega a RIR-SE da honra, DESANIMAR-SE de justiça e TER VERGONHA de ser honesto” (Rui Barbosa).

Discurso de Dilma Rousseff em Camaçari/BA - Samba de Maluco.

"Tenho certeza que o governador ..., com o apoio do seu secretário..., deixam um legado para o povo baiano de imensa qualidade. Desde obra de mobilidade urbana, como a solução do Largo do Abacaxi, da via do abacaxi, da rota do abacaxi. Que virou, segundo eles, quando fui inaugurar a rota, uma rota, uma rótula diferente. A rótula do quiabo. Isso aí, o abacaxi planta, o quiabo flui", tentou a petista desfazer a falha, após diversos presentes no palanque oficial soprar para a presidente.
 
Fonte: Bocão News

sábado, 26 de abril de 2014

O Cristão e o Mundo do Entretenimento

Entretenimento tem a ver com distração. "Distração é um relaxamento que acomoda." A ideia é fazer com que percamos a tensão ou abandonemos a rigidez necessária para encararmos as lutas da vida e resolvermos nossos problemas reais. O entretenimento é, sempre, um espetáculo sem qualquer importância que preenche teu tempo de tal forma que você fica sem tempo para coisas importantes.


Eis aí a Copa do Mundo no Brasil. Serão, aproximadamente, quarenta e cinco dias em que só pensaremos nisso. E o que é isso?


Futebol é uma brincadeira de criança. Brincadeira saudável que estimula o exercício físico e, por consequência, a saúde física e mental (quando desfrutado por crianças ou "como" crianças). A despeito dos benefícios de quem o pratica, em nosso tempo, o futebol profissional se tornou um grande negócio. Explorado pelos adultos, ele é, por um lado, um forte instrumento de distração, e por outro, um jogo de interesse que visa apenas dinheiro. Nesse sentido, o futebol se tornou um produto cujos donos o expõe como atividade de "grande importância", colocando-o, inclusive, acima dos verdadeiros interesses das nações.


O torneio de futebol chamado "Copa do Mundo" visa, única e exclusivamente, oferecer às pessoas de um determinado país, durante um período determinado, entretenimento fútil que exige como contraprestação dinheiro. O nosso suado dinheiro. Eles oferecem circo e nós lhes damos o dinheiro que deveria ser utilizado, em primeiro lugar, para sustento nosso e de nossas famílias e, sobrando algum, para ajudar o necessitado.


Há, no exemplo citado acima, o quadro claro do objetivo primordial do entretenimento (Mais uma vez: "Entretenimento é distração. Distração é um relaxamento que acomoda"). Empenhamos energia e tempo numa coisa sem importância real, apenas visual e mental, que nos acomoda no que diz respeito às coisas importantes como "desfrutar, efetivamente, daqueles serviços e bens que melhorem nossa vida real".


Agora me digam (como brasileiros): Torcer por uma equipe de futebol, que a CBF explora com o nome de "Brasil", é realmente torcer pelo Brasil real? Todas as vezes que o time de futebol da CBF ganhou esse tipo de torneio a vida real dos brasileiros melhorou?


Quando a propaganda cessa o que vemos? a realidade nua e crua. Todas as vezes em que a equipe de futebol da CBF foi a campeã, uma após outra, eles (jogadores, técnicos, patrocinadores e cartolas da CBF/FIFA) se deram bem e os demais brasileiros permaneceram na miséria, "desfrutando" dos péssimos serviços públicos sem reclamar. Na miséria... porém, felizes (???) por eles terem sidos os campeões.


Agora voltemos nossos pensamentos para o "ser" cristão no mundo do entretenimento.


Dois exemplos bíblicos para encerrar:


1º - O bezerro de ouro no deserto. "E ele os tomou das suas mãos, e trabalhou o ouro com um buril, e fez dele um bezerro de fundição. Então disseram: Este é teu deus, ó Israel, que te tirou da terra do Egito" (Ex. 32:4). Como a fé do povo estava em Moisés e o líder demorava a retornar para a aldeia, eles precisavam de alguma coisa que os distraíssem. "Algo que preenchesse a ausência de Deus". Receberam de bandeja um bezerro de ouro. Vejam que interessante. Eles passaram a adorar um bezerro como um deus que "os devolviam ao ambiente do Egito". Ou seja, o povo de Deus que deveria avançar tendo em memória a "terra que mana leite e mel", estava regredindo pensando na terra de servidão, "a terra dos bezerros de ouro". Se distraíram do que era importante, e se acomodaram no que era fútil e danoso para eles mesmos.


2º - Cristo na festa judaica do tabernáculo. "E no último dia, o grande dia da festa, Jesus pôs-se em pé, e clamou, dizendo: Se alguém tem sede, venha a mim, e beba" (Jo. 7:37). Jesus estava na festa, mas, sua preocupação era com a sede espiritual do povo. Ele não estava "distraído" com a festa. Ao contrário. Estava na festa para fazê-los "cair" na real. Não precisa dizer mais nada.


Em tempos de Copa do Mundo de Futebol, será que não estamos embarcando na canoa furada do entretenimento? Da distração? Vejam só que diferença. Quando nos distraímos, pensamos na Copa do Mundo como "a chance" do time de futebol do Brasil/CBF ser novamente campeão. Quando NÃO estamos entretidos, distraídos, percebemos "a chance" de fazê-los conhecer a verdade do evangelho, a grande chance de salvação, sua única forma de salvação.


Porque o mundo tem interesse em nos distrair?


Isto se aplica a tantas coisas em evidência no meio cristão... Ah, se tivesse espaço e tempo.

quinta-feira, 17 de abril de 2014

Uso Casual da Maconha Pode Afetar o Cérebro, diz Estudo.

Pesquisadores encontraram diferenças de forma e tamanho em regiões do cérebro ligadas às emoções e à motivação em usuários jovens da droga.
 
O uso esporádico de maconha pode afetar regiões cerebrais relacionadas ao controle das emoções e à motivação. Esta é a conclusão de um novo estudo americano, publicado nesta quarta-feira, no periódico The Journal of Neuroscience. Os resultados sugerem que o uso recreativo da droga pode levar a mudanças cerebrais anteriormente não identificadas e ressaltam a importância da pesquisa voltada para os efeitos no longo prazo para o cérebro do uso baixo ou moderado da droga.
 
A maconha é a droga ilícita mais comum nos Estados Unidos — sua venda para o uso recreativo foi recentemente legalizada em dois estados, Colorado e Washington. As consequências comumente associadas a seu uso são prejuízos para a motivação, atenção, aprendizado e memória. Estudos anteriores, realizados com animais expostos ao tetrahidrocanabinol (THC), principal componente psicoativo da droga, mostraram que o uso contínuo provocava mudanças estruturais em regiões do cérebro envolvidas com essas funções. Pouco se sabe, porém, sobre o efeito do uso moderado, especialmente em adolescentes e jovens.
 
Mudanças no cérebro — No estudo atual, os autores utilizaram ressonância magnética para comparar o cérebro de usuários de 18 a 25 anos que consumiam maconha pelo menos uma vez por semana com o de pessoas com pouco ou nenhum histórico de uso da droga. Embora avaliações psiquiátricas tenham mostrado que os participantes não eram dependentes da droga, as imagens de seu cérebro mostraram diferenças significativas. O núcleo accumbens, região do cérebro ligada ao sistema de recompensa e motivação, estava maior e com formato e estrutura alterados nas pessoas que usavam a droga.
 
Os pesquisadores também compararam tamanho, forma e densidade da amígdala, parte do cérebro que desempenha um papel importante no controle das emoções, de vinte usuários casuais de maconha e vinte pessoas que não faziam uso da droga. No primeiro grupo, os participantes tiveram que estimar o seu consumo nos últimos três meses, incluindo a quantidade de dias em que usaram a droga e a quantidade. Os cientistas concluíram que, quanto mais intenso o uso, maiores as mudanças no cérebro.
 
"Esta pesquisa sugere que até um uso leve a moderado da maconha pode causar mudanças na anatomia do cérebro", diz Carl Lupica, pesquisador do Instituto Nacional de Abuso de Drogas, nos Estados Unidos, que não participou do estudo. "Os resultados são particularmente interessantes porque os estudos anteriores analisavam o uso intenso."
 

sexta-feira, 11 de abril de 2014

Sobre Nosso "Culto à Deus Pelas Famílias"

"Culto Pelas Famílias" é aquela reunião de adoração à Deus, realizada num templo, cuja participação preponderante será de grupos familiares. Nesta reunião, o objetivo é proporcionar às pessoas a oportunidade de, em companhia de seus familiares, prestar adoração à Deus e, a partir da meditação na Bíblia Sagrada, extrair orientações divinas para o desenvolvimento sadio das organizações familiares. Neste caso, a essência da atividade é a adoração e a edificação espiritual familiar.

Num culto pelas famílias deve se ter os mesmos cuidados exigidos no culto de ação de graças, pois, neste, pessoas se reúnem para adorar a Deus e ouvir suas orientações. Sendo assim, os louvores devem ser escolhidos com o cuidado de não inverter a direção das palavras. Uma oração (pela família) direcionada para Deus, um louvor (pela família) destinado à Deus, uma mensagem (para a família) oriunda de Deus.

O que observamos em alguns desses cultos é uma confusa programação estabelecida. Misturamos culto com encontros (de famílias e casais) e perdemos o foco. Declaração de amor (conjugal) invés de testemunhos, cânticos de amor (conjugal) invés de adoração e contos humorísticos invés de orientações com base em princípios divinos (É indiscutível que estas intervenções são mais adequadas em um encontro de famílias ou casais, não num "culto à Deus").

Há algum proveito nisso tudo? Tenho minhas dúvidas. Quanto mais confusa for a programação, mais dificuldades teremos em atingir objetivos. Me coloco no lugar das pessoas que frequentam o templo num culto pelas famílias cristãs e posso perceber a dificuldade em entender o que está acontecendo. Na maioria das vezes podem ser levadas a se verem dentro de uma associação de moradores numa festa social. Efetivamente este não é o objetivo de um "Culto à Deus Pelas Famílias".

O que nos resta é orientar, e orientar, e orientar os responsáveis pela organização dessa atividade tão importante nos dias atuais. Os líderes dos Departamentos de Famílias precisam trabalhar mais e se esforçarem mais na organização dessas reuniões.

Uma boa programação pode conter: uma família para adorar a Deus com um louvor, uma "outra" família para testemunhar uma intervenção divina experimentada em sua casa, e "outra" família para pedir ou fazer uma oração à Deus por outras famílias. É importante destacar que toda a programação deve se desenvolver num "tempo enxuto", que permita a exposição da palavra de Deus num tempo razoável e o término da atividade sem cansar os participantes.

Sei que para esses sacrificados líderes de departamentos de família falta apoio moral e suporte financeiro para fazer mais. No entanto, Deus está interessado em ajudá-los com sabedoria e direção. Aqueles chamados pelo Senhor receberão ajuda indispensável do Espírito Santo que os conduzirá no planejamento dessas reuniões de tal forma que não fugirá do plano maior estabelecido por Deus para as famílias da terra: salvação, preservação e edificação.

quinta-feira, 10 de abril de 2014

As Novas Ditaduras Intelectuais

Por Eliel Teixeira

Um grupo qualquer se reúne e decide: "Não é bom que as crianças cresçam com essa ideia de diferença entre homem e mulher". Como esse grupo faz parte do governo da vez, e estão amparados por alguma resolução da ONU (aquele organismo internacional criado pelas super-potências para domar o mundo, cujos dirigentes não são eleitos pela população mundial), pronto! Está nascendo um princípio sociológico infalível que deverá ser empurrado na garganta da população independentemente da sua opinião.
 
Paga-se meia dúzia de cargos federais, estaduais ou municipais à deputados e senadores, compra-se com propaganda institucional as mídias mais populares, investem no circo (futebol, carnaval, novelas, etc) que entorpece as mentes e pronto. Está armada a armadilha para impor a vontade de "uns poucos" sobre "os muitos".
 
A prevalência é sempre "dos poucos" que estão no poder, que detêm o dinheiro. O nosso dinheiro. No Brasil atual essa é a motriz social. E, então, a sociedade fica "nas mãos" desses anãos intelectuais e anti-democráticos que numa via defende a democracia (na via da propaganda) e, numa outra via impõe ditatorialmente sua vontade a revelia da vontade popular.
 
É dessa forma que a ditadura-gay se impõe no Brasil em detrimento da natural organização social heterossexual no mundo, é dessa forma que a mentira da discriminação racial prevalece no Brasil em detrimento da discriminação social, é dessa forma que a "prevalência feminina" se impõe no Brasil em detrimento do respeito mútuo, é dessa forma que o "politicamente correto" se impõe no Brasil em detrimento da pluralidade de visão e opiniões normais em uma sociedade de cidadãos que têm consciência e capacidade para diferenciar e opinar sobre o certo e o errado.
 
A visão que esses pequenos grupos possuem da sociedade brasileira é a de um bando de animais que precisam de um bridão (instrumento colocado na boca do cavalo para freiá-lo ou fazê-lo mudar de direção). Partem do pressuposto de que a sua visão, e somente a sua visão, é a revelação extraordinária e perfeita do mundo perfeito que se pretende alcançar. São apenas eles os detentores da verdade absoluta sobre tudo e, desta forma, todos devem reconhecê-los e aceitar, por bem ou por mal, seu planejamento e seu modelo organizacional social.
 
E o que temos?
 
Temos uma sociedade em que ninguém pode defender a posição do homem sem que seja tachado de machista, ninguém pode defender a posição heterossexual que se torna homofóbico, ninguém pode defender o respeito aos brancos porque se torna racista, ninguém pode defender a livre opinião que se torna um criminoso. Vejam que maravilha. Ninguém pode atacar esses conceitos pré-estabelecidos porque se torna fascista e um mal a ser calado e destruído.
 
Infelizmente o nível educacional da população brasileira tem permitido que os brasileiros se tornem presas fáceis dessa gente. Se enganam quando imaginam que eles estão realmente interessados numa sociedade melhor. Na verdade, inúmeros desses conceitos nascem por força da necessidade que eles têm de mostrar serviço, justificando assim, sua própria existência e os recursos que exploram.
 
O que precisamos tomar consciência é que, quando a sociedade entrar em convulsão e os conflitos sociais se alastrarem de forma insana, essa turma vai pegar o primeiro avião disponível e irá se refugiar num país sério qualquer. Ninguém se engane. Eles não irão fugir para Coreia do Norte, para Cuba e muito menos para algum país africano.
 
Os modernos ditadores intelectuais não são bobos. Bobos são aqueles que acreditam em suas falácias.

Putin Contra o Sexo dos Anjos

Por Luiz Felipe Pondé
A comunidade europeia, essa reunião de países cheios de gente mimada, anda querendo discutir se é certo tratar uma criança quando é pequena de menino ou menina. O debate, é evidente, é coisa de gente riquinha que acaba levando a sério delírios da chamada teoria de gênero, essa invenção de professores desocupados com problemas de identidade sexual.
De fato, desse jeito, parece que a Europa ocidental acabou mesmo. As escolas europeias, se essa ideia idiota passar, vão virar um antro de "autoritarismo de gênero".
Nesse sentido, Putin talvez esteja fazendo um favor aos europeus, lembrando a eles que existe um mundo de preocupações reais, e não os debates idiotas sobre se meninos são meninos e meninas são meninas ou se tudo isso é uma invenção humana como o "croissant".

Nesse cenário, cabe bem o Obama, que, sendo um presidente pop das redes sociais, deve ter mandado um WhatsApp para o Putin protestando contra a anexação da Crimeia pelos russos, coisa que o russos têm todo o direito de fazer e que a maioria esmagadora da população da Crimeia deseja.
Imagino que Obama, cuja única competência é ser o primeiro presidente negro dos EUA (uma grande coisa, sem dúvida), deve ter posto na sua página do "Face" grandes bravatas dizendo que ia fazer isso e aquilo e colocar o Putin no seu lugar. Na verdade, quem colocou quem aqui no "seu lugar"? O Putin é que colocou a série toda de líderes ocidentais nos seus lugares, porque estes, viciados em discutir como a vida é uma "agência de direitos chiques", enquanto comem queijos e vinhos, se esqueceram de que a vida é o que acontece quando você está ocupado delirando com seus sonhos de Branca de Neve.
Putin é um choque de realidade na sociedade fútil em que se transformou a Europa ocidental, banhada em "direitos" que custam muito caro.
Voltando à discussão sobre o sexo das crianças. Chocante é como muitos psicólogos, contaminados pela ideia de que construímos sujeitos socialmente, se deixam levar por essa bobagem do tamanho de um bonde cheio de bobos. O fato de que existam gays e lésbicas, e que estes tenham, sim, direito de viver como todo mundo, não implica o direito de teóricos autoritários começarem a legislar sobre a sexualidade de um monte de crianças "avant la lettre".
Imagino que, se essa lei pegar, o número de crianças com problemas de identidade no futuro da Europa será enorme; mas tudo bem, porque o Estado de bem-estar social (esse personagem de um conto de fadas) vai garantir terapia para todo mundo. Levar um debate desses a sério beira as raias da pura e simples irresponsabilidade moral.
Voltando à Rússia. Desde, no mínimo, o século 19 (vemos isso, por exemplo, nos debates na imprensa russa, debates esses do qual fez parte gente de peso como Dostoiévski, Turguêniev e Tolstói), a Rússia se vê como uma nação que deve cuidar de si mesma para não se transformar no fantasma de si mesma que virou a Europa, bêbada com o que alguns filósofos e similares inventaram para combater o tédio.
Um amigo meu, discutindo esse projeto de lei estúpido, fez uma bela analogia. Sabemos que Francis Bacon, entre outros (o louquinho do Giordano Bruno também fez essa crítica, mas a usou para seus delírios metafísicos inócuos), criticou duramente o que se convencionou chamar em história da filosofia de "baixa escolástica".
A escolástica foi um tipo de prática filosófica muito comum na Idade Média, que buscava racionalizar todo o conhecimento a partir de enunciados lógicos sistemáticos que supostamente esgotariam a totalidade da realidade, inclusive a metafísica. Grandes figuras desse período, como Tomás de Aquino, foram escolásticos.
A "baixa escolástica" é a marca da decadência da escolástica, que por sua vez representou a decadência da Europa medieval e metafísica pré-científica e burguesa.
Os escolásticos decadentes, para Bacon, discutiam coisas como "quando um homem puxa um burro, é ele quem puxa ou a corda?". Ou: "Teriam os anjos sexo?".
Estamos quase lá: os europeus se preparam para discutir se as crianças têm sexo. A Europa precisa muito de Putin.

terça-feira, 8 de abril de 2014

Como Nação, Não Dá Mais Para Salvar Essa Geração.

Por Eliel Teixeira

Vejam como estamos.

A mídia começa a divulgar que o MMA é um esporte (apesar da violência como objetivo que mata seus próprios lutadores), que a cervejinha com os amigos é deliciosa (apesar de ser amarga e carregada com níveis de álcool que interfere na lucidez), que determinadas modas são "super-modernas" (apesar de apenas vulgarizar o corpo), que a copa do mundo vai gerar mais dividendos para nosso país (apesar de já terem desperdiçado mais de 10 bilhões de reais da nação), que "sub-celebridades" são importantes porque foram expostas num programa Barato, Besta e Bruto (apesar de sua completa inutilidade e de servir apenas para retirar dinheiro da população), e a sociedade brasileira embarca na onda.

Qual a consequência de uma mídia (televisiva, principalmente) com nível moral tão baixo? Uma sociedade desprovida de bom senso, respeito e educação, além de anárquica, insensível e egoísta. Vale destacar que a bancarrota moral da sociedade brasileira se dá com mais intensidade a partir dos anos 60. Década em que a televisão foi se tornando popular.

Neste contexto, não dá para desconectar a Rede Globo de Televisão do papel de principal agente de destruição dos valores morais na sociedade brasileira. Ela tem assumido o papel de principal formadora de opinião neste país e, para isso, compra com exclusividade os maiores eventos de toda natureza. Dessa forma, ela impede uma visão mais plural e a abertura de espaço para que outras posições e opiniões sejam expostas para a população.

Portanto, ela, a Rede Globo de Televisão, é diretamente responsável pelo aumento da gravidez na adolescência e suas consequências, pela destruição da família tradicional e suas consequências, pelo aumento da corrupção e suas consequências, enfim, pela crescente degradação moral, social e espiritual dos brasileiros.

A sociedade brasileira chega a um ponto de deterioração que, numa prova realizada por uma escola pública de Brasília/DF, uma cantora desconhecida chamada Walesca Popozuda, é identificada como "grande pensadora contemporânea" (imagem acima - http://cbn.globoradio.globo.com/editorias/pais/). Qual a sua contribuição para a filosofia, ou para o Brasil? Compôs a música "beijinho no ombro".

Imaginava-se que o poço da ignorância, da superficialidade, da vulgaridade e da inutilidade tivesse fundo. No Brasil, nesses tempos, parece que não tem. Eles sempre nos surpreende com uma idiotice maior.

Será que ainda há tempo para consertar? Confesso meu pessimismo. Os atuais governantes federal, estadual e municipal não nos ajudam a respirar esperança.

Nossa geração perdeu, a geração de nossos filhos e filhas perdeu, e apenas a geração subsequente tem uma chance. Isso se nós, AGORA, começarmos a mudar.

Mudar o critério do tipo de entretenimento que assistimos, não dando ibope a programas e eventos que não nos respeitam, mudar na política, retirando e impedindo que gestores com mentes danificadas pelo modelo socialista falido fiquem no poder; mudar nossas atitudes familiares, rejeitando o abandono e assumindo nosso papel como pais e mães responsáveis pelas vidas dos nossos filhos e filhas, e mudar dentro de nós mesmos, nos impondo um rigoroso cumprimento diário das regras legais e morais de convivência social. Só assim, e somente assim, conseguiremos garantir um futuro melhor para futuras gerações.

Educar Para a Verdade, Não Para a Ideologia de Gênero

Alguns textos encontrados na Internet merecem ser divulgados para que uma maior quantidade de pessoas possam ler. Eis um desses textos, do Dr. Paulo Vasconcelos Jacobina, publicado no site da Gazeta do Povo, que analisa a questão da ideologia de gênero/sexual, que o governo federal deseja implementar (e já implementam por vias oblíquas), através do Plano Nacional de Educação.
 
Boa leitura.
 
"O Brasil vem constantemente amargando os piores lugares em competições internacionais de Ciências e Matemática, muito abaixo das posições alcançadas por países que têm desempenho econômico e carga tributária muito menor que a nossa. O fato de não estar entre os primeiros lugares em tais competições causa crises em países desenvolvidos. Por aqui, nem é notícia.
 
Isso demonstra que o foco principal da nossa educação não está na técnica, na formação científica e profissional. Isto seria justificável se pudéssemos dizer que a nossa educação não se propõe a formar operários e trabalhadores, mas a desenvolver virtudes sociais e pessoais, de modo a construir um povo mais consciente e fraterno.
 
Mas tampouco é assim: recentemente o site da Fifa publicou recomendações para os estrangeiros na Copa do Mundo, como “para os brasileiros, o ‘sim’ nem sempre é sim’”, ou ainda “pontualidade não é um traço cultural no Brasil”; que não há respeito aos pedestres, que o tamanho do veículo define a preferência no trânsito e de que os beijos e a apalpação são costume social. A Fifa fez também um apelo à paciência dos estrangeiros diante do hábito brasileiro de deixar tudo para a última hora com uma frase de apelo lascivo: nas dificuldades, “relaxe e goze”. A página foi retirada do ar, por protestos de brasileiros. Ela repete um caso anterior, de venda de camisetas para estrangeiros sobre a Copa, com um coração verde e amarelo em forma de nádegas e frases como “looking to score in Brazil” (um trocadilho associando o esporte com o sexo).
 
Estes são os destaques sobre nosso povo em sites internacionais. Definitivamente, não acreditamos na possibilidade da educação da libido ou mesmo da convivência. Aliás, nossas escolas estão caindo aos pedaços. Há recursos, porém, para “kits gays” e camisinhas para os estudantes. A atual polêmica versa sobre a introdução da ideologia de gênero no projeto educacional estatal para nossos jovens: o projeto de educar para a sexualidade indiscriminada. Não educamos cientistas e trabalhadores, “lacaios do capitalismo”. Não educamos cidadãos responsáveis, para não sermos “opressores”, como denunciam pensadores da moda, como Foucault, Freud e Lacan. Nada de ciência. Nada de cidadania. Nada de recuperar prédios escolares. Só há recursos e olhos para uma educação de “vanguarda” sexual.
 
A polêmica está na proposta de proibir, no Plano Nacional de Educação, a discriminação em razão da “orientação sexual”. Em nome do respeito a uma suposta “diversidade sexual”, os pais e os educadores serão impedidos de discernir entre condutas responsáveis nas atividades sexuais, como a continência, a fidelidade e a responsabilidade com a prole, e condutas irresponsáveis, por exemplo, as que envolvem a promiscuidade e a satisfação egoísta. A discussão mais forte no Plano Nacional de Educação é uma proposta que declara ilícita a possibilidade de discernir sobre valores e desvalores na sexualidade.
 
Uma professora da “liberdade” sexual declarou que educar sobre a violência não torna ninguém violento, e que educar sobre sexo não torna ninguém devasso. De fato, educar “sobre” a violência constrói bons cidadãos, mas educar “para” a violência gera soldados do crime. Isto se aplica à ideologia de gênero no Plano Nacional de Educação."
 
Paulo Vasconcelos Jacobina é procurador regional da República e mestre em Direito Econômico.

terça-feira, 1 de abril de 2014

Direto ao Ponto: Menina de 13 Anos Recusa Vacina HPV e Manda Recado Para Dilma Roussef




É a ignorância dos que se dizem sábios e desejam preparar as novas gerações de garotas apenas para fazerem sexo que produz este tipo de campanha que nada mais é do que lixo e desperdício de dinheiro público. Até parece que eles estão realmente preocupados com a saúde de nossas filhas. Algum laboratório ganhou muito dinheiro com isso.


Nós, pais de família responsáveis, precisamos estar atentos e discernir o mal. Nem tudo que o governo ou a ONU diz que é bom, é efetivamente bom. Pelo contrário. O que se verifica nos dias atuais é que a maioria das orientações e programas governamentais, tutelados pela ONU, são prejudiciais às famílias.


Parabéns a garota e aos seus Pais. Consciência é isso.

O que for bom, apoiamos. O que for ruim, detonamos!

Mentiras Ditas Aos Brasileiros Sobre a Copa do Mundo 2014

Presidente Dilma e ex-presidente Lula
Dez das mais famosas mentiras envolvendo a Copa do Mundo de 2014, que disseram aos brasileiros, quando queriam enganá-los sobre a realização do maior evento de futebol do mundo - O pior é que alguns brasileiros acreditaram.
 
1) Maioria dos investimentos será privada
 
Antes mesmo de o Brasil ser oficializado como sede do Mundial, em 2007, Ricardo Teixeira repetia em seus raros discursos uma tese: "Uma Copa bem organizada é aquela que tem recursos prioritariamente do setor privado". Quase sete anos depois, o dinheiro público é, de longe, o principal financiador do Mundial.
 
2) O Governo não investirá na construção de estádios
 
O discurso repetido nos primeiros meses após a escolha do Brasil como sede da Copa era de que os Governos não iriam investir na reforma e construção de estádios - a ideia era que os gastos públicos fossem feitos em outras obras de infraestrutura. Hoje, 97% do dinheiro investido nas arenas é governamental.
 
3) As arenas construídas dentro do orçamento
 
Quando os primeiros orçamentos de construção e reformas de estádios para a Copa do Mundo começaram a aparecer, a lista assustava pelos valores altos - o Estádio Nacional, em Brasília, ficaria em torno de R$ 700 milhões, por exemplo; mas custou mais de R$ 1,1 bilhão. Sete anos depois, todos os estádios da Copa já estouraram a previsão de gasto inicial.
 
4) Estádios da Copa prontos dentro do prazo
 
As recomendações da Fifa eram claras: os doze estádios para a Copa do Mundo deveriam estar prontos até dezembro de 2013, e o Governo garantia isso, conforme declarou o então Ministro dos Esportes, Orlando Silva em 2011; os que não estivessem ficariam fora do torneio. Estamos em abril de 2014, e a Arena Corinthians, palco 'somente' da abertura do Mundial, ainda não recebeu uma partida oficial.
 
5) O Monotrilho de São Paulo
 
Única obra prometida para a Copa do Mundo em São Paulo, o Monotrilho não ficará pronto a tempo para o Mundial. Depois de anos de construção e de atrasos, apenas em outubro de 2012 foi feito o anúncio de que não haverá tempo hábil para que a obra seja terminada antes do torneio.
 
6) Transporte público em Manaus
 
Quando foi anunciada como uma das 12 sedes da Copa do Mundo, Manaus apressou-se em mostrar um projeto revoluncionário de transporte público, que incluía a construção de um monotrilho e do BRT. Mas, alegando problemas burocráticos que atrasaram o início das obras, os governos estadual e municipal tiraram as obras da lista de encargos para a Copa.
 
7) O VLT de Brasília
 
Outra grande obra de estrutura de transportes anunciada com pompa foi o VLT de Brasília, O sistema de trens seria a solução para uma cidade que peca pela falta de boas opções para transporte público. A construção começou em 2007, mas parou em 2010 em meio a denúncias de corrupção. Em 2012, a obra saiu do caderno de encargos da Copa.
 
8) O ultimato da Fifa para a Copa do Mundo
 
O secretário-geral da Fifa, Jerome Valcke, perdeu a paciência com os seguintes atrasos das cidades-sede, especialmente Curitiba. Em janeiro deste ano, o homem-forte da entidade no Brasil deu um ultimato à capital paranaense: ou as obras da Arena da Baixada avançassem até 18 de Fevereiro, ou a Copa deixaria a cidade. Passou a data, o estádio ainda não está 100% concluído, e o local segue como um dos palcos para o Mundial.
 
9) Mudança na estrutura de aeroportos
 
A Copa seria uma ótima oportunidade para mudar a sucateada estrutura aeroportuária do Brasil. Durante os anos que se seguiram ao anúncio do país como sede do Mundial, todas as cidades - mesmo ainda na fase de candidatura às sedes - prometeram reformas, mas menos da metade de cumprir o planejado. Em Belo Horizonte, a reforma já foi reduzida para terminar antes do Mundial; em Curitiba, apenas 30% das obras estará pronta na época da Copa.
 
Somente dois aeroportos deverão concluir suas reformas a tempo do Mundial: Cuiabá e Fortaleza. No Rio de Janeiro, por exemplo, parte da reforma do terminal de passageiros não estará pronta, assim como em Belo Horizonte, Salvador, Manaus e Curitiba.
 
10) A Internet 4G
 
A tecnologia de acesso a internet e telefonia, que já existe em países da Europa e nos Estados Unidos, era uma das promessas para as 12 cidades-sede, devido à alta demanda durante a Copa do Mundo. Meses antes do Mundial, especialistas em telecomunicações já apontam que não há mais tempo para que o sistema seja implantado em todas estas cidades antes do Mundial.