Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2014

Mulher de Malandro Decidirá Eleição

Por GUILHERME FIUZA (http://epoca.globo.com/colunas-e-blogs)


O eleitorado diz que quer mudança, mas pretende reeleger Dilma. É puro chavismo.


O Brasil está fazendo tudo certo para se tornar, em 2014, um país pior. Segundo uma pesquisa Datafolha, 66% dos brasileiros querem mudanças no governo. É um dado novo e expressivo. Parece mostrar que a população enfim percebeu como é governada, descobriu o engodo administrativo que avacalha as contas públicas brasileiras. E como o Brasil quer mudar esse estado de coisas? Elegendo Dilma Rousseff no primeiro turno. É o que dizem o Datafolha e todos os institutos de pesquisa. Ou seja: o eleitorado brasileiro concorre ao troféu mulher de malandro 2014. Comento. Das duas uma: Ou os Institutos de pesquisa, que apontam a vitória da Dilma no primeiro turno, estão manipulando vergonhosamente os dados, ou, como diz o articulista no texto, é o “samba do crioulo doido” embalando o chavismo tupiniquim. O que me parece é que o povo brasileiro chegou a um tal ponto…

Mais Um "Crime Homofóbico" Praticado Por Uma Lésbica

Por Euzeni Daltro A atendente de loja Joseane Andrade da Silva, 29 anos, se apresentou na manhã desta segunda-feira, 13, na 23ª delegacia (Lauro de Freitas) e confessou ter matado a facadas a ex-companheira, a empresária Fernanda Iara Marques Soares, 36, conforme informou a delegada Andrea Barreto Arrais. Joseane, que responde inquérito em liberdade, negou que a motivação do crime foi financeira. "Joseane confessou o crime e disse que se sentiu triste e humilhada por ter terminado a relação com uma pessoa e permanecido na casa, além de ter sentido ciúmes do relacionamento da vítima com outra pessoa", afirmou a delegada, que preside o inquérito. Comento: Este é mais um crime que vai entrar na estatística dos "crimes homofóbicos". Já disse e repito. Para acabar com os ditos "crimes homofóbicos", basta os gays pararem de matar gays.

Nigéria Proíbe Casamento-gay

Agência Estado
O presidente da Nigéria, Goodluck Jonathan, promulgou uma lei que proíbe o casamento entre pessoas do mesmo sexo e criminaliza grupos e associações de defesa dos direitos dos homossexuais, com penas que podem chegar a 14 anos de reclusão. O texto também proíbe o funcionamento de boates gays e pune seus frequentadores.
A lei foi promulgada pelo presidente nigeriano no dia 7 e a informação publicada nesta segunda-feira, depois que a Associated Press teve acesso a uma cópia do texto. A lei foi aprovada pelo Parlamento nigeriano em 17 de dezembro.
"Uma pessoa que registre, opere ou participe de boates, associações ou organizações gays e direta ou indiretamente faça demonstração pública de relacionamento amoroso do mesmo sexo na Nigéria comete crime sujeito a condenação de dez anos de prisão", segundo o texto da lei. Fonte: Associated Press.