Pular para o conteúdo principal

A Artista Que Se Imagina "Legislativo, Executivo e Judiciário".

29.01.2012 - 7:04
A roqueira Rita Lee, 67 anos, foi detida em Aracaju na madrugada deste domingo (29). Prenderam-na depois da realização de um show na capital sergipana, sob a acusação de “desacato”.

Entre uma música e outra, Rita avistou a presença de policiais na platéia. Abespinhou-se. Convidou-os a se retirar: “Vocês são legais, vão lá fumar um baseadinho.” Súbito, um dos policiais achegou-se ao palco. Rita dirigiu-lhe qualificações inamistosas: “cavalo”, “cachorro”, “filho da p...”. Desafiou-o: “Sobe aqui”.

A despeito do entrevero, a polícia absteve-se de interromper a apresentação. Abordada no final, Rita foi em cana.

(Fonte:http://josiasdesouza.blogosfera.uol.com.br)

Comento:

Alguns artistas, a exemplo da roqueira mencionada na reportagem, acreditam possuírem o mandato majoritário outorgado, sabe lá Deus por quem, para estabelecer e revogar as leis. Acostumados ao ambiente de época da ditadura militar, onde as manifestações contrárias ao regime eram consideradas heroicas, não conseguem se atualizar e entender como viver num estado democrático de direito. Acreditam estarem acima do bem e do mal, podendo, ao seu bel prazer, estabelecer o que as pessoas podem ou não fazer.

No Brasil o uso da maconha ainda é considerada crime, e por tal, a polícia tem o dever de coibir, aplicando os rigores da lei a qualquer brasileiro, inclusive Rita Lee. Além do mais (vi a cena na TV), como retratado acima, ela agride gratuitamente os policiais apenas pelo fato de estarem limitando a “liberdade” dos seus fãs de fazerem o que quiserem.

Na verdade, a Sra. Rita Lee, representando um monte, não confunde regimes. O que ela não consegue é viver num estado de direito, ela não consegue conviver com limitações em sua existência imposta pelos outros. O regime que ela gosta é a anarquia, a ausência de qualquer ordem. Só não compreende que uma sociedade não sobrevive com o caos, pois, é preciso um mínimo de regras para que pessoas possam conviver umas com as outras. Na anarquia quem impõe leis é o mais forte. Ela gosta da anarquia, pois a falsa sensação de força que o fato de ser uma artista conhecida lhe dá, lhe cria um ambiente em que, acredita, pode fazer o que quiser e nada lhe será cobrado.

A Sra. Rita Lee se imagina o "Poder Legislativo", porque se acha no direito de revogar leis; se imagina o "Poder Executivo", haja vista que, como pode revogar leis, por via de consequência, pode dar ordens à Polícia Militar; se imagina o "Poder Judiciário", porque, como não há leis, ela não pode responder por crime que, acredita, não cometeu. Então, ela determina aos seus fãs: "podes fumar teu baseado e, "garanto", nada acontecerá". Ela se acha acima do bem e do mal.

Naturalmente, alguns integrantes dessa mesma estirpe vão aparecer em sua defesa e achará um absurdo o que a Polícia Militar de Sergipe fez. Essa turma se acostumou a fazer o que dá em suas cabeças e serem tratados como heroínas e heróis. O problema é que não entendem que são heroínas e heróis de um tempo que se foi.

Há leis no Brasil estabelecendo a maconha como droga e, de fato, é. Se quiserem mudá-la, convençam os deputados e senadores a fazerem. Assim é que funciona num regime democrático, isto porque, no Estado Democrático de Direito quem estabelece as leis e as revogam são os representantes do povo. Bem ou mal, são eles que receberam mandato para isso. Aos demais, cabe cumprir as leis estabelecidas, caso contrário, a Polícia Militar e o Poder Judiciário tem o dever de discipliná-los. Assim é o viver em uma sociedade democrática.

Está de parabéns a Polícia Militar do Estado de Sergipe. Agora cabe ao Poder Judiciário educá-la, já que a escola e a família que ela frequentou não tiveram êxito.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Porteiro, Auxiliar, Diácono, Presbítero, Evangelista, Pastor. E Mais. Missionária, Bispo, Apóstolo. O Que é Tudo Isso?

De repente, somos sobressaltados com a notícia: "Mais algumas dezenas, e até centenas, de novos obreiros para servir no Reino de Deus". A notícia seria boa, se guardasse a essência dos requisitos bíblicos exigidos para novos obreiros e preservassem o propósito divino na separação de novos chamados.
Para que precisamos de porteiros? Óbvio. Para guardar as portas. Porteiro era considerado Levita, desenvolvia, também, a tarefa de arrecadador de ofertas (2 Cr. 31:14) e vigia (Mc. 13:34); Jesus menciona o porteiro como responsável pela guarda da porta do aprisco das ovelhas (Jo. 10:3; ver também Ed. 7:24). É improdutivo, uma igreja de porta única, com uma quantidade exagerada de porteiros para servir.
Para que precisamos de auxiliares? Há pessoas mencionadas na Bíblia como "cooperadores", no entanto, sem evidência de se referir a um cargo. Eram pessoas que haviam prestado algum tipo de auxílio à alguém, em algum momento específico (Fp. 2:25; At. 20:35). Pode ser até o mes…

CEADEB x ADESAL - É feio, muito feio!

Os desdobramentos do litígio entre o presidente da CEADEB e o presidente da ADESAL prossegue revitalizando as feridas causadas pelo rompimento do vínculo de alguns pastores de sua convenção (CEADEB).
No mais recente episódio, uma decisão judicial interlocutória - sem definição de mérito - tomada na ação que a CEADEB move contra a ADESAL, foi entendida como um ato de destituição do pastor Israel Ferreira do comando da Assembleia de Deus em Salvador. Sem querer entrar nas questões técnicas da decisão (deixo isto para os advogados e rábulas), a decisão não dá nada a ninguém, haja vista uma série de “condicionantes” expressos no comando judicial. Na verdade, a decisão da desembargadora é uma espécie de carta do apóstolo Paulo aos Coríntios na versão para os assembleanos baianos: “se entendam!”
Ato seguinte a decisão mencionada, o pastor Valdomiro Pereira distribui um vídeo para os obreiros assembleanos. Nele, informa (ou desinforma) a plateia que o pastor Israel Ferreira foi destituído do…

QUANDO É HORA DE MUDAR DE IGREJA

Igreja, genuinamente falando, é aquele lugar onde se reúne um grupo de seguidores de Cristo com objetivo de adorar a Deus, receber ensinamentos, evangelizar e ajudar uns aos outros (At. 2:40-47). Foi com esta clara missão em mente que o apóstolo Paulo informa-nos que Deus colocou à nossa disposição os dons espirituais, a fim de edificarmos uns aos outros e estarmos aparelhados para proclamação do evangelho. Tiago esclarece outro ponto principal da igreja, dizendo que a verdadeira religião é cuidar das viúvas e dos órfãos nas suas necessidades. Por fim, as características da igreja primitiva que a tornou marcante, referência de igreja bíblica, foi que eles tinham tudo em comum e ninguém sentia falta de nada, eram solidários no partir do pão, desfrutavam da comunhão e comungavam da doutrina dos apóstolos, esta, por sua vez, Cristocêntrica.

No domingo passado fui à igreja com minha família e contei. Numa rua com, aproximadamente, quinhentos (500) metros de comprimento, cerca de treze (13…