sábado, 29 de setembro de 2012

Já Expulsaram Jesus da Tua Igreja?

Responderam eles, e disseram-lhe: Tu és nascido todo em pecados, e nos ensinas a nós? E expulsaram-no (Jo. 9:34).


O templo era um dos lugares em que Jesus não era bem vindo. Parece contraditório tal afirmação, no entanto, é a mais pura verdade. Talvez seja por este motivo que Paulo, inspirado pelo Espírito Santo, alerta os Atenienses para o fato do templo estar vazio da presença do Senhor, apesar de cheio de gente.
 
No templo deveriam estar apenas "representantes de Deus". Sacerdotes sensíveis à voz do Espírito Santo que mantivessem uma contínua comunhão com o Pai e desejo sincero de obedecer aos seus conselhos. Este comportamento lhes teria dado a capacidade de conhecer e reconhecer o "Filho de Deus" quando Este lhe adentrasse as portas.
 
O problema é que invés de apenas "representantes" se tornaram "proprietários de Deus", com o agravante de não mais reconhecê-lo. Esta perda de contato e comunhão com Deus fez surgir autoridades religiosas arrogantes e orgulhosas que, prejudicados ainda mais por sua cegueira espiritual, não reconheceram o próprio Deus manifestado em seu Filho.
 
A Bíblia relata que com doze (12) anos Jesus já andava no templo discutindo com os doutores acerca da Lei de Moisés, o que demonstra a insistência de Jesus em ensinar-lhes sobre o Reino de Deus e suas características primordiais. Porém, Jesus tinha um "defeito insuperável": Ele não escondia a verdade. Em seus discursos, Jesus os confrontava. Mostrava-lhes a hipocrisia, o formalismo e a insensibilidade que precisavam abandonar para que o Pai os recebessem de volta. Isto era uma afronta!
 
Incomodados, os líderes se sentiam ameaçados em sua autoridade e viviam atormentados pela possibilidade de perder as benesses que o cargo sacerdotal lhes concediam. Jesus no templo então, definitivamente, não era bem vindo.
 
Em nossos dias os templos estão cada vez mais suntuosos e cheios de autoridades religiosas e políticas, montados em seus púlpitos ou palanques, cheios de arrogância, confiados na autoridade do poder institucional, mas, vazios de Deus. Por conseguinte, se tornaram representantes ilegítimos do Senhor.
 
Como nos templos antigos, expulsaram Jesus dos novos também. Nesses templos modernos, passarela das vaidades humanas, já não interessa o que Jesus diz. Para eles Jesus disse. Desta forma, já não mais permitem que Jesus os ensinem e, de lá, já O expulsaram. Expulsaram Jesus e serraram-lhe as portas do templo e do coração.
 
Sem querer generalizar. Faça um teste sincero. Vá à um templo religioso e procure Deus. Veja se O encontra na figura do pastor, bispo, profeta ou apóstolo, no ambiente de adoração ou no relacionamento cristão. Você terá dificuldade em percebê-lo.
 
Se quiser um conselho. Procure-O dentro de você mesmo, pois, se não encontrá-lo em seu coração (o verdadeiro templo), muito menos espere achá-lo num templo feito por mãos humanas.

quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Cristão "Maria-Vai-Com-as-Outras" Não Sobrevive a Loucura Espiritual


A vida para um cristão nos dias atuais não tem sido fácil. É sempre um dilema se defrontar com situações em que tem que se posicionar. Num tempo de “Maria-vai-com-as-outras”, viver com personalidade e integridade cristã é viver numa seara de conflitos internos e externos.
 
Isto não seria assim se as posições adotadas pelo pretenso “povo de Deus” fosse uniforme, pelo menos no que diz respeito aos valores e princípios cristãos (a doutrina imutável no tempo e no espaço). A dura realidade se estabelece pela imensa capacidade humana de “interpretar” questões, inclusas aí as formuladas na Bíblia.
 
A primeira regra da hermenêutica, conhecida como regra fundamental, é: “A Bíblia por si só se explica”. Se os pretensos líderes, pregadores, pastores, pastoras, bispos, patriarcas, apóstolos, missionários, conferencistas nacionais e internacionais tivessem o cuidado de ouvir, primeiro, o que a própria Bíblia fala e articulasse seus comentários depois, seria muito mais fácil compreender um pouco melhor qual é a "boa, perfeita e agradável vontade de Deus." Se assim o fizessem, preliminarmente, já não haveria tanta gente empunhando tantos títulos eclesiásticos, nem outras tantas disputando-os.
 
Infelizmente o que se vê é uma despreocupação quanto o que a Bíblia diz e uma evidente exacerbação do que os pretensos representantes de Deus falam. Daí os posicionamentos vão de um extremo ao outro, radicais e liberais, passando pelo centro e pelos meio-cantos. Isto faz que todos os comportamentos, todos os conceitos e todos os tabus estejam devidamente amparados pela Bíblia, “a partir da interpretação do profeta da vez.”
 
É por isso que a despeito do Espírito que vai na Bíblia, e das obras e palavras de Jesus, tem pregador dizendo que “Jesus era dono de uma boa casa na praia” (sic); é por esta razão que tem gente alimentando ambição de ser alguma coisa, com base num único texto de  Paulo que disse: “quem deseja o episcopado, excelente obra deseja.” Não ouvem a Bíblia falar da “obra” e miram no “cargo”; é esta insensatez que fabrica gente querendo construir templos cada vez maiores e não ouvem a Bíblia dizer que "Deus não habita em templos feitos por mãos humanas"; é esta incoerência que gera pastores gastando fortunas com a vaidade pessoal, e não escutam a Bíblia dizer que "devemos trabalhar para ter como ajudar os necessitados."
 
Diante deste quadro, como se posicionar frente as várias questões que nos são apresentadas no dia-a-dia, a partir do posicionamento desses “representantes de Deus” e suas instituições religiosas? Na política, na religião, na família, no trabalho, na escola e em qualquer outro instituto social nos são apresentadas situações que exigem um posicionamento, uma decisão.
 
E aí? Como decidir?
 
Novamente. Se as posições propagadas e defendidas pelos pretensos “representantes de Deus” tivessem como pano de fundo a defesa do Reino de Deus entre nós, levando em consideração única e exclusivamente o que “a Bíblia identifica como Reino de Deus”, seria fácil decidir. Porém, a realidade, como exposto, é outra.
 
Vivemos o tempo do “salve-se quem puder ou Deus-nos-acuda!”
 
Num tempo assim, só sobreviverá quem antes de tecer ou aceitar comentários e conclusões sobre textos bíblicos, pára, silencia, medita e ouve o que a Bíblia fala. Esses não serão enganados. Os outros continuarão sendo integrantes do “Maria-vai-com-as-outras...”
 
...para o abismo.
 

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

O Que Eu Diria à Um Pastor Sincero Que Cometeu Adultério


(Há de se destacar que me dirijo a um pastor decente, convertido, que antes de ser pastor é um cristão autêntico.)
                             
Não quero te condenar, isto é papel de juiz, não de um irmão, de um companheiro. Mesmo por que, não estou apto a atirar-lhe pedra. Até aqui tenho sido fiel a minha esposa e minha família, mas, isto não me torna melhor do que você. Pelo contrário, tento me colocar no seu lugar e percebo este momento difícil.

Não é fácil lutar bravamente em defesa dos princípios cristãos, sofrer as dores pela resistência ao cristianismo farisaico da vez, combater o mercantilismo e a guerra pelo poder temporal em voga e, de repente, se vê jogado ao chão. Motivo de escárnio, chacota ou coisas semelhantes, protagonizadas por gente que envergonha o evangelho e não percebe.

Caístes e, talvez, não sabes como. É que na estrada em que transitamos, os desvairados jogam gravetos tentando atrapalhar nossa travessia (sem querer transferir responsabilidades). Quando percebemos a tempo, conseguimos desviar nossos pés e, assim, evitar a tragédia anunciada. Imagino que os gravetos foram se prendendo aos seus pés e você não percebeu que aqueles pequenos incômodos estavam se transformando em arma para tua destruição.

A relação familiar prescinde do compromisso de fidelidade, não apenas para com a esposa, mas, também para com os filhos. É base para confiança. E no teu caso, este dever de fidelidade se estende para com outras famílias, as famílias cristãs. Todo pastor é uma referência.

Mas, meu irmão, não te condeno. É dura a vida de um pastor sincero e dedicado em tempos de relativismo moral e espiritual. Você bem que tentou...

Mesmo estendendo as mãos com intuito de ajudar, não posso fechar os olhos para o mal que se fez. O adultério provoca feridas difíceis de cicatrizar, não apenas em você, mas, também, em pessoas que estão no círculo de intimidade dos envolvidos. Você errou e deve conviver com as consequências do erro, afinal, como pastor e como homem, você deve assumir sua culpa, pois, nestes casos, ninguém pode ser tomado por inocente. Muito menos um pastor.

Perdoar é possível e dever de todo cristão, mas, esta condição está agora nas mãos das pessoas feridas por este momento de prazer. Como em relação a você, concedo à elas o benefício do não-julgamento, compreendendo a dor que agoniza em seus corações. Apesar disto, creio ser o perdão um caminho melhor que a separação, a ruptura e a inimizade.

E eu, como homem, marido, pai e cristão, tenho que buscar entendê-los. Jamais imponho sobre vocês o atributo da perfeição que nunca tivemos. E, exceto Deus, não há quem tenha. Somos assim e não há, por enquanto, quem possa mudar isto. E assim seguimos...

Como referencial para mim te olhei, ouvir tuas palavras e vi em teu testemunho o compromisso com a Palavra de Deus e o Deus da Palavra. Mas, é assim... Num simples mergulho no mar das angústias, frustrações e decepções que, de vez em quando, atravessam o peito de quem deseja servir e seguir fielmente a Deus, somos surpreendidos pelo cansaço que baixa nossa guarda e proporciona a oportunidade de nos cercarem os pés com os gravetos e nos derrubarem.

Cair é do homem, levantar é de Deus.

Agora, será possível perceber o quão perverso o homem pode ser. Dos inimigos não se pode esperar outra coisa, senão, alegrarem com sua queda; Alguns irmãos e até mesmo colegas de ministério, decepcionados, se afastarão atestando que, para eles, você não é mais o que eles imaginavam; Mas, para outros, aqui eu me incluo, você é apenas um filho de Deus que, como tantos outros, em meio as intermináveis batalhas da vida cristã, foi levado ao chão por uma daquelas situações que insistem em nos lembrar que somos “humanos”, não Deus.

Recomendo que assistas o vídeo em que o Pastor Jimmy Swaggart se coloca diante da família, da igreja e de Deus, e assume: “Errei. Pequei contra minha família, meus irmãos e meu Deus” (No youtube o vídeo está com o título “Jimmy Swaggart pede perdão”). Como resultado do arrependimento e humilhação, a família o aceita de volta, a igreja o abraça e, certamente, Deus o restaura a condição de “filho”, isto porque, um homem decente, mesmo quanto cai, ele cai de pé.

Por fim, fico aqui torcendo para que vocês superem logo isto, o mais breve possível, pois, a vida não se encerra aqui. Certamente machucados, marcados, tristes, mas, sobreviverão. Vocês irão se reerguer e, cada um do seu jeito e conforme sua própria medida de fé,  chegarão à eternidade percebendo que apesar dos percalços, não houve quem ou o quê conseguisse vos separar do amor de Deus."

sábado, 22 de setembro de 2012

Quero Estar Perto... Quero Estar Longe.


 
Ontem, ao me deitar, me vi pensando nos meus pais, sentir as lágrimas descerem meu rosto e percebi o misto de sentimentos contraditórios que hoje sinto em relação a eles.

Estão vivendo o pôr-do-sol existencial, e por isto, quero estar perto e longe ao mesmo tempo.

Quero estar perto porque os amo; quero estar longe, porque odeio o muro de separação que a morte nos impõe.

Quero estar perto para que eles vejam o meu sorriso; quero estar longe para que não vejam as minhas lágrimas e percebam a minha dor.

Quero estar perto o suficiente para que ouçam a minha voz e percebam que estou ali, pronto para servi-los; quero estar longe o suficiente para que não ouça seu último suspiro.

Quero estar perto para aproveitar todos os momentos de suas existências; quero estar longe para não me arrepender do tempo que desperdicei longe de suas companhias.

Quero estar chegando sempre em direção aos seus braços; quero estar partindo para não vê-los partir.

Quero estar perto para, ainda, chamá-los de “meu velho”, “minha velha”; quero estar longe para, quando chamá-los, não ouvir como resposta o silêncio.

Vejo-os carentes de melhor qualidade de vida, me torturo por não poder levá-los à contemplação da natureza, para que vivam a despedida, não como quem parte, mas, como quem chega aos braços do Pai. Flores, pássaros, grama verdejante, misturados a sorrisos, esperanças, afetos, sentimentos e coisas prazerosas que fazem toda a diferença quando estamos partindo ou chegando.

Mas, a vida é assim... cria vínculos, depois os quebra, e a única coisa que nos deixa é a saudade (tenho medo de ainda não estar pronto para ela).

“Eu quero voltar pra casa do pai;
Eu quero o amor dos braços dos meus pais;
E descansar seguro, nos braços dos meus pais... dos meus pais”.
(Adaptado do trecho da música de Talles Roberto – Casa do Pai)

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Que Tipo de País Você Quer Deixar Para Teus Filhos?

Neste tempo de julgamento dos desvios de conduta de empresários, parlamentares e partidos (Julgamento do Mensalão - Ação Penal 470), é oferecida aos brasileiros a oportunidade de decidir sobre o futuro da nação e em qual ambiente deve viver, ele e seus descendentes.

De tempos em tempos o brasileiro tem esta oportunidade, quando é convocado para, diante da urna de votação, definir àqueles que serão gestores das cidades que os abrigam, administradores dos serviços públicos que lhe são oferecidos e responsáveis pelo tipo de política que se faz.

Apesar de ser um ato de extrema importância para os brasileiros, a maioria deles, influenciados pelo enredo de ficção dos filmes e das novelas, e hipnotizados pelo sucesso ou fracasso do time de futebol do coração, vivem como se não tivessem "nada-a-ver-com-isso."

Com este tipo de comportamento, corroborados pelas falácias dos animadores de plantão, agem como se não fossem cúmplices das mazelas sociais que impera em nossa pátria.

Mas, o Julgamento do Mensalão está aí. É a tentativa de sacudir o Brasil e despertar os brasileiros para o fato de que há atitudes que não podem e não devem ser praticadas à luz da ética e da legalidade. O episódio deste julgamento é motivação para lançarmos fora a máxima imoral de que, no Brasil, os crimes que envolvem banqueiros, grandes empresários e políticos (colarinho branco) não são punidos. É a oportunidade voltarmos a acreditar num país melhor. 

A partir da decisão dos Ministro do Supremo, há outras decisões que devem ser tomadas pelos cidadãos e cidadãs desta nação. Erradicar práticas que se convencionaram "normais" no cotidiano deste povo e que são combustíveis para manutenção da consciência corrupta cultural.

Quem recebe R$ 10,00 (dez reais), para fazer boca-de-urna e decide votar no candidato que lhe deu os dez reais, porque, avalia, foi o único que lhe deu alguma coisa, não está se deixando corromper pelo mesmo sistema corrupto que condena na televisão? Quem insiste em votar naquele candidato que se descobriu envolvido em desvios de conduta não está incentivando-os a permanecerem na prática das mesmas imoralidades?

Colocado diante da urna, solitário, reunido com sua própria consciência, revisando seus valores e enxergando o país que deseja, o eleitor deve tomar sua decisão e seguir. Seguir em paz consigo mesmo, com seus filhos, com os brasileiros e com sua pátria, tendo, agora, a confirmação de que tomou a decisão certa: "a sensação do dever cumprido e a leveza de uma alma em paz."

Vai retornar aos seus afazeres olhando para o horizonte. Não um olhar perdido no nada, mas, o olhar de quem reencontrou o caminho à seguir.

terça-feira, 18 de setembro de 2012

Um Gay Mata Outro. Resultado: Incêndio na Favela e Crime Homofóbico.


Chamou minha atenção a notícia veiculada na imprensa sobre o incêndio na favela do Moinho em São Paulo. A tragédia causou estragos incalculáveis nas pessoas que, pela sobrevivência, tentam a todo custo manter-se em condições sub-humanas.

Apesar da tragédia, há um dado que salta aos olhos e não podemos ignorá-lo. Num Brasil em que a mídia adotou o discurso dos crimes homofóbicos, a verdade se revela e não há quem o possa negar. "Os crimes contra homossexuais, em sua maioria, são praticados por eles mesmos."

Porém, a militância que luta pela elevação dos gays à classe de pessoas especiais, já se utilizam da história para querer colar na estatística brasileira mais um crime homofóbico. Todo crime deve ser repudiado por se tratar de agressão "a vida humana," nosso bem maior. No entanto, eles fazem isso para "inchar" os dados sobre mortes de homossexuais que, diga-se de passagem, em relação aos dados da violência no Brasil, são ínfimos.

E o que aconteceu na favela?

Um homossexual brigou com seu parceiro e resolveu incendiá-lo. Num local onde as construções são de madeira e papelão, não poderia acontecer resultado diferente. Mas, vejam só, a grande imprensa cobre este triste evento passando por cima deste "detalhe". Por que será? Para não revelar o que todos nós sabemos: "Para reduzir drásticamente os crimes homofóbicos no Brasil, basta os gays pararem de se matar."

Desperte! A grande imprensa está dominada pelo discurso gay, principalmente a Rede Globo de Televisão, mas, fique ligado, você não é cego, nem surdo.

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Os Brasileiros Decentes Devem Apoiar o STF na Condenação dos Mensaleiros do PT

Chegou a hora de exercermos efetivamente nossa cidadania. Está mais que na hora de agirmos na defesa do bem público, protegendo-os dos ardilosos egoístas, que travestidos de autoridades públicas, depenam nosso patrimônio e retiram do Estado Brasileiro a capacidade de prestar melhores serviços à sua população.

Ao longo da existência da república, estamos sendo alimentados pelo pão que compra nossa consciência e nosso voto. Apesar dos mensalões dos políticos desonestos e da roubalheira institucionalizadas, foram nos distraindo com uma importância exacerbada do futebol, das novelas e dos BBB's que idiotizam a população e os fazem perder a percepção de que estão roubando o dinheiro que conquistamos com muito suor e lágrimas.

A alta carga tributária brasileira deveria ser melhor utilizada no atendimento à saúde, no sistema de segurança, na moradia, no saneamento básico e, pricipalmente, na educação despartidarizada de nossa população. No entanto, insistem em nos considerar um bando de imbecis que não percebem a sangria do dinheiro público, hoje a olhos vistos, através de obras faraônicas como estádios de futebol, usinas hidrelétricas e metrôs. Obras estas que, intermináveis, são aditivadas para aumentar o fluxo de dinheiro que se perde na falta de fiscalização, permitindo aos bandidos roubar a saúde, a segurança, a moradia e a educação dos brasileiros.

O STF - Supremo Tribunal Federal demonstra que chegou a hora de se colocar um ponto final nesta prostituição bandida implementada na relação corrupta de políticos brasileiros e seus parceiros empresários.

Ao revelar os ardis, a tramamóia, os conchavos escondidos por trás das propagandas eleitorais, o Supremo Tribunal Federal conclama os brasileiros a se animarem e se unirem no apoio a sua decisão de varrer o lixo da corrupção para a cadeia, não para debaixo do tapete ou para uma mesa de pizzaria.

Que os homens e mulheres de bem deste país se levantem e digam: "Não aceitamos que nos roubem!"

Nas próximas eleições devemos levantar e assumir os destinos de nossa nação, pois, da mesma forma que outrora concedemos um voto de confiança aos nossos representantes, agora, excluiremos os maus, numa tentativa de separar o joio do trigo.

Como a roubalheira protagonizada pelo PT é a bola da vez, é mais do que propício que os brasileiros confirmem, através das urnas, que apoia a limpeza na política brasileira e suas relações com o bem público e privado. É HORA DE DARMOS UMA LIÇÃO NO PT, NÃO VOTANDO NOS CANDIDATOS APRESENTADOS POR ELE.

Nós não os conduzimos ao poder para se utilizarem da república e da democracia como amparo ao projeto de poder partidário e pessoal dos seus agentes. Nós os conduzimos ao poder para serem nossos representantes na defesa dos interesses do Brasil e dos brasileiros.

Que os demais partidos coloquem suas barbas de molho, pois, o benefício da dúvida não durará para sempre. A vez deles chegará.

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Veja o Conteúdo da Educação no Governo do PT


No país dos petralhas, Monteiro Lobato vai para a cadeia, e uma variante do que considero pronografia infantil vai para a sala de aula. Já tratei do assunto aqui num post de 1º de fevereiro do ano passado. Mas é preciso voltar ao tema. Leiam isto:

“Olha, ele fica duro! O pênis do papai fica duro também?”
“Algumas vezes, e o papai acha muito gostoso. Os homens gostam quando o seu pênis fica duro.”
“Se você abrir um pouquinho as pernas e olhar por um espelhinho, vai ver bem melhor. Aqui em cima está o seu clitóris, que faz as mulheres sentirem muito prazer ao ser tocado, porque é gostoso.”
“Alguns meninos gostam de brincar com o seu pênis, e algumas meninas com a sua vulva, porque é gostoso. As pessoas grandes dizem que isso vicia ou “tira a mão daí que é feio”. Só sabem abrir a boca para proibir. Mas a verdade é que essa brincadeira não causa nenhum problema”.

Voltei
O que é isso? São trechos de “Mamãe, como eu nasci?”, que está na lista de livros do MEC, aprovado pelos aloprados que estavam sob o comando deste impressionante Fernando Haddad. Segundo o Ministério da Educação, é recomendado para alunos na faixa dos 10 anos. O livro, claro!, é ricamente ilustrado. Já foi o tempo em que a molecada se cotizava pra comprar gibi de sacanagem. O pênis, a vagina, o clitóris e a ereção foram estatizados, entenderam? O livro é ricamente ilustrado, como se percebe no vídeo abaixo (vão tentar tirá-lo do ar; aguardem para ver). Volto em seguida.


Voltei
Como a gente nota, 64 anos depois de sua morte, Monteiro Lobato está sendo julgado pelo Tribunal Politicamente Correto do Santo Ofício, e a pornografia infantil recebe a chancela do MEC. Não é de estranhar que esse mesmo ministério tenha preparado os kits gays, certo? Eles ensinam, por exemplo, que ser bissexual traz vantagens comparativas no cotejo com a heterossexualidade — que a patrulha politicamente correta chama “heteronormatividade”. A imprensa jamais indagou Fernando Haddad sobre o assunto e ainda tacha de reacionário quem o faz. 
Notem que o texto, além de tudo, incita crianças de 10 anos à desobediência. Os pais seriam os desprezíveis “adultos”, com suas proibições.
Como escrevi no ano passado, fico cá me perguntando como a civilização chegou até aqui sem a ajuda desses libertadores sexuais. Se, sem eles, tivemos Leonardo, Michelangelo, Schopenhauer e Beethoven, imaginem o que vai acontecer agora que a masturbação foi estatizada e pode ser tratada por professores convertidos em animadores sexuais…
Ninguém mais vai querer pintar, fazer música ou esculpir. A humanidade passará a eternidade a brincar com o pingolim e a escarafunchar a borboletinha, num estado de gozo permanente.
Peço cadeia ou médico pra essa gente?
A escola brasileira, que pode censurar Monteiro Lobato, também não gosta, como é sabido, de matemática e língua portuguesa. Precisamos é de cidadãos que, à falta de um bom argumento, metam a mão na genitália — e em público, que é para demonstrar desprezo pelas convenções burguesas. Afinal, Freud nos ensinou que a civilização nasce justamente do gozo sem censura, certo? Ou teria sido o contrário?
Eis aí mais uma conquista da educação brasileira sob a gestão deste espetacular Fernando Haddad, o homem novo!

Por Reinaldo Azevedo
 
E AÍ?
 
VOCÊ AINDA VAI CONFIAR A EDUCAÇÃO DOS TEUS FILHOS PARA ESSA TURMA DO PT?
 
NESSAS ELEIÇÕES, RISQUE PT DA CÉDULA.
 

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

Estudo Indica Ligação Entre Maconha e Câncer Nos Testículos



Um estudo da Universidade do Sul da Califórnia (USC) publicado na revista especializada online Cancer indica uma ligação entre o consumo de maconha e o aumento no risco de desenvolver câncer nos testículos. Segundo a pesquisa, o risco existe até no uso dos derivados da droga com propósitos terapêuticos em homens jovens.
 
O subtipo é a forma mais comum de câncer entre homens dos 15 aos 45 anos e está cada vez mais comum, o que os cientistas acreditam que seja resultado do aumento à exposição a causas ambientais desconhecidas. Os pesquisadores avaliaram 163 casos de homens jovens com tumor nos testículos e compará-los com 292 homens saudáveis de mesma faixa etária, etnia e raça.
 
Segundo o estudo, aqueles que usaram maconha tinham duas vezes mais chances de ter alguns subtipos mais perigosos do câncer de testículo. É a terceira pesquisa que indica uma ligação entre a droga e o câncer de testículo.
 
"Nós não sabemos o que a maconha ativa nos testículos que pode levar à carcinogênese, apesar de especularmos que ela possa estar atuando através do sistema endocanabinoide - a rede celular que responde ao princípio ativo da maconha -, pois este sistema se mostrou influente na formação do esperma", diz Victoria Cortessis, da USC.
 
Fonte: www.terra.com.br

quarta-feira, 5 de setembro de 2012

Não Vote em Político Cristão Que, no Parlamento, Se Torna Igual Aos Outros.

Aprendemos desde criancinha que o cristão deve ser diferente dos que, enganados pela vaidade, pela carne e pelo inimigo, agem em defesa dos seus próprios interesses.

Político é tudo igual.

Essa máxima brasileira afeta aqueles que, sendo cristãos e se dizendo empenhados em servir à Deus e a comunidade cristã, ocupam uma cadeira nas inúmeras (até demais) casas legislativas deste país. Em campanha, dentro de nossa comunidade, discursam na defesa da ética, da lisura no trato com o bem público, da transparência, do respeito a vida, etc. Eleitos, se tornam apenas mais um e... somem. Como diz o dito popular: "só aparecem de caju em caju," apenas para fazer jogo de cena.

Exceto nos episódios envolvendo o projeto de lei dos gays e na questão do aborto, quem ouve falar dos políticos cristãos, por exemplo, se posicionando contra a corrupção, contra as farras das verbas parlamentares, das passagens aéreas gratuitas, do nepotismo?

A população brasileira se ressente de representantes dignos de honra. Políticos que abram mão das benesses que, exageradamente, lhe são oferecidas, a fim de poder, com o exemplo, atender o desejo dos brasileiros em interromper a sangria de recursos públicos pelo parlamento.

Os políticos cristãos não devem fazer a defesa ferrenha dos princípios cristãos apenas no discurso, pois, se assim agem, se tornam apenas mais um pouco do muito que está aí. Não nos servem, muito menos a pátria.

Nas próximas eleições, vote em político cristão, apenas se ele, realmente, faz a diferença. No mais, NÃO VOTE EM POLÍTICO NÃO-CRISTÃO DISFARÇADO DE BONZINHO COM OS EVANGÉLICOS EM CAMPANHA ELEITORAL.

A pior fera é aquela que te atrai com um visual bonito e um cheirinho bom, mas, na primeira oportunidade, te golpeia fatalmente. Político Não-Cristão é assim. Quando for para defender nossos princípios, se colocam a favor do "politicamente correto" que, na maioria das vezes, agride a família, a vida, e a liberdade de crença e expressão.

Não queremos um Brasil evangélico ou cristão, queremos um Brasil melhor.

terça-feira, 4 de setembro de 2012

O Supremo Tribunal Federal Avisa: Além de Imoral, É Ilegal Corromper e Ser Corrompido.

"Pelo andar da carruagem" no julgamento do mensalão - Ação Penal nº 470 - o Supremo Tribunal Federal resolveu deixar claro que é proibido corromper e ser corrompido, principalmente se uma das partes for um servidor ou órgão público. A tentativa é por fim a farra que envolve alguns maus empresários e maus políticos.

Bom sinal.

Tomara que outros brasileiros entendam e apliquem no seu próprio dia-a-dia, evitando não só se beneficiar e/ou praticar a corrupção, como, também, desrespeitar o direito do outro. É assim que se vive em sociedade. Respeito na fila do banco, do supermercado, na condução de veículos, nas áreas públicas, etc.

Afinal, vamos parar com a hipocrisia de achar que os malfeitosos são apenas aqueles que estão em Brasília, vestem paletós e são tratados como "excelências". Os que estão nas Assembléias Legislativas espalhadas pelo país, são apenas reflexo de seus representantes.

Mas, a pergunta que ainda não quer calar, é: "Chegou a hora de passar o Brasil a limpo?"

Os maus brasileiros estão de cabelo em pé.