sábado, 28 de janeiro de 2012

Síndrome da Torcida Adversária


A "Síndrome da Torcida Adversária" é aquele desejo perniciososo de ver o outro se dando mal; é a manifestação da maldade explícita. É um sentimento que jamais deveria permear o coração humano, especialmente, o coração de um cristão, pois, a proporção que crescemos em Cristo, compreendemos o bem, a benignidade, como algo inseparável do nosso ser.

Em uma época em que o evangelho é entendido como sem exigência de um comportamento diferenciado da carnalidade, esta síndrome não é nem mesmo reprovada. E alguns casos, ela prolifera no tecido social como praga em lavoura descuidada.

Que o homossexual se ferre! que o bandido se ferre! que o político corrupto se ferre! que o pastor se ferre! que a prostitua se ferre! que o prefeito, governador e a presidente se ferrem! que aquele que me tem por seu inimigo se ferre!

"Confundimos reprovar o erro com torcer para que o errado se dê mal".

Que pena! Muitos, até mesmo se dizendo cristãos, folgam porque o outro se deu mal. Por não gostar, não ir com a cara, não ter entendido seu comportamento, não ter gostado do seu tratamento, não ter recebido honra, não ter recebido atenção, acreditam justificados em sua carnal atuação.

"Quanto mais desejamos o mal, mais afastados de Deus estamos".

Mas, que pena! O evangelho de Cristo é puro, santo e bom, mas, na vida destes, se torna um elemento desprezível, inócuo, insípido. Por isso, no ambiente cristão, quando alguém perde e a torcida grita de alegria, não percebem que todos foram jogados ao chão.

"Não te deixe vencer do mal, mas, vence o mal com o bem" (Rm. 12:21)

Nenhum comentário: