sábado, 29 de outubro de 2011

Tira o Ministro e Deixa o Partido.

Se as denúncias que surgiram envolvendo o Ministério dos Esportes tem indícios de verdade a tal ponto de levar um ministro a pedir para sair (diz ele), não há sentido em manter o PC do B como controlador deste ministério. Isto leva-nos a conclusão de que a saída do ministro Orlando Silva foi apenas uma jogada para platéia.

Como é sabido, está em moda no Brasil o toma-la-da-cá, ou seja, como "pagamento" pelo apoio em período eleitoral, cada partido recebe a "responsabilidade" de cuidar de pelo menos um Ministério do Poder Executivo. Qual é a lógica?

Partido vive de candidatos bem sucedidos em campanhas eleitorais, as campanhas eleitorais são caras, demandando muito dinheiro para conseguir colocar em evidências seus candidatos e obter bom resultado, partido político é "terra improdutiva", não gera receita, daí, precisa buscar dinheiro em algum lugar.

Quando assumem um ministério, utilizam as maracutaias para desviar, muitas vezes, legalmente, dinheiro do contribuinte para seus cofres e bolsos. Utilizam empresas de fachadas, notas frias e empresários desonestos que, superfaturando preços, obtém os recursos que vão despejar através de doações para os candidatos daquele partido com mais possibilidade de conseguir o controle sobre ministérios, empresas estatais e outros cargos mais.

Assim, a corrupção se perpetua e as demandas sociais de nosso povo permanecem sem solução. Com este tipo de faxina, que tira o nome que está na crista do escândalo da vez e mantêm o grupo que operacionaliza o esquema do desvio, é brincar de fazer coisa séria e ridicularizar a inteligência do brasileiro.

Ah!, o brasileiro...

O brasileiro aguarda a Copa do Mundo e as Olimpíadas, e enquanto não chegam, esperam sambando nos carnavais, ao som do tilintar da grana que nos é roubada a olhos vistos.

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Protesto Inusitado - A Luta Continua...

Está sendo realizado neste momento (11:58h), uma manifestação inusitada em frente ao Fórum Ruy Barbosa. Um grupo de pessoas cristãs, portando faixas, cartazes e entoando músicas da Harpa Cristã, estão mobilizadas na tentativa de fazer prevalecer seu desejo no que diz respeito a disputa pelo templo da Igreja Evangélica Assembléia de Deus em Capelinha de São Caetano.

Para os desavisados, o dito templo é motivo de briga judicial entre a CEADEB e a ADESAL (CONFRAMADEB).

Considerando o teor da disputa, a sentença a ser proferida pelo MM. Juiz responsável, deve se ater às leis regentes para o caso em pauta. Sendo assim, sinceramente, tenho minhas dúvidas quanto a eficácia de tal manifestação. No entanto, como chamaram a justiça dos homens para resolver a pendência entre eles, todos os recursos humanos disponíveis são legitimos em sua utilização, dentre eles, a manifestação pública.

Não faço juízo de valor. No entanto, acho estranho o motivo, o método e a eficácia. Desculpem-me os sinceros, mas, aprendi inúmeras vezes dentro do templo em disputa, que as pendências entre os filhos de Deus se resolvem observando sua Palavra, com oração, humildade e fé.

Agora aprendi uma nova lição: "quando a gente deixa de pedir à Deus, termina tendo que pedir pra os homens".

Quando vi a manifestação, o sentimento que veio ao meu coração foi de frustração, além daquela sensação de, primariamente, ter sido enganado com aquelas ministrações. Posso estar sendo ingênuo. Não sei. Porém, tanto a eficácia da manifestação como minha observação e sentimentos, só o tempo e seu futuro mostrará os frutos e a recompensa.

terça-feira, 18 de outubro de 2011

Quem For Sábio, Entenda.



Sem generalização: "Os abutres já disputam os despojos".



Que Deus interfira, e que os "homens de bem" permitam ao Espírito Santo a coordenação deste momento de transição (aos homens maus seria pedir muito).

Sem Fé é Impossível Ter Certeza



Quando o ser humano se depara com o advento da morte, em sua mente é travada uma guerra entre a dúvida e a fé. O que realmente acontece nesta "passagem", a morte? O que acontece a partir de agora?

Mesmo com tantos escritos sobre o assunto, nosso íntimo reclama "certeza" e não encontra. Por mais que tenhamos ouvido, lido e aprendido sobre a "vida após a morte", a constatação é uma só: "Sem Fé é Impossível Ter Certeza".

Neste momento crucial da existência (partindo do pressuposto da eternidade), a morte se apresenta como um teste à nossa fé. Quem tem fé, tem certeza. Quem não tem, resta apenas a dúvida e a angústia.

É nestes momentos trágicos que vislumbramos a importância imprescindível da fé. Não é sem razão que Cristo Jesus insistiu: "Não se turbe o vosso coração, creiam em Deus, creiam em Mim também" (Jo. 14:1). Ele está falando de fé n'Ele, da certeza que devemos ter em Suas palavras. "A fé vem pelo ouvir a Palavra de Deus".

Quanto mais contato com sua Palavra, mais certeza decorrente da fé. O inverso, também, é verdadeiro.

Sim, a morte é um intrumento de teste do nível de intensidade de nosso contato com a Palavra de Deus.

Quando a morte, de qualquer forma, aparecer, você terá sempre essa escolha a fazer: Fé ou Dúvida? a resposta não virá no discurso inflamado de despedida, a resposta não virá nas lágrimas da saudade, a resposta virá no íntimo, na dúvida angustiante ou na paz serena.

Pense sobre isto e...

Descanse em paz.

domingo, 9 de outubro de 2011

Dorme no Senhor, Pr. Manoel Marques.


Partiu para a eternidade o amado Pastor, Manoel Marques de Souza.

Como sobrinho deste honrado pastor, dou meu testemunho do destemor, coragem, zelo e amor dedicado por este "amigo de Deus" ao trabalho do Senhor. Lembro-me dos momentos em que, ao seu lado, pude constatar seu cuidado com a família (aí me incluo) e a integridade de seu ministério. Firme na doutrina, íntegro no trato com as coisas de Deus e sincero em seu alvo espiritual.

O Pr. Manoel Marques é muito mais que um servo de Deus. Alcançou com brilhantismo o status de filho de Deus, co-herdeiro com Cristo, pois, ao longo de sua vida, não apenas pregou a mensagem do cristianismo, como demonstrou o porte de um homem que sabe usar as palavras, mas, acima de tudo, sabe usar o bom exemplo como testemunho das verdades que pregava.

Deixa uma lacuna que dificilmente será preenchida em terras baianas e brasileiras. Meu coração sofre a perda do meu amado tio e, como obreiro, a partir de então, sentindo-me órfão deste exemplo e referência de grandeza ministerial.

Que a vida do Pr. Manoel Marques seja um referencial para os obreiros que desejam, com sinceridade, servir a causa do Mestre.

"E disse-lhe Jesus: hoje mesmo estarás comigo no paraíso" (Lc. 23:43)

Deus abençoe e conforte esposa, irmã Benedita, e seus filhos, filhas e demais descendentes, parentes, amigos e irmãos em Cristo.

sábado, 8 de outubro de 2011

Cuidado!!! Este Deputado Está Trabalhando Contra o Brasil.

O deputado federal Vicente Cândido, do PT/SP, pretende viabilizar a liberação do consumo de bebidas alcoólicas nos estádios de futebol de todo o Brasil. Em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo deste sábado, ele afirma que futebol não é congresso de freiras ou pastores, e que esse ajuste não deve ficar restrito apenas ao período de disputa da Copa do Mundo de 2014.

A liberação do consumo de bebidas alcoólicas nos estádios é uma das exigências da Fifa, que vai contra as leis brasileiras. No início da semana, a presidente Dilma Rousseff teve reunião com membros da entidade, na Suíça, para discutir o tema. Quando foi deputado estadual, Cândido também trabalhou para tentar liberar as bebidas nos estádios de São Paulo.

Ele não leva em consideração quantos males a bebida alcoólica tem causado ao povo brasileiro, seja em acidentes de trânsito, toda sorte de violência, desagregação familiar e o grande dano que causa ao próprio viciado.

Bebida alcoólica só faz bem para quem vende. Conclusão: ou está à serviço das fabricantes de bebidas alcoólicas, ou da FIFA, ou de ambas. Só não está à serviço do Brasil.

Pessoal de São Paulo, vamos dar o troco nas próximas eleições.

terça-feira, 4 de outubro de 2011

Liderança em Tempos de Crise

Subsídios - Lição 2 - Jovens e Adultos - 4º Tri de 2011 - CPAD
Texto Áureo: Ne. 2:20
Texto Base: Ne. 2:11-18

Líder é aquele que comanda, que controla uma ação, fazendo por sua atuação, que outros indivíduos se interessem e estejam motivados em atingir um objetivo final.

Dentro de uma organização, o líder tem papel fundamental, pois, o resultado alcançado pelo todo será reflexo da atuação daquele que o liderou. É por esta razão que as empresas investem na preparação daqueles que ocuparão postos de líderes em suas respectivas organizações. Na igreja não é diferente. Vejam o que diz o Senhor, através do profeta Oséias.

"Por isso, como é o povo, assim será o sacerdote; e castigá-lo-ei segundo os seus caminhos, e dar-lhe-ei a recompensa das suas obras".

Na Bíblia, encontramos o exemplo singular de liderança: o próprio Senhor Jesus Cristo. Como nenhum outro, Jesus recruta doze distintos senhores, a fim de formarem um grupo coeso, investidos de uma missão. O desafio, diante das características diferentes existentes entre esses discípulos, foi habilmente vencido pelo Senhor, deixando um exemplo singular para a humanidade em todos os tempos e situações.

Outro exemplo onde podemos extrair elementos essenciais para liderança é o de Neemias. Se liderar em momentos "normais", sem sobressaltos, já se configura uma tarefa árdua, imagine liderar numa situação em que o grupo a ser conduzido vem de um processo de degradação e humilhação que lhe retira a esperança e, conseqüentemente, a força para ressurgir.

Este filho de Deus se disponibiliza a conduzir um povo destruído. Era um enorme desafio para Neemias, porém, ele segue os impulsos de seu coração e a fé de seu espírito que o estimula a vencer todas as batalhas, uma a uma, até a vitória final. Vamos recorrer, então, a Palavra de Deus, onde encontramos ponderações sobre a difícil tarefa de liderar em tempos de adversidades.

1. Neemias tem a visão correta do problema (Ne. 1:3; 2:3) - O líder que não enxerga, não saberá qual o desafio a ser vencido.

Na obra de Deus, quando um servo é separado para a função de liderança, o Senhor coloca à sua disposição, dons específicos que o capacitarão a exercê-la adequadamente. Um dos atributos de um bom líder, é a visão. Qual o desafio? Aonde queremos chegar? Como chegar? Quais as ferramentas que temos? Quem pode nos ajudar? Estas são algumas das perguntas que quem exerce liderança se defrontará. A diferença é que o bom líder conhece as respostas.

2. Neemias era altruísta (Ne. 2:4-8; 5:14) - Aquele que só sabe liderar sobre "muito" e não abre mão de benefícios quando houver "pouco", não é um líder, é um mercenário.

Como exigir do povo uma contraprestação quando seus muros estavam derribados, sua nação em ruínas, as famílias afundadas em dívidas e destruídas pela perda de seus filhos? Ainda que a ação de Neemias fosse reparadora, ele, apesar de possuir "direitos" como governador e está coberto pela legalidade, se o exigisse, não ousou colocar mais uma carga sobre o povo.

Neemias é um exemplo a ser seguido por muitos líderes que, mesmo recebendo justas aposentadorias de empresas seculares, relativas ao tempo em que exerciam atividades remuneradas no mercado de trabalho, não abrem mão da ajuda de custo e "prebentas" de igrejas que vivem em estado de penúria. Não conseguem abrir mão nem um mês, quanto mais doze anos, como aconteceu com Neemias.

Deveriam se envergonhar. Porém, além de não se envergonharem, irão assumir púlpitos espalhados pelo Brasil afora, "tentando" ensinar esta preciosa lição tão necessária em dias tão difíceis. Certamente, nem ficarão com a cara vermelha.

3. Neemias é um cuidadoso analista (Ne. 2:11-16) - Um líder que não busca analisar o problema, terá como aliados equívoco e confusão.

O líder precisa ponderar sobre o estado real das coisas. Para isto, não pode tomar medidas e decisões apenas com base em sentimentos, em percepções ou em informações de terceiros. Ele precisa conhecer "in loco", ou seja, no lugar onde o problema acontece. Contar com colaboradores é necessário e de excelente ajuda, no entanto, o líder para cumprir com eficiência seu papel, deve estar na "dianteira" do trabalho. Um líder que manda e não vai junto, é chefe. Um chefe não motiva, pelo contrário, desestimula e se torna um empecilho na solução do problema.

Neemias se dispõe a visitar os muros, as ruas, as fendas, as portas, verifica com os próprios olhos a extensão das dificuldades e a urgência da restauração. Cumpre-nos destacar que uma das razões de muitas denominações estarem em dificuldades administrativas, é porque os pastores se tornaram "chefes de voluntários". Entrincheirados em seus gabinetes, promovem a máxima da inércia: "quando não se quer resolver um problema, forma-se uma comissão e faz-se uma reunião". Desculpem-me. Sou de um tempo em que encontrávamos o pastor liderando o culto e a evangelização, a vigília e a visitação, a escola bíblica e a manutenção.

Podemos e devemos fazer um esforço para imitarmos Neemias e, principalmente, Cristo. E, por favor, a desculpa de que o povo cresceu e a demanda é grande, não serve. A quantidade de pastores que existem podem dar conta do tamanho ou, se for necessário, peçam a Deus que enviem obreiros para sua seara (quer a referência?). Deus fará a parte que lhe cabe, enviará. Mas, os líderes denominacionais devem fazer seu trabalho, treinando, capacitando, dando o exemplo e liberando os novos pastores para exercerem suas atividades com responsabilidade.

O que falta é deixar de lidar com a obra de Deus como se fosse uma indústria de dependentes. Dêem autonomia aos pastores que aí estão, para, com grupos menores, ou seja, congregações locais, possam desenvolver o trabalho para o qual foram chamados.

4. Neemias era um líder discreto (Ne. 2:16; 4:19) - Um líder que se preocupa com a propaganda de si mesmo, desperdiça tempo caiando o sepulcro e já terá recebido seu galardão (se tiver direito a um).

A discrição é uma virtude. O líder não procura se impor aos outros pelo brilho das estrelas penduradas no peito; ele conquista os outros pelo comportamento de alguém que sabe produzir frutos em Cristo. Neemias é exemplo de líder que sabe à hora certa de compartilhar sonhos, sabe o momento certo de apresentar sua análise e conquistar a cooperação dos líderes formais do povo.

A sua discrição foi essencial no sucesso que obteve ao contatar os líderes formais do povo. Apesar dos líderes existentes estarem distantes de Deus (abandono das tarefas sacerdotais, casamentos mistos, etc.), ele soube qual era o momento de prestar à esses líderes as informações sobre sua missão e os fatos vividos que ratificavam o mandado de Deus para ele.

5. Neemias era um líder determinado (Ne. 6:2-15)Nem mesmo falsos líderes e falsos profetas conseguem deter um líder determinado.

As dificuldades materiais/estruturais, os inimigos, os falsos amigos, as limitações pessoais, todos eles são elementos que tentam desestimular o líder chamado por Deus. No entanto, o homem de Deus sabe Quem o chamou e o habilitou para o trabalho.

O objetivo do líder está além do muro das adversidades. Eis aqui uma característica essencial. O líder não vê o problema antes de ter visto a solução. Quando Deus chama é assim. Observe que Neemias já saiu da fortaleza de Susã com oficiais do exército e cavaleiros, além das cartas do rei Ciro que facilitaria sua caminhada e a aquisição de material necessário para a reconstrução.

Tentaram fazer Neemias parar a obra a fim de participar de uma reunião no templo. Tinha até mesmo uma profetisa envolvida. No entanto, um verdadeiro líder, realmente chamado por Deus, conhece a voz do seu Pastor e O segue em sua missão. Ele têm consciência que a obra que Deus lhe confiou é melhor e maior que qualquer mandato político, é mais valiosa que qualquer riqueza e mais urgente que qualquer ato secular.

Conclusão

É preciso ponderar sobre a atuação de um líder chamado por Deus diante de outras pessoas, em sua relação interpessoal, principalmente aqueles que já ocupam função de liderança. Neemias não era um desobediente, incrédulo, arrogante e imaturo. Ele não se apresenta como aquele que deve ocupar o lugar de lider-maior em detrimento a todos os outros existentes.

Os sacerdotes de Judá estavam em situação deplorável em seu ministério, todavia, Neemias não os expulsou ou humilhou-os. Pelo contrário, respeitou suas funções, prestando-lhe conta de sua missão, e orientou-os a voltar a exercer suas funções originais (Ne. 13:30), mesmo porque, Neemias era um copeiro-mor licenciado (Ne. 2:6; 13:6). Após reconstruir e reorganizar seu povo, deveria retornar as suas funções na fortaleza de Susã (que belo exemplo).

Muito ainda temos a aprender com a liderança de Neemias, no entanto, pela limitação do espaço, não podemos avançar. Nossa esperança é que cada irmão, principalmente aqueles que foram chamados por Deus para liderar sua obra, estejam aptos e determinados a realizar sua missão, de tal modo que, ao final, sejam considerados pelo Senhor, "servo bom e fiel" (Mt. 25:21-23).

Ser líder na obra do Senhor é apenas reconhecer ser um instrumento de Deus na manifestação de seu poder e vontade para com seu povo. Seja em tempos "menos ou mais difíceis", o servo de Deus deve empreender esforços no sentido de cumprir com determinação sua missão, sabendo que "o vosso trabalho não é vão no Senhor" (I Co. 15:58).

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Mudar Leis de um País Para Agradar a Fifa?! Isto é uma VERGONHA!

Idec envia carta e pressiona governo contra pedidos da Fifa para mudar legislação
Do UOL Esporte
Em São Paulo


O governo federal continua enfrentando resistência de diversos setores por conta das mudanças que devem ser implantadas em virtude da Copa do Mundo de 2014. Desta vez, o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) anunciou que enviou uma carta nesta segunda-feira a presidente Dilma Rousseff. A entidade reclama de alguns pontos da Lei Geral da Copa, que tramita na Câmara.

Segundo comunicado do Idec, as críticas são em virtude das possíveis mudanças no Estatuto do Idoso, no Estatuto do Torcedor, no Código de Defesa do Consumidor, além da política estadual de meia-entrada a estudantes. Todas essas alterações seriam realizadas durante o Mundial para atender os interesses comerciais da Fifa.

Comento:

O Estatuto do Idoso, o Estatuto do Torcedor, o Código de Defesa do Consumidor, além da política estadual de meia-entrada para estudantes, foram medidas tomadas visando garantir e preservar direitos das pessoas, diga-se de passagem, de "brasileiros".

Até que ponto devemos aceitar mudanças na legislação para privilegiar uma entidade privada - famigerada FIFA, que atua visando lucro? Que preço o povo brasileiro deve pagar para promover um espetáculo lucrativo para a FIFA, como é a copa do mundo de futebol?

Retirar direitos do povo (idosos, torcedores, estudantes, consumidores de modo geral), via "mudança da legislação", apenas para "facilitar" a gula dessas bestas-feras por dinheiro, é um verdadeiro absurdo.

Sigamos o bom exemplo do IDEC, NÃO ACEITE! SE MANIFESTE!

Envie e-mails para "nossos representantes", recomendando-os a não permitirem essa aberração.

DIGA NÃO!!! A MUDANÇA DE LEIS BRASILEIRAS PARA BENEFICIAR A FIFA!

Horário de Verão na Bahia.

O governador do Estado, Sr. Jaques Wagner, confirma horário de verão na Bahia.

No próximo sábado, dia 15 de outubro, a Bahia também vai adiantar os relógios em uma hora, assim como as regiões sul, sudoeste e centro-oeste. Depois de 8 anos sem mudar os ponteiros, a Bahia agora é o único estado do nordeste a seguir o horário de Brasília. O horário de verão vale a partir do dia 16 de outubro até o dia 26 de fevereiro.

Os irmãos não precisam se preocupar com os horários de início dos cultos. Adiantando os ponteiros em uma hora, à meia-noite do dia 15, continuarão sendo realizados nos horários tradicionais: Quando a igreja encher, ou quando o pastor chegar, ou quando irmão que fica com a chave da porta conseguir abrir o cadeado, ou quando o irmão que cuida do som ligar os microfones ou quando os músicos terminarem de afinar os instrumentos. O que acontecer primeiro, ou... depois que todas estas coisas se realizarem.  

Quanto ao término, aí são "outros quinhentos". Quando o pregador terminar de pregar, ou quando terminarem os avisos de ensaios, reuniões, circulo de oração, ou quando aquele grupo que não se reuniu a tempo no início do culto terminar de cantar no final, ou quando o pastor que estava na secretaria vier para impetrar a bênção apostólica...

Anotem.