sábado, 30 de julho de 2011

30.000.000 de Sem-Vergonhas


30/07/2011 - 20h02

Governo e patrocinadores tentam 'camuflar' falhas no primeiro evento da Copa no Brasil

Bruno Freitas, Ricardo Perrone e Thales Calipo
No Rio de Janeiro

Cinco dias e R$ 30 milhões de dinheiro público depois, o Brasil passou pelo primeiro grande teste da Copa do Mundo de 2014. E o resultado só não foi pior porque o Comitê Organizador Local (COL) contou com o precioso auxílio de alguns de seus patrocinadores e, principalmente, das três esferas governamentais.

A começar pelo dinheiro para realizar o sorteio preliminar do Mundial, primeiro grande evento do torneio que aconteceu no país, neste sábado, na Marina da Glória. Para garantir que a cerimônia acontecesse no Rio de Janeiro, os governos municipal e estadual tiveram de abrir os cofres e pagaram R$ 15 milhões cada. O dinheiro foi para a Geo Eventos, ligada à Rede Globo, e responsável pela organização.

Esta notícia retirada do UOL Esporte é apenas para demonstrar o que fazem os políticos e essa gente boa que ama o Brasil e estão em todo o momento defendo postura ética e moral em nosso país. Não assistir o evento. A minha indignação não deixou. Gastaram R$ 30.000.000,00 (...) do dinheiro público (municipal e estadual), apenas para fazer um sorteio das partidas de eliminatórias para a Copa do Mundo.

Esta é a demonstração clara da seriedade com que eles tratam nosso dinheiro. Quem quiser que continue acreditando na boa-fé dessa gente. Imaginem gastar R$ 30.000.000,00 (...) apenas para fazer um sorteio-bobo, coisa que eles mesmos poderiam fazer, em qualquer salão, com dinheiro deles (Globo, CBF, FIFA ou seus patrocinadores). Mas, não. Eles têm que meter a mão em nosso bolso e arrancar o dinheiro que se destina a saúde, a segurança, a moradia, a limpeza e conservação de nossas cidades e outros serviços-afins, para patrocinar a diversão de uns poucos e o conforto de uma quantidade menor ainda. Enquanto isto, a região serrana do Rio de Janeiro que sofreu aquela tragédia há poucos meses atrás, continua lá (será que o governador do Rio de Janeiro, Sr. Sérgio Cabral, ainda se lembra?) com sua gente dependendo das doações para levantarem a cabeça.

No sorteio dos “caras de pau”, lá estavam todos: Presidente, Governadores, Prefeitos, magnatas do futebol e políticos de toda raça. Estavam lá “reis e rainhas”, jornalistas acima do bem e do mal, jogadores de futebol que aparecem como bons meninos porque interessados em “defender a pátria” nos campos de futebol do mundo. A Rede Globogay, aquela que vive “pensando em você - gay”, também estava lá. Aliás, sendo beneficiária da fortuna de R$ 30.000.000,00 (...) apenas para estar e transmitir direto do “picadeiro”.

É isto. Todo mundo quer que o Brasil mude. Quer que ele deixe de ser o país da corrupção, da violência, da falta de oportunidade para todos, da desigualdade social, dos políticos oportunistas e desonestos, mas, na hora “H”, “todos se juntam para desfrutar do dinheiro da rica viúva”. Sabem por quê? Porque o circo tem que continuar.

O problema é que neste circo os palhaços somos nós, povo brasileiro!

E eles riem na e da nossa cara.

Nenhum comentário: