Pular para o conteúdo principal

Síndrome da Torcida Adversária


A "Síndrome da Torcida Adversária" é aquele desejo perniciososo de ver o outro se dando mal; é a manifestação da maldade explícita. É um sentimento que jamais deveria permear o coração humano, especialmente, o coração de um cristão, pois, a proporção que crescemos em Cristo, compreendemos o bem, a benignidade, como algo inseparável do nosso ser.

Em uma época em que o evangelho é entendido como sem exigência de um comportamento diferenciado da carnalidade, esta síndrome não é nem mesmo reprovada. E alguns casos, ela prolifera no tecido social como praga em lavoura descuidada.

Que o homossexual se ferre! que o bandido se ferre! que o político corrupto se ferre! que o pastor se ferre! que a prostitua se ferre! que o prefeito, governador e a presidente se ferrem! que aquele que me tem por seu inimigo se ferre!

"Confundimos reprovar o erro com torcer para que o errado se dê mal".

Que pena! Muitos, até mesmo se dizendo cristãos, folgam porque o outro se deu mal. Por não gostar, não ir com a cara, não ter entendido seu comportamento, não ter gostado do seu tratamento, não ter recebido honra, não ter recebido atenção, acreditam justificados em sua carnal atuação.

"Quanto mais desejamos o mal, mais afastados de Deus estamos".

Mas, que pena! O evangelho de Cristo é puro, santo e bom, mas, na vida destes, se torna um elemento desprezível, inócuo, insípido. Por isso, no ambiente cristão, quando alguém perde e a torcida grita de alegria, não percebem que todos foram jogados ao chão.

"Não te deixe vencer do mal, mas, vence o mal com o bem" (Rm. 12:21)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Porteiro, Auxiliar, Diácono, Presbítero, Evangelista, Pastor. E Mais. Missionária, Bispo, Apóstolo. O Que é Tudo Isso?

De repente, somos sobressaltados com a notícia: "Mais algumas dezenas, e até centenas, de novos obreiros para servir no Reino de Deus". A notícia seria boa, se guardasse a essência dos requisitos bíblicos exigidos para novos obreiros e preservassem o propósito divino na separação de novos chamados.
Para que precisamos de porteiros? Óbvio. Para guardar as portas. Porteiro era considerado Levita, desenvolvia, também, a tarefa de arrecadador de ofertas (2 Cr. 31:14) e vigia (Mc. 13:34); Jesus menciona o porteiro como responsável pela guarda da porta do aprisco das ovelhas (Jo. 10:3; ver também Ed. 7:24). É improdutivo, uma igreja de porta única, com uma quantidade exagerada de porteiros para servir.
Para que precisamos de auxiliares? Há pessoas mencionadas na Bíblia como "cooperadores", no entanto, sem evidência de se referir a um cargo. Eram pessoas que haviam prestado algum tipo de auxílio à alguém, em algum momento específico (Fp. 2:25; At. 20:35). Pode ser até o mes…

CEADEB x ADESAL - É feio, muito feio!

Os desdobramentos do litígio entre o presidente da CEADEB e o presidente da ADESAL prossegue revitalizando as feridas causadas pelo rompimento do vínculo de alguns pastores de sua convenção (CEADEB).
No mais recente episódio, uma decisão judicial interlocutória - sem definição de mérito - tomada na ação que a CEADEB move contra a ADESAL, foi entendida como um ato de destituição do pastor Israel Ferreira do comando da Assembleia de Deus em Salvador. Sem querer entrar nas questões técnicas da decisão (deixo isto para os advogados e rábulas), a decisão não dá nada a ninguém, haja vista uma série de “condicionantes” expressos no comando judicial. Na verdade, a decisão da desembargadora é uma espécie de carta do apóstolo Paulo aos Coríntios na versão para os assembleanos baianos: “se entendam!”
Ato seguinte a decisão mencionada, o pastor Valdomiro Pereira distribui um vídeo para os obreiros assembleanos. Nele, informa (ou desinforma) a plateia que o pastor Israel Ferreira foi destituído do…

QUANDO É HORA DE MUDAR DE IGREJA

Igreja, genuinamente falando, é aquele lugar onde se reúne um grupo de seguidores de Cristo com objetivo de adorar a Deus, receber ensinamentos, evangelizar e ajudar uns aos outros (At. 2:40-47). Foi com esta clara missão em mente que o apóstolo Paulo informa-nos que Deus colocou à nossa disposição os dons espirituais, a fim de edificarmos uns aos outros e estarmos aparelhados para proclamação do evangelho. Tiago esclarece outro ponto principal da igreja, dizendo que a verdadeira religião é cuidar das viúvas e dos órfãos nas suas necessidades. Por fim, as características da igreja primitiva que a tornou marcante, referência de igreja bíblica, foi que eles tinham tudo em comum e ninguém sentia falta de nada, eram solidários no partir do pão, desfrutavam da comunhão e comungavam da doutrina dos apóstolos, esta, por sua vez, Cristocêntrica.

No domingo passado fui à igreja com minha família e contei. Numa rua com, aproximadamente, quinhentos (500) metros de comprimento, cerca de treze (13…