Pular para o conteúdo principal

A Honestidade no Conhecimento de Deus

Fui abordado num ponto de ônibus por uma senhora pertencente as Testemunhas de Jeová, que me perguntou:
 
- Posso lhe falar sobre Deus?

Retruquei sem pestanejar:

- O meu ou o seu?

Ela prosseguiu:

- Deus só existe um.

Insistir:

- Mas, cada um de nós O apresenta do seu ponto de vista.

Ela me deixou um folheto e foi embora.

A resposta daquela senhora e a resposta que dei à ela ficaram em minha mente sendo remoídas pelo meu intelecto e me chamando a atenção para âmago da questão. Essas formas variadas com que apresentamos Deus são nuances legítimas do Próprio? Será que estamos sendo honestos o suficiente para conhecermos Deus a partir de sua própria apresentação? Sem tradição, sem repetição, sem interpretação, enfim, sem "achômetros"?

Zapeando por canais da tv, me deparo com inúmeros programas religiosos (todos do segmento cristão, ou seja, em tese, falam do mesmo Deus), e nesses programas Deus é apresentado de maneira diferente. Tem o Deus que exige o cumprimento da lei dos alimentos e da guarda do sábado, tem o Deus curador que só faz isso, tem o Deus que quer dinheiro da gente para Ele dá dinheiro pra gente, tem o Deus que só fala com os santos beatificados, tem o Deus que só abençoa se agente caminhar no sal e passar no portal, tem o Deus faz milagre com luz de vela, inclusive mata a inveja, e por aí vai...

A humanidade não precisa conhecer Deus a partir do ponto de vista de cada um de nós. O que precisam é conhecer Deus a partir dEle próprio. Devemos apontar o caminho para que eles mesmos conheçam o Senhor. Como fazer isso? Incentivando-os a estudarem a história e seguirem as pistas da revelação do próprio Deus. Estimulando-os a raciocinarem sobre os fatos e, contando com a ajuda do próprio Deus (existe ou não?), conhecê-Lo.

No percurso da história humana, se destaca um homem: Cristo. Não é por isso que dividimos cronologicamente o tempo em Antes de Cristo e Depois de Cristo? Suas obras ficaram marcadas na história e suas palavras atestam Ser o que todos nós buscamos: Deus.

Então, antes de ouvir religiões, denominações, pastores ou guias, ouça Cristo. Como? Ele não morreu? você pode questionar. É verdade. Ele morreu. Mas, veja o que a história humana registrou. Ele não ficou morto, Ele ressurgiu e foi visto pela última vez aqui na terra por cerca de 500 pessoas.

Hoje, através do Espírito Santo, Ele quer revelar Deus à nós, e se gostarmos, ficamos com Ele, se não, seguimos nossa vida contentes com alguma forma de deus apresentada pelos homens.

Quanto a mim, não me interessa conhecer e seguir o Deus dos Testemunhas de Jeová, o Deus dos Universais do Reino de Deus, o Deus da Renascer, o Deus dos Adventistas, o Deus dos Assembleanos, o Deus dos Batistas, o Deus do Candomblecistas, o Deus dos Espíritas, o Deus dos Muçulmanos, o Deus dos Hinduistas.

Eu quero conhecer e seguir o Deus apresentado à humanidade em Jesus Cristo.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Porteiro, Auxiliar, Diácono, Presbítero, Evangelista, Pastor. E Mais. Missionária, Bispo, Apóstolo. O Que é Tudo Isso?

De repente, somos sobressaltados com a notícia: "Mais algumas dezenas, e até centenas, de novos obreiros para servir no Reino de Deus". A notícia seria boa, se guardasse a essência dos requisitos bíblicos exigidos para novos obreiros e preservassem o propósito divino na separação de novos chamados.
Para que precisamos de porteiros? Óbvio. Para guardar as portas. Porteiro era considerado Levita, desenvolvia, também, a tarefa de arrecadador de ofertas (2 Cr. 31:14) e vigia (Mc. 13:34); Jesus menciona o porteiro como responsável pela guarda da porta do aprisco das ovelhas (Jo. 10:3; ver também Ed. 7:24). É improdutivo, uma igreja de porta única, com uma quantidade exagerada de porteiros para servir.
Para que precisamos de auxiliares? Há pessoas mencionadas na Bíblia como "cooperadores", no entanto, sem evidência de se referir a um cargo. Eram pessoas que haviam prestado algum tipo de auxílio à alguém, em algum momento específico (Fp. 2:25; At. 20:35). Pode ser até o mes…

CEADEB x ADESAL - É feio, muito feio!

Os desdobramentos do litígio entre o presidente da CEADEB e o presidente da ADESAL prossegue revitalizando as feridas causadas pelo rompimento do vínculo de alguns pastores de sua convenção (CEADEB).
No mais recente episódio, uma decisão judicial interlocutória - sem definição de mérito - tomada na ação que a CEADEB move contra a ADESAL, foi entendida como um ato de destituição do pastor Israel Ferreira do comando da Assembleia de Deus em Salvador. Sem querer entrar nas questões técnicas da decisão (deixo isto para os advogados e rábulas), a decisão não dá nada a ninguém, haja vista uma série de “condicionantes” expressos no comando judicial. Na verdade, a decisão da desembargadora é uma espécie de carta do apóstolo Paulo aos Coríntios na versão para os assembleanos baianos: “se entendam!”
Ato seguinte a decisão mencionada, o pastor Valdomiro Pereira distribui um vídeo para os obreiros assembleanos. Nele, informa (ou desinforma) a plateia que o pastor Israel Ferreira foi destituído do…

QUANDO É HORA DE MUDAR DE IGREJA

Igreja, genuinamente falando, é aquele lugar onde se reúne um grupo de seguidores de Cristo com objetivo de adorar a Deus, receber ensinamentos, evangelizar e ajudar uns aos outros (At. 2:40-47). Foi com esta clara missão em mente que o apóstolo Paulo informa-nos que Deus colocou à nossa disposição os dons espirituais, a fim de edificarmos uns aos outros e estarmos aparelhados para proclamação do evangelho. Tiago esclarece outro ponto principal da igreja, dizendo que a verdadeira religião é cuidar das viúvas e dos órfãos nas suas necessidades. Por fim, as características da igreja primitiva que a tornou marcante, referência de igreja bíblica, foi que eles tinham tudo em comum e ninguém sentia falta de nada, eram solidários no partir do pão, desfrutavam da comunhão e comungavam da doutrina dos apóstolos, esta, por sua vez, Cristocêntrica.

No domingo passado fui à igreja com minha família e contei. Numa rua com, aproximadamente, quinhentos (500) metros de comprimento, cerca de treze (13…