domingo, 26 de fevereiro de 2012

A Assembléia de Deus Precisa de Uma Reforma

"Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará" (Gálatas 6:7).

Todas as vezes que escolhemos armas ilegítimas para lutar por coisas espirituais, teremos como consequência, as mesmas armas usadas contra nós. Jesus Cristo, Mestre e Senhor, afirmou esta verdade para Pedro quando este, desejoso de defendê-lo com armas ilegítimas, cortou a orelha do soldado Malco (Mt. 26:52). Determina Cristo que guardasse a espada, pois, quem com espada ferisse, seria ferido pela espada.

Alguns dentre o povo de Deus parece não entender os ensinos de Jesus e, deliberadamente, se utiliza de armas carnais para conquistar aquilo que suas vãs concupiscências os motiva. Cheio de si mesmo, arrogantes, pressunçosos, iracundos, irascíveis, irreconciliáveis, mais amantes dos deleites do que de Deus, empunham espadas e distribuem socos, pontapés, agressões verbais e "judiciais" a ponto de agirem como selvagens na ânsia pelo poder, status e dinheiro.

Na guerra que se estabeleceu na Bahia pela igreja Assembléia de Deus em Salvador, tendo como protagonistas os Pastores Valdomiro Pereira (CEADEB) e Israel Ferreira (CONFRAMADEB), alguns integrantes dos distintos partidos assumiram armas, no mínimo, inadequadas e escandalosas para defenderem seus pontos de vista.

Hoje, aproximadamente, dezenove (19) meses após o ápice da contenda, o que se vê é a continuidade das mesmas práticas antes entendidas como erradas na administração das congregações vinculadas aos campos da CEADEB e da CONFRAMADEB. Centralização de recursos, subserviência, crescimento descontrolado e desqualificado, pessoas imaturas e neófitas elevadas a condição de obreiros e colocados à frente de congregações, divisão e retomadas de templo na base do "cadeado", enfim, "é a semente que germina".

Um saco de farinha cortado ao meio, dará origem a dois montes de farinha separados. Entretanto, a lógica nos remete a constatar que, apesar de geograficamente distantes um do outro, é, todavia, "farinha do mesmo saco".

À boa igreja Assembléia de Deus na Bahia foi oferecido por Deus a oportunidade ímpar de mudar, de escolher novos caminhos, ou melhor, o velho e bom caminho da Palavra de Deus, porém, a escolha que fazem é a da prática de coisas que outrora condenavam, ignorando os sábios conselhos divinos e se impondo pela força, pela brutalidade e pelo exercício do mal.

Àqueles campos onde a prática de conceitos humanos se sobrepõe aos conselhos divinos, prosseguem em sua toada rumo a dor, a angústia e a imobilidade. Os novos campos, que deveriam aproveitar e protagonizar uma "reforma" de conceitos e métodos na administração dos negócios divinos, copiam àquelas ações que já testemunharam não trazer bons resultados.

O que nos resta é, infelizmente, a porta de saída. O povo de Israel passou quarenta anos no deserto, exatamente para, pelo correr do tempo, expurgar uma geração doente e desobediente contumaz. Morreram no deserto, na sequidão. No final dos quarenta anos, uma nova geração atravessou o Rio Jordão e ganhou as batalhas de uma nova terra.

Com uma nova liderança que tenha como referência os bons exemplos de servos de Deus íntegros que ainda existem, e determinados a um esforço máximo no cumprimento dos conselhos divinos, a Assembléia de Deus na Bahia e, especialmente em Salvador, precisa assumir a visão de Cristo e encampar uma reforma sincera de suas práticas e do seu jeito de proclamar o Reino de Deus em terras baianas.

É preciso, antes de qualquer coisa, que o líder aprenda a renunciar o seu "eu". Vou tornar mais claro essa renúncia. Renunciar é abrir mão de salário pastoral enquanto a igreja atravessa este período de crise financeira, é abrir mão da casa de praia e se contentar com o "apertamento", é vender o Honra Civic e andar de Gol 1000 e esses recursos serem entregues na igreja para ajudar na quitação de dívidas e construção de templos para abrigar o povo, é viver com o estritamente necessário, é não depender do salário pago pela igreja quando já possui aposentadoria pelo INSS, é entender que nesse momento a igreja precisa se recompor moralmente, financeiramente e espiritualmente. Quem disse que ser líder é fácil? Ser um referencial não é fácil, ao contrário.

Vivendo o momento em que vive a Igreja Assembléia de Deus na Bahia, é preciso que cada um no todo, assuma sua parcela de sacrifício. Aos líderes é exigido mais, afinal, à quem muito é dado, muito é cobrado. Se não suporta ser líder de um povo pobre e com grandes demandas a suprir, vai fazer tendas e vender na feira e seja feliz.

A Igreja Assembleia de Deus na Bahia e, especialmente, em Salvador (incluindo as dois segmentos - CEADEB e CONFRAMADEB), para se levantar, tem que reformar. Reforma de coração, de mente e de espírito. Quem se habilita?

"E se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a minha face e se converter dos seus maus caminhos, então eu ouvirei dos céus, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra " (2 Crônicas 7:14).

O povo do Senhor que ama a Assembléia de Deus espera...

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Os Brasileiros Não Gostam de Carnaval. Estamos Acordando?

Record ignora o Carnaval e lidera audiência

Em edição especial do "UOL Vê TV", Mauricio Stycer comenta a cobertura da folia das principais emissoras de TV aberta do país, incluindo as novidades trazidas pela Rede TV!, que teve Dr. Rey como convidado especial, e pela Band, que já trouxe um aperitivo do "Pânico Na TV" na casa nova.

No programa, o crítico destaca o fato de narradores da Globo terem ignorado o fato das próximas Olimpíadas serem em Londres, cidade que foi tema do desfile da União da Ilha no Rio de Janeiro, e também a escolha da Record por ignorar o Carnaval e ainda assim ganhar a luta pela audiência com sua programação normal.

(Fonte: www.uol.com.br (UOL Vê TV))

A mídia vendida aos patrocinadores continua com seu trabalho de empurrar na garganta do povo que o Brasil é o país do carnaval.  A notícia acima desmente.

Ouvi num programa de rádio que, em Salvador, no primeiro dia de carnaval, dois (2.000.000) milhões de pessoas tinham participado da festa. Fui à praia em Jauá e quase não acho lugar para estacionar, na estação rodoviária centenas de horários extras de ônibus foram disponibilizados para atender a demanda, no ferry boat, novos horários de travesia Mar Grande-Salvador foram colocados à disposição, no aeroporto, pousos e decolagem constantes... Agora, os que ficaram em casa, deram a liderança da audiência àquela rede de televisão que não deu bola para o carnaval.

Dois milhões de pessoas participando do carnaval, só pode ser pegadinha.

Considerando que a população baiana (região metropolitana - inclui Salvador e mais doze (12) cidades) está estimada em 3.700.000 (três milhões e setecentos mil) habitantes, convenhamos, dois milhões nas ruas, nem que o carnaval acontecesse em todas as ruas de todos os bairros da cidade, haja vista a vazão de pessoas em direção contrária a folia.

Por esta razão, preliminarmente, é incompreensível a atenção e os recursos públicos torrados nesta festa (só a Prefeitura de Salvador, R$ 30.000.000 (...)). Mesmo com a constatação de que o povo brasileiro não está nem aí com o carnaval, a quantidade de dinheiro público patrocinando a orgia de uns poucos é muito grande. E assim, o Estado Brasileiro continua agindo como uma mãe irresponsável que deixa de cumprir com os compromissos para educação de seus filhos e passa a fazer festas indiscriminadamente, jogando pela janela recursos que costuma reclamar para atender suas obrigações.

Com tantos problemas e deficiências nos serviços públicos, deveriam priorizar as necessidades da maioria da população, invés de entregar dinheiro fácil aos oportunistas da vez, dinheiro este oriundo de uma pesada carga tributária lançada sobre os demais (Não esqueçamos. Aqui, quem tem mais paga menos impostos do que quem tem menos).


Mas, aos poucos, a máscara vai sendo derrubada e vamos colocando os pés no chão, pois, quem acha que brasileiro gosta de carnaval, ou está de brincadeira, ou está levando alguma vantagem.

Só pão e circo todo ano?

Acredito que, com a ação da população nas redes sociais, o brasileiro parece despertar para uma nova consciência cidadã e madura, deixando de lado as brincadeiras de criança e encarando nossa responsabilidade de mudar. Um pouco mais de inteligência na hora de votar e discerniremos o que realmente é importante para nosso país.

Queremos, sim, laser e diversão, mas, também, e principalmente, queremos melhores serviços de saúde, educação, moradia, saneamento básico  e segurança. Se sobrar ainda um pouco mais de ponderação, mais qualidade no entretenimento, na música, nas artes, na contemplação.

Aos poucos a gente vai despertando, levantando, colocando os pés nos chão, olhando ao nosso redor, enxergando o tempo, vendo nossas famílias, nossos valores e reconhecendo aquilo que é importante e deixando de lado aquilo que é fútil, transitório e dispensável.

Ainda dá tempo de "todos os brasileiros" desfrutarem das riquezas e das alegrias desta grande nação.


Seja feliz Brasil! É só querer.

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

A Alegria de Um Carnaval Deficitário. A Tristeza de Uma Educação Carente.

O vice-prefeito de Salvador, Edvaldo Brito, anunciou nesta quarta-feira, 22, um prejuízo parcial de R$ 8 milhões com a organização do Carnaval 2012. Mas a conta é imprecisa porque trabalha com uma despesa de R$ 30 milhões que se repete há três anos, estimada por estudo feito em 2009, e com uma receita de R$ 22 milhões, que não incluiu os ganhos decorrentes da arrecadação do Imposto Sobre Serviço (ISS) cobrado de bares, restaurantes, hotéis, blocos e camarotes.

A imprecisão se revela pelo próprio prefeito João Henrique. No último dia 14, matéria publicada no site oficial do Carnaval registra: “O prefeito reconheceu que o valor ainda é muito pouco, face à despesa com a realização da festa, três vezes maior que o valor da atual arrecadação”.

Carnaval – Prejuízo parcial, R$ 8.000,00 (oito milhões de reais)


O prefeito João Henrique e sua mais nova namorada,
preocupado com a população baiana.

A rede municipal de ensino inicia o ano letivo nesta quinta-feira (23), mas com problemas estruturais. Das 426 escolas de Salvador, 69 estão em reforma até abril, 138 vão começar o serviço nos próximos dias e 61 iniciam fase de licitação para reforma em março. Ou seja, cerca de 62% dos colégios municipais não estão prontos para começar as aulas.

O secretário de Educação de Salvador, João Carlos Bacelar, reconhece que o problema. "A situação vai ficar mais complicada em março, quando mais escolas entram em reforma. Mas estamos recuperando e vamos recuperar todas as escolas. Não foi resolvido antes por falta de projeto e problema no processo de licitação. Também vamos alugar dez novos prédios, fazer rodízio e remanejar os alunos (para outras unidades)", disse o secretário em entrevista a uma emissora de televisão.

Educação – Falta de projeto e problemas com a licitação. Prazo para conclusão: dois (2) anos.

Fonte: Jornal Atarde Online - 22/02/2012 às 23:53

Certamente que os defensores da festa irão aparecer. Aqueles mesmos, que não dependem dos serviços públicos para viver e, certamente, se beneficiam dela de alguma forma, seja cantando, alugando trios, vendendo quartos, obtendo salários. São esses que desfrutam da festa além dos dias da festa.

São eles que não sabem o que é passar fome, dor, frio e angustia, pois, no lado do carnaval em que eles estão, a fome não existe, existe caviar; péssima educação não existe, existe colégio particular; seca no sertão não existe, existe férias na europa; insegurança não existe, existe condomínio fechado e carro blindado...

“O mundo tão desigual
Tudo é tão desigual
O, o, o, o...
De um lado esse carnaval
De outro a fome total
O, o, o, o...”
(Paralamas do Sucesso)

Moral da história: enquanto os barões do carnaval passam com o lucro da festa, a população baiana fica aguardando o metrô.

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Eu Desistir do Cristianismo

Eu desistir do cristianismo que está aí; esse que os homens se esmeram no “faça o que eu falo e não o que eu faço” e decepcionam no dever moral cristão de viver o “que Cristo disse”;

Desistir desse cristianismo-fhotoshop, que forma uma nova máscara e mantém o coração intacto; esse que nos permite durante a semana ser os maus de sempre, mas, no sábado ou domingo, nos transforma em hipócritas fariseus;

Desistir desse cristianismo que tem medo da luz; esse que prefere o sigilo invés da transparência, pois tem vergonha do que a luz pode revelar;

Desistir desse cristianismo que isola o povo num recinto; esse do deus-templo, que esquece do tempo em que vive e se deixa levar pelos ventos do “acho que é assim”;

Desistir desse cristianismo que forma celebridades; esse que têm seus pastores-medalhões, cantores-medalhões e mestres-medalhões que causam maior “frissom” quando adentram o santo lugar;

Desistir desse cristianismo que necessita da viagem sonora para mergulhar nas águas turbulentas da hipnose coletiva; e diz que é espiritual...

Desistir desse cristianismo vaidoso que diviniza o bigode e demoniza a barba sem saber por quê;

Desistir desse cristianismo que não reparte; esse que acumula bens ao mesmo tempo em que ignora o outro que está ali adiante, ao lado, atrás, sentado bem na frente, passando fome e sentindo dores terríveis;

Desistir desse cristianismo que combate o mau e com o mesmo mau se acha praticando o bem;

Desistir desse cristianismo que não pensa, não reflete; esse que, como os reality-shows, emburrece o povo e o manipula ao bel-prazer do monarca da vez;

Desistir desse cristianismo que não acredita mais na volta de Jesus; esse que abandonou os valores e ideais cristãos, pois não os pode receber em moeda corrente;

Desistir desse cristianismo que deixou Cristo do lado de fora de suas organizações e confunde volume de som com a voz do Espírito Santo;

Desistir desse cristianismo que faz tanta propaganda dos milagres de Deus que não permite mais que Deus faça um milagre;

Desistir desse cristianismo sem Cristo; esse do faz-de-conta. Faz-de-conta que Ele está aqui, faz-de-conta que sentiu Ele ai, faz-de-conta que Ele te deu uma bênção, faz-de-conta que está tudo bem.

Desistir desse cristianismo brincalhão.

E eu sei que “jogar aberto” com essa turma, os cristãos modernos, é se tornar o pior dos pecadores. Mas, tudo bem. Eu assumo: sou um terrível pecador. E é exatamente por isto que nasce em mim uma forte esperança de estar incluso no grupo dos que entram “diante de vós no Reino dos Céus”.

“Mas, que vos parece? Um homem tinha dois filhos, e, dirigindo-se ao primeiro, disse: Filho, vai trabalhar hoje na minha vinha. Ele, porém, respondendo, disse: Não quero. Mas depois, arrependendo-se, foi. E, dirigindo-se ao segundo, falou-lhe de igual modo; e, respondendo ele, disse: Eu vou, senhor; e não foi. Qual dos dois fez a vontade do pai? Disseram-lhe eles: O primeiro. Disse-lhes Jesus: Em verdade vos digo que os publicanos e as meretrizes entram adiante de vós no reino de Deus” (Jesus em Mateus 21:28-31).

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Conselho Regional de Psicologia do Paraná Pratica Perseguição Religiosa Contra Psicóloga Cristã.


A psicóloga cristã Marisa Lobo publicou uma imagem dela em frente ao Conselho Regional de Psicologia do Paraná lendo uma Bíblia, enquanto aguardava para ser ouvida pelas fiscais do CRP, e afirmou estar lendo seu manual de ética enquanto aguardava.

Marisa Lobo recebeu ultimato do Conselho para que retire de seus perfis em mídias sociais toda e qualquer menção à sua crença pessoal de fé, caso contrário, terá seu registro profissional de psicóloga cassado. As denúncias contra ela teriam sido feitas por ativistas homossexuais, e outros, favoráveis por exemplo, à legalização das drogas.

Enquanto no Brasil o número de cristãos aumenta, proporcionalmente, aumenta à perseguição a fé cristã. Este caso envolvendo a psicóloga Marisa Lobo, reflete bem o atual momento em que vivemos. Porém, não podemos e não vamos abrir mão da nossa posição.

No Brasil há a liberdade religiosa e a liberdade de expressão que vale para a mídia, para o político e para o cidadão. Infelizmente, e é contra isto que nos posicionamos, alguns segmentos escolheram os evangélicos como inimigos por não contar com seu apoio. Estão numa guerra deliberada para fazer calar as posições contrárias às suas ideias e escolhas. Respeitamos as opiniões de quem quer que seja, porém, não suportam serem contestados. É assim no que diz respeito a comportamentos, política e ciência.

A história registra, mas, parece que não aprendem. O cristianismo não se acovarda, nem se vende. Manteremos posição, manteremos nossa fé e, quando também capacitados cientificamente, usaremos nossa capacidade para, somadas a nossa fé, ajudar as pessoas a encontrarem o tão sonhado prazer de viver.

Que os cristãos paranaenses se solidarizem com a irmã Marisa Lobo, a apoiem, e ao lado dela, resistam a mais esta tentativa, já de antemão fracassada, de fazer calar o povo de Deus nesta nação.

E o Conselho de Psicologia do Paraná, hein? Exercendo pressão psicológica sobre uma pessoa, quando deveriam promover a paz e o equilíbrio mental delas. E a psicóloga perseguida ainda tem que dar dinheiro para eles. Vá entender. Este Conselho, como dizia o jornalista Boris Casoy, “é uma vergonha!”

Jaques Wagner sempre consegue arranjar dinheiro quando o pedinte é deputado

Um detalhe do caso da greve baiana passou despercebido. No ano passado, também em fevereiro, os deputados estaduais baianos receberam aumento de pouco mais de 60%, que eles mesmos se concederam no final de 2010. Com isso, seus vencimentos chegaram pertinho dos R$ 20 mil mensais (fora auxílios, assessores, motoristas, secretárias, etc.).
Tudo bem, devem merecer o que ganham. Mas o governador Jaques Wagner, na época, não fez qualquer referência a rigor fiscal, a falta de previsão orçamentária, àquilo que fala sobre aumento da PM. Resolveu todos os problemas legais e paga a Suas Excelências sem reclamar.
No governo de Jaques Wagner, a existência de verba depende de quem reivindica. Quando o pedinte é deputado, sempre sobra dinheiro.
(Nota publicada neste domingo (12.02) na coluna do sempre brilhante Carlos Brickmann)


A falácia da falta de dinheiro é uma das principais retóricas utilizadas como justificativas para não aumentar o salário dos trabalhadores que ocupam a base da pirâmide social. Guarde isto. Você precisa se lembrar quando o período de eleições chegarem.

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Secretária de Políticas Para Mulheres do Governo Dilma Estimula Aborto Por Sucção

É extremamente deprimente a entrevista concedida pela nova ministra da mulher do governo petista da Sra. Dilma Rousseff, Sra. Eleonora Menicucci, antes de se tornar moradora da esplanada dos ministérios. É de uma insensibilidade terrível. Uma criança no ventre da mãe é um nada para essa senhora, se é que merece ser chamada de senhora. Recomendo aos eleitores cristãos deste país uma leitura nos trechos colocados pelos jornalista Reinaldo Azevedo em seu blog (http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/), para que percebam o viés do governo petista.

Infelizmente estamos vivendo um período de degradação das virtudes e dos valores que enobrece o ser humano. Como consequência, essa gente se sente à vontade para mostrar a cara deformada de sua moral, de seu desequilíbrio e de seu egoísmo. São narcisistas extremos, pois, só pode ser definido assim qualquer um ou uma  que para manter suas ideologias não pensa duas vezes em matar (essa senhora já participou de ações guerrilheiras). E o pior é que desejam transformar a sociedade em que vivem numa espécie de sociedade de perturbados mentais.

A nova ministra do governo petista da Dilma, Sra. Eleonora Menicucci, já recebeu treinamento na Colombia para prática de aborto por sucção, levando, a partir daí, esse seu maquiavélico conhecimento para outras mulheres. Vale destacar e observar que são pessoas que se infiltram nos movimentos sociais para disseminar seu vírus anti-humanidade, pretendendo tornar a sociedade um antro em que sua loucura se sinta bem.

Leiam o blog do jornalista Reinaldo Azevedo e pense. Ela poderia, de igual modo, todas as feministas que pensam como ela, não engravidar. Métodos anticoncepcionais existem as pencas. Mas, não. Com este sentimento maligno de gerar a vida e matá-la, querem prosseguir no suposto direito de praticar suas crueldades como um senhor em seus escravos. O método propagado por essa senhora, sucção, é um dos mais cruéis.

Este bebê de 8 semanas foi assassinado mediante um aspirador potente que o destroçou completamente.


Resisitir a idéia de publicar a foto acima. No entanto, para ficar claro do que é que essa senhora está falando, a foto explica melhor do que mil palavras. E ela fala sobre isto como se estivesse falando sobre a troca do pneu de um carro velho. Ainda, se você tiver estômago forte, pode procurar na internet "formas de aborto", e terás diante de si, o que essa gente é capaz de fazer na defesa de seus interesses mais mesquinhos.

É repulsivo alguém deseja a morte de outrem com tamanha crueldade, principalmente, uma criança indefesa. A nova ministra do governo petista de Dilma Rousseff acha isto uma coisa sem importância, considera isto uma medida necessária de sáude pública ou, dentro de sua área, uma medida sanitária.

Acredito que dentro da cabeça dessa senhora seja difícil encontrar alguma coisa que se possa aproveitar. Mas, vale tentar. Quem sabe, nesse aglomerado de neurônios apodrecidos, talvez uma boa lavagem sanitária possibilite resgatar algum incontaminado que ainda consiga entender o valor da vida humana, mesmo vivendo dentro de uma vida que não se dá o valor.

Nós, povo decente deste país, pais, mães, filhos e filhas, precisamos responder aos egoístas hedonistas de plantão, precisamos defender a vida, pois, além de se tratar de nosso bem maior, faz parte da defesa de nós mesmos.

As próximas eleições é um bom momento para começarmos.

domingo, 12 de fevereiro de 2012

Quer Ser Ministra?

Se você é mulher, ex-guerrilheira, já foi presa por atos criminosos, é feminista e é favor do aborto como medida sanitária para o país, já podes enviar seu curriculum para o Palácio do Planalto, aos cuidados da Presidente Dilma. Se além disso, você é gestora de uma família desestruturada, aí sua candidatura é imbatível.

Esta é a nova secretária da Presidente Dilma, Eleonora Menicucci. Assumindo com status de ministra, veio compôr os quadros dos que se propõem a transformar nossa sociedade num antro de desordem e assassinatos amparados em leis a serem implementadas pelos militantes do PT.

É o avanço da visão romântica de que os guerrilheiros da época de Dilma e Eleonora lutavam em favor de um regime democrático e contra a ditadura. Na verdade, desejavam era implantar outro tipo de ditadura como a que se vê em Cuba (irmãos Castro). Se dermos espaço a essa gente, primeiro eles assumem o poder através do direito que é concedido a todo cidadão. Depois, no poder, retiram esse poder para que ninguém mais chegue até ele.

Assumido e transformado o acesso ao poder, passam a ditar o que devemos fazer e como dever ser. Invadem nossa liberdade e a retiram. Seguem impondo falácias (repetem mentiras exaustivamente até que as transformem em "verdades"), assumem o controle das universidades (Eleonora é professora universitária) e derrubam valores da sociedade produzindo gente inconsequente e egoísta de toda espécie.

Uma sociedade assim é o que desejam. Fica mais fácil o controle. Um burro é mais fácil controlar pois não pensa, e quando não pensa, não encontra solução para o problema da prisão. Vai viver naquele espaço que lhe deram até morrer.

O governo do PT não fez nada mais do que faria qualquer outro partido que assumisse o poder. Votei no PT, pois, acreditava na visão de povo que possuíam. Repito: possuiam. Agora, é só mais um do mesmo. Se fosse o PSDB, o DEM, o PSB, ou qualquer outra sigla no Palácio do Planalto, estaríamos hoje como a sexta economia mundial. Aliás, não sei quais os ganhos que a população tem conseguido com a elevação do Brasil para esta posição. A saúde continua péssima, a segurança um horror, a habitação um sofrimento, a educação uma lástima, a infraestrutura caótica... mas, isso não tem importância.

Tirando pelo ex-soberano, que poderia ter implementado mudanças estruturais profundas em nossa nação e não o fez. Ele, hoje, é um ex-pobre, um ex-nordestino, um ex-trabalhador, e o mais novo encastelado da elite insensível brasileira. E para essa elite, quanto mais ignorante e pobre a população melhor. E o que fazer para manter a população assim? Não lhes dê educação, não lhes dê dignidade, não lhes dê "consciência cidadã".

Dê-lhes carnaval, futebol e realits shows. Encham suas cabeças com frivolidades e descansem. Um povo assim, não incomoda ninguém. O que é importante é reforçar as ideologias. Mulher (sem qualquer crítica as mulheres decentes deste país), feminista, ex-guerrilheira (marginais à época), sem respeito a família e aos outros, e defensores do assassinato de crianças no ventre da mãe. O importante é viver hedonisticamente e, naquelas questões que lhes causam incômodo, elimina-se.

Mas, enfim... nós, brasileiros, não merecemos? Estamos mudando a proporção que aprendemos? Parece que não. Seguimos acreditando em papai noel e votando nos políticos de sempre. Continuamos aceitando as ideologias dos ricos, achando que estão bem intencionados em relação a nós. É só controle. Enquanto não mexe com seu conforto e sua segurança, está tudo bem. Ainda que os pobres estejam sofrendo nas periferias e morrendo nas favelas, continuam vendendo ilusões.

Mas, enfim, quando permitimos que isso continue assim, não estamos apenas concordando com eles? Quando, repetidamente, votamos neles, não estamos assinando embaixo?

"Se a gente não muda, nada muda".

Ciência x Fé

Um senhor de 70 anos viajava de trem tendo ao seu lado um jovem universitário que lia o seu livro de ciências. O senhor, por sua vez, lia um livro de capa preta. Foi quando o jovem percebeu que se tratava da Bíblia e estava aberta no livro de Marcos. Sem muita cerimônia o jovem interrompeu a leitura do velho e perguntou:

- O senhor ainda acredita neste livro cheio de fábulas e crendices?

- Sim, mas não é um livro de crendices. É a Palavra de Deus. Estou errado?

- Mas é claro que está! Creio que o senhor deveria estudar a História Universal. Veria que a Revolução Francesa, ocorrida há mais de 100 anos, mostrou a miopia da religião. Somente pessoas sem cultura ainda crêem que Deus tenha criado o mundo em seis dias. O senhor deveria conhecer um pouco mais sobre o que os nossos cientistas pensam e dizem sobre tudo isso.

- É mesmo? E o que pensam e dizem os nossos cientistas sobre a Bíblia?

- Bem, respondeu o universitário, como vou descer na próxima estação, falta-me tempo agora, mas deixe o seu cartão que eu lhe enviarei o material pelo correio com a máxima urgência.

O velho então, cuidadosamente, abriu o bolso interno do paletó e deu o seu cartão ao universitário. Quando o jovem leu o que estava escrito, saiu cabisbaixo sentindo-se pior que uma ameba. No cartão estava escrito:

Professor Doutor Louis Pasteur,
Diretor Geral do Instituto de Pesquisas Científicas da Universidade Nacional da França.

'Um pouco de ciência nos afasta de Deus. Muito, nos aproxima'.
(Louis Pasteur).

(Cartão de visitas - Fato verdadeiro, integrante da biografia, ocorrido em 1892)

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

Greve da PM na Bahia - "Que é isso Companheiro"

Estamos cansados do lero-lero dos politicos quando as manifestações de trabalhadores atrapalham a vida da população. É sempre um pouco mais do mesmo. "É preciso respeitar as leis, tenho limites orçamentários, a população não pode sofrer por esta causa, a economia do Estado está sofrendo, os negócios da economia estão parando, etc., etc". As falácias são as mesmas.

Nós, que fazemos parte desta tal "população", precisamos entender que nossos políticos só se movimentam em favor dos trabalhadores quando estes conseguem incomodar sua popularidade e possa, com isto, causar prejuízos políticos. O PT bem sabe disto. Outrora, quando oposição, encampou movimentos grevistas em praticamente todas as categorias de trabalhadores. A fórmula para fazer eles conhecem. A solução, também. Porque não adotam?

Dizem que é preciso respeitar as leis. Concordo. Porém, vejam o que está acontecendo no Congresso Nacional. Para atender a FIFA, querem "mudar as leis".

Dizem que possuem limites orçamentários explícitos na Lei de Responsabilidade Fiscal. Para continuar dentro dos parâmetros da Lei, basta eliminar os cargos comissionados, reduzir o número de deputados e vereadores com seus assessores anexos, reduzir a quantidade de viagens desnecessárias realizadas por presidentes, governadores, senadores, enfim, por eles mesmos, além de concluir em menor tempo as obras faraônicas e dispendiosas como metrô e estádios de futebol. Comecem fazendo isto e os recursos financeiros surgirão para garantir a melhoria nos salários dos trabalhadores, principalmente da área de segurança pública.

Dizem que a população não pode sofrer as consequências da paralisação. Até parece que se preocupam com isso. A população já vem sofrendo faz tempo e eles continuam sem fazer nada. Saúde, segurança, habitação, educação, dentre outros. Qual serviço o Estado presta com eficiência e qualidade? Será que eles não estão vendo o povo sofrendo nas filas da saúde, nos colégios públicos e nas encostas?

Dizem que o movimento grevista é ruim para a economia. Oh! novamente ela, a pobre coitada da economia. Alguém sabe quem é esta tal "economia ou mercado"? Basta atentar para o fato de que apenas 10% (dez por cento) da população, aproximadamente, é que desfruta da nossa riqueza. Se você observar um pouco mais vai perceber que banqueiros, especuladores, empresários da área de entretenimento, industriais, políticos e grandes empreiteiros são os integrantes desta faixa da população mais conhecida como "mercado ou economia". É assim. Não é sem razão que estão preocupados com os prejuízos nos negócios gerados com o carnaval.

O governador Wagner prova do próprio veneno. Vendo como ele lida com os grevistas e as desculpas que apresenta, caberia ao ex-pobre-trabalhador-sindicalista-presidente, Luís Inácio Lula da Silva, falar para ele: "que é isso companheiro?".

O problema dessa gente é que apenas são parte da população brasileira e, no caso em pauta, baiana, quanto não galgam uma função no Estado. Encastelados, agem como é próprio da natureza dos políticos. Para eles, tudo é possível, para os demais, pão e circo, e tá bom demais! Como diria o compositor popular: "a gente não quer só comida, a gente quer bebida, diversão e arte".

Apesar dos incidentes, apesar dos atos insanos, apesar do incômodo que nos causam, apesar dos oportunistas e aproveitadores, apesar dos pesares, estou torcendo que os Políciais Militares saiam vitoriosos nesta greve. De preferência, depois do carnaval. Talvez, assim, nós, "pobres trabalhadores", que dependemos do suor do nosso rosto para sobreviver, tenhamos mais consciência que para mudar, depende, também, de cada um de nós somados ao todo.

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

CEADEB Nega Jubilação ao Pr. Joel Ribeiro da Silva

O Pr. Joel Ribeiro da Silva foi separado ao Ministério Pastoral no ano de 1977, desde então, tem se mantido vinculado a CEADEB – Convenção das Assembleias de Deus no Estado da Bahia, honrando durante exatos 33 (trinta e três anos), com suas contribuições financeiras para a referida entidade.

No ano de 2010, na AGO – Assembleia Geral Ordinária da referida convenção, realizada na Cidade de Porto Seguro/BA, requereu à mesa diretora sua jubilação. Como resposta ao seu pedido, recebeu apenas um comunicado com o registro de "indeferido", sem menção das razões que justificassem tal indeferimento.

No ano de 2011, quando realizada a 96ª AGO – Assembleia Geral Ordinária, em Salvador, e, também, através de contatos com o Presidente da referida convenção, na sede da CEADEB, insistentemente reiterou o quanto requerido, expondo suas necessidades e a justeza do quanto almejado. Porém, sem contar com a compreensão de um direito líquido e certo adquirido ao longo de um exercício ministerial ilibado e decente, continua tendo seu pedido negado.

O Pr. Joel Ribeiro consciente das dificuldades atuais vividas pelas instituições religiosas perante o poder público, resiste a ideia de interpor uma ação judicial a fim de ter restaurado e salvaguardado um direito que lhe pertence. Os problemas vivenciados entre a CEADEB e a Igreja em Salvador não se constituem justificativas para negar-lhe este direito, haja vista que, durante mais de trinta (30) anos cumpriu com o pagamento integral das suas contribuições individuais. O direito adquirido por ele é líquido e certo, não podendo ser penalizado por razões que não deu causa nem tem qualquer responsabilidade.

Vale destacar que o direito aqui buscado é aquele que diz respeito a relação previdenciária entre a CEADEB, pessoa jurídica de direito privado, e o referido pastor, cabendo àquela cumprir com suas obrigações legais e estatutárias concedendo ao nobre pastor, repito, o que é de direito.

Com a explosão da fatídica “guerra” entre a CEADEB e a CONFRAMADEB (ADESAL), no ano de 2010, a negativa da CEADEB adquiriu, além do contorno da injustiça, o viés político-partidário. A CEADEB condicionou a concessão da referida jubilação ao Pr. Joel a sua saída da Assembleia de Deus em Salvador, de preferência com a emancipação do setor sob sua responsabilidade, o que o honrado pastor não concordou.

Note-se ainda que, como ministro do evangelho vinculado a CEADEB desde 1977, mesmo com advento da insana contenda entre as instituições mencionadas, o Pr. Joel Ribeiro manteve-se, como se mantêm, Ministro vinculado a CEADEB. Sendo Pastor zeloso, íntegro e fiel aos seus princípios, mantêm-se no lugar onde sempre esteve: IGREJA EVANGÉLICA ASSEMBLEIA DE DEUS EM SALVADOR, como é de se esperar de alguém que quer apenas servir a Deus onde Deus o tenha colocado.

Hoje, o Pr. Joel Ribeiro e sua esposa, irmã Lindalva Ribeiro, apenas espera pelo momento de uma reflexão equilibrada por parte da mesa diretora da CEADEB, onde a justiça que “excede a justiça dos homens” seja restaurada no que diz respeito ao direito deste servo de Deus, amado por todos que tiveram a oportunidade de conhecê-lo e ser alcançado pelo amor que devota à obra de Deus.

Como testemunha ocular da vida íntegra e dos sacrifícios que sua fidelidade com a chamada ministerial lhe impôs, este blogueiro, filho do Pr. Cazildo Teixeira e sobrinho do saudoso Pr. Manoel Marques - CEADEB, considera injusta a atitude desta convenção. O Pr. Joel Ribeiro da Silva não merece tal tratamento e tamanha injustiça. Sem desmerecer nem fazer juízo de valor de qualquer dos outros ministros jubilados nos últimos anos, o caso envolvendo o Pr. Joel apenas testemunha como estão sendo geridos os “negócios” na CEADEB neste particular.

Pelo menos para os ministros que, apesar de obreiros do Senhor, idôneos e legítimos, tiveram a infelicidade de terem seus passos envolvidos numa guerra onde a Igreja Evangélica Assembleia de Deus em SALVADOR – ADESAL, se transformou num objeto a ser destruído. Não consideram o fato de não terem se desligados da CEADEB, pois, não basta ser um ministro cumpridor de seus deveres para com a Convenção, tem que fazer parte de grupos, de partidos. O que se percebe é a máxima da política secular atuando como braço forte dentro desta organização religiosa: “Aos amigos, tudo, aos inimigos, nada”.

O Pr. Joel Ribeiro não é inimigo da CEADEB, da mesma forma que não é inimigo da CONFRAMADEB ou de qualquer outra instituição ou pessoa, pelo contrário, tem se mantido como um verdadeiro “amigo” destas instituições, buscando, ao longo desta terrível querela, a paz, a compreensão e a restauração de um ambiente que, antes de agradar partidos ou pessoas, seja o ambiente imaginado por Deus para sua amada Igreja.

O Pr. Joel Ribeiro serve a Igreja em Salvador desde o início de sua conversão à Cristo no ano de 1960, tendo, inclusive, deixado um emprego estatal seguro para se dedicar a ela e, também, a CEADEB, servindo como missionário no Chile durante 12 (doze) anos, e desde seu retorno, em atividades na capital e interior do  Estado da Bahia.

O Pr. Joel Ribeiro da Silva, antes de ser Ministro vinculado a CEADEB, e desde muito antes que a CONFRAMADEB existisse, já servia a Deus na Igreja Evangélica Assembleia de Deus em Salvador, atuação esta, que mantêm de forma leal até nossos dias. Ainda hoje, aos setenta e um (71) anos de idade, continua no labor em diversas igrejas, administrando, pregando o evangelho, visitando os enfermos, ensinando e formando decentemente novos obreiros, muitos dos quais, vinculados as duas instituições aqui mencionadas.

Fica aqui um pedido aos pastores, especialmente àqueles que compõem a mesa diretora da CEADEB, que olhem com justiça e consideração a vida e a obra deste Digno Pastor, analisando e dando uma resposta a contento e breve dos inúmeros requerimentos realizados por este, por ser de direito e de justiça.

É o que se espera.

Com a palavra a CEADEB.

(Parte desta mensagem foi encaminhada para membros da diretoria da CEADEB, dentre eles, seu Presidente, sem obter qualquer manifestação ou resposta até este momento).

Obs.: O Pr. Joel Ribeiro teve seu pedido finalmente atendido em dez/2012 (Ver notícia aqui).

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Os Serviços Estatais São Bons, Mas, Nenhum Deles Utiliza.



Ministra do Planejamento Mirian Belchior
A ministra Miriam Belchior (Planejamento), 53, deu entrada no hospital Sírio Libanês, em São Paulo, no início da madrugada, em razão de um aumento na pressão arterial. Foi recebida no hospital em que Lula trata-se do câncer na laringe por Roberto Kalil, médico da equipe que assiste o ex-presidente.

Como sabemos, e segundo o reforço dos políticos, principalmente, governantes da vez, nosso sistema de saúde é um dos melhores. Segundo o ex-presidente Lula, "é quase perfeito". Apesar disto, basta qualquer um da casta superior sentirem-se mal, correm para serem atendidos pelo Serviço de Urgência do Sírio libanês (hospital particular e caro), ou então, se deslocam para os EUA a fim de utilizarem os serviços pagos de lá. É desse SUS que Lula tratava quando falou "é quase perfeito".

A maior prova da péssima qualidade dos serviços oferecidos pelo Estado Brasileiro, como contrapartida aos altos impostos cobrados, é o fato do ministro da saúde não se utilizar do SUS, o da educação não coloca seus filhos em escolas públicas, o da justiça não confia na segurança do país, pois para se deslocar precisa contar com seguranças próprios e carros blindados, e assim se sucede a todos eles. Mas, a culpa também é nossa.

Somos nós que concedemos conforto e comodidade à essa turma. Os elegemos ou pelo menos, não nos manifestamos contra uma série de privilégios que não ajudam em nada nossa vida. Quando doentes, procuram o serviço médico particular; quando transitando por nossas cidades, os locais são maquiados e eles tem a companhia de seguranças e batedores para garantirem um trânsito tranquilo (todo brasileiro deseja isto); seus salários não são vinculados ao mínimo; seus filhos, aqueles que estudam no Brasil, não o fazem em colégios públicos. Como é que desejamos melhorias se eles só percebem nossa dor quando assistem TV? E mesmo assim, nos poucos intervalos de suas intermináveis viagens de férias pelo mundo.

Ainda há, dentro dessa turma, outro grupo de monarcas sustentados pelo erário público que sem nenhum constrangimento ganham salários que são um acinte comparados com o salário mínimo vigente no Brasil. São os juízes de Direito, que além das benesses que desfrutam, não querem permitir serem acompanhados por um órgão de controle externo. "Ninguém pode controlar os deuses". É o tal negócio em que "concordamos com o combate a corrupção, concordamos com a prisão dos bandidos, concordamos com um esforço de todos pelo bem da nação, porém, não no meu quintal".

Ví e ouvi (ontem) o Presidente do Supremo Tribunal Federal dizer que "a população confia nos serviços prestados pelo judiciário brasileiro". Ele chegou a esta conclusão pela quantidade de ações judiciais que transitam por este braço do Estado. Esquece que o povo não tem outra alternativa. Se quiser uma análise melhor, precisa avaliar as razões porque se demora tanto para punir criminosos e porque os de colarinhos brancos não são punidos. É evidente a falta de celeridade processual do Poder Judiciário Brasileiro. Se quiser um dado, basta analisar quanto tempo leva a tramitação de uma ação no "Juizado Especial".

Esse estado de coisas não vai melhorar com a população apenas assistindo pela televisão. Deveriamos atuar mais, acompanhar mais, exigir mais, votar melhor. Deveríamos encampar mudanças estruturais que condicionasse aquele que deseja servir ao Estado, se utilizar apenas dos serviços oferecidos. Educação, segurança, trânsito, saúde, moradia e salário deveriam ser os mesmos que a população se utiliza. Se não quiserem, basta não se candidatarem a políticos ou servidores da nação. Apenas assim, conseguiriamos melhorar nossos serviços.

Ao contrário, do jeito que é hoje, eles fingem que cuidam da gente, e a gente finge que acredita.