Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2013

Não é Fácil

A maior batalha que travo todos os dias não é contra o diabo, o mundo ou um outro semelhante, é contra mim mesmo. Desde que as verdades de Cristo me foram apresentadas, acreditei nelas e fui crescendo na compreensão dos valores ali embutidos. Desde então, vivo sendo tentado a desistir por causa das injustiças, da minha carne e da apostasia. Como antídoto, passei a considerar como "esterco" tudo que me fosse oferecido no "lugar" dos altos valores de Deus, e considerar como preciosa a graça e o amor inefável dEle por mim e pelos outros. Não é fácil, é dolorido, aparentemente (lembram de Elias?) solitário, mas, gratificante pela liberdade que experimento por conhecer a "Verdade que liberta".

Antes, convencido, agora, convertido; antes, um menino, agora, um homem; antes, um servo, agora, um filho; antes, um empregado, agora, um herdeiro; antes, um cego, agora, alguém que viu a "luz" e, fixando os olhos n'Ele, se arrasta tentando seguí-lo para onde E…

Homens e Animais

Os defensores da libertação animal preferem que sejam os homens no lugar dos bichos nos laboratórios? (Por João Pereira Coutinho - http://www1.folha.uol.com.br - 22.10.2013) É uma marca de progresso: a discussão sobre os "direitos dos animais" chegou ao Brasil. Com estrondo: leio nesta Folha que centenas de cachorros foram resgatados de um instituto de pesquisa médica no Estado de São Paulo. A violência veio a seguir, com carros vandalizados ou completamente destruídos. Nada de novo na frente ocidental. Na Inglaterra, por exemplo, tenho amigos que trabalham com ratinhos de laboratório em suas pesquisas científicas. Nenhum deles comenta o fato em ambientes, digamos, sociais. Como bares, cinemas, restaurantes. Nunca se sabe: pode haver um fanático da "libertação animal" por perto e as coisas descarrilam facilmente. Como já descarrilaram no passado: histórias de insultos, ameaças de morte, agressões físicas e até profanação de sepulturas de familiares de cientistas faz…

Minhas Reflexões Sobre Temas Bíblicos Não Servem Para a Igreja...

Minhas reflexões sobre a Bíblia, no que diz respeito ao cristianismo, dogmas, usos e costumes, lei e graça, finanças, família, ministério pastoral feminino, não servem...

üPara a igreja que não se contenta com o valor histórico e moral do AT, confundindo com um banco de regras que devem ser preservados a despeito do novo pacto firmado por Deus em Cristo;

üPara a igreja que coloca o cristianismo acima e independente do Seu Cristo;

üPara a igreja que dá maior valor as tradições em detrimento das doutrinas cristãs;

üPara a igreja que invés de ênfase nos princípios da decência e da prevenção ao constrangimento, enfatizam regras como vestuário, corte de cabelo e penduricalhos. Aquela educa, esta, oprime;

üPara a igreja que reinventa a lei para escravizar na graça;

üPara a igreja que "cobra" colaboração financeira ameaçando com o "migrador", o "devorador", o "cortador", o "destruidor", a "locusta", o "pulgão" e outros bichos ma…

Consideração da Presidente Dilma Rousseff Sobre o Dia das Crianças

Afastem as crianças em idade escolar da sala... Este texto se destina aos adultos resistentes, pois, os profundos mistérios revelados exigem do leitor enorme esforço para compreensão. Com a palavra a "filósofa", D. Dilma Rousseff - sobre o Dia das Crianças: “Eu, primeiro, queria dirigir um cumprimento aqui aos nossos prefeitos e às nossas prefeitas, e dizer que muito me honra a presença deles aqui hoje. E, em especial, uma vez que eu estou aqui nesta cidade tão querida que é Porto Alegre, cumprimentar o nosso prefeito Fortunati e a querida, a primeira-dama Regina Becker. Principalmente porque, se hoje é o Dia das Crianças, ontem eu disse que criança… o dia da criança é dia da mãe, do pai e das professoras, mas também é o dia dos animais. Sempre que você olha uma criança, há sempre uma figura oculta, que é um cachorro atrás, o que é algo muito importante.” (Transcrito do site do Planalto por Reinaldo Azevedo). O Ministério da Saúde adverte: "Favor não tentar falar desse jeito…

A Palavra e o "Espírito" da Palavra

ADORO minha família - Não significa que minha relação com ela é do mesmo tipo do meu relacionamento com Deus. Posso idolatrar alguém dizendo simplesmente que gosto dela (p.ex.: a relação fã/ídolos); Eu sou INCOMPETENTE para programar um computador - Não significa que eu seja INCOMPETENTE para dirigir um carro, escrever um livro ou jogar futebol. A minha INCOMPETÊNCIA como programador de computadores não me torna desqualificado para outras atividades; Eu tenho ORGULHO da minha mãe - Não se trata do mesmo orgulho que se considera superior aos outros ou impede o homem de reconhecer Deus e, humildemente, se aproximar d'Ele; Sou IGNORANTE com relação a física quântica - Não significa que eu seja bruto ou um completo alienado; Pois é... "Ele nos capacitou para sermos ministros de uma nova aliança, não da letra, mas do Espírito; pois a letra mata, mas o Espírito vivifica" (2 Co. 3:6).

Amar a Deus Acima de Todas as Coisas é, Também, Não Compará-Lo Com Todas as Coisas.

Quem vem primeiro? "primeiro, Deus, depois, nossa família, depois, nosso trabalho..." e assim, prosseguimos em nossa avaliação de Deus. Esquecemos que quando avaliamos, julgamos. A pergunta é: "podemos julgar Deus?" Quais os "justos" critérios mentes imperfeitas, finitas e limitadas se utilizam para avaliar uma Mente perfeita, ilimitada e eterna? Não consigo entender porque colocamos Deus dentro de nossa escala de valores e nos achamos com condições de analisarmos e sentenciarmos Deus. Mesmo que o resultado de nossa avaliação seja a colocação de Deus acima da família, do trabalho, da igreja e até de nós mesmos, não esconde nossa arrogância em, inconscientemente, avaliarmos Deus comparando-o com pessoas e instituições limitadas e imperfeitas. Deus é "hours concurs" (termo utilizado para algo excepcional que vai ser apresentado numa exposição, num concurso, sem estar competindo com os demais, sendo, apesar da subjetividade, considerado de qualidade …

Minha Mãe, Meu Orgulho.

Há dias que desejo escrever sobre minha mãe. Passando o que passamos nestes últimos anos, tento dimensionar o que ela, especificamente, passou... e sofreu... e viveu.
Não escolhemos nascer, nem onde nascemos, apenas, nascemos. A partir daí, nossa opção é encarar a vida como ela é e fazer escolhas de menor importância, apenas na esperança de alcançar o propósito final de todos: “a felicidade”.
Minha mãe foi uma jovem, como outra qualquer, que desejava viver os sonhos juvenis de felicidade em sua realidade de vida adulta. Aos dezenove anos, recebe a visita de um jovem, Cazildo, que a deseja conhecer e casar.

Cazildo era do tipo “sem lenço, sem documento, nada no bolso, nem nas mãos”, mas, tinha coragem, boa conversa, não era preguiçoso, nem cafajeste. Sabia se comunicar e, naquele tempo, as mulheres simplesmente encaravam o candidato que conseguisse a autorização dos pais. Isto Cazildo conquistou e, assim, Valdete seguiu aquele itinerante para uma vida de alegrias, tristezas, desafios e s…

Uma Família na Qual Vale a Pena Pertencer

Bom seria que vivessemos felizes, desfrutando de todo conforto, alegria e sossego que o dinheiro pode nos dá. Para mais de 90% dos brasileiros isso é sonho, utopia até. O dinheiro recebido por 30 dias de árduo trabalho, chega ao fim do mês, sobrando mês e faltando dinheiro. Mas, há um lado bom nas dificuldades, no sofrimento que somos obrigados a encarar. É através das adversidades que mostramos nossa cara, nosso caráter, nosso valor.

Minha família é grande (Maior que esse  texto). E como é bom pertencer a uma família grande. Sem me prender a detalhes, éramos quatorze (minha mãe, meu pai, eu, meu irmão, o outro meu irmão, o irmão do meu irmão, o outro irmão, o irmão desse irmão, a irmã, a irmã dessa irmã, minha irmã, e outra irmã, e a irmã da minha irmã...) e hoje somos em TRINTA E DOIS!!! Mãe, filhos, filhas, cunhados, cunhadas, netos, netas e bisneta. É gente!
Comunicação ruidosa, fácil e difícil, gerando compreensão e incompreensão, promovendo união e desunião, companherismo e entr…