segunda-feira, 1 de abril de 2013

Diálogo Entre Um Cristão e Um Gay

Gay - Oi.
Cristão - Oi.
G - Que babado, hein!
C - Verdade. Há muita grita e pouca ponderação.
G - Você também é homofóbico?
C - Depende do que você define como homofóbico.
G - Ah, esse pessoal que não gosta de homossexuais, que dizem que é pecado, que vão pro inferno, que ficam falando contra a gente... que é do contra, entendeu?
C - Bom, deixa eu te explicar por partes. Não gostar de homossexuais é uma coisa, não gostar da prática homossexual é outra. Prática é aquilo que se faz, enquanto que o homossexual é aquele que faz, correto?
G - Sei...
C - Pois, bem. Eu não gosto do que fazem, mas, respeito a escolha de fazer e quem faz.
G - Huummm...
C - Outra coisa que você perguntou é com relação a pecado e inferno. Estas questões são eminentemente religiosas, e na religião cristã, toda base de doutrina é aquela exposta na Bíblia Sagrada. É ela quem diz, tanto no Novo Testamento (Romanos, Coríntios, Apocalipse) quanto no Velho Testamento (Pentateuco), ser a homossexualidade uma abominação perante Deus e, portanto, pecado. Quanto ao inferno, é o mesmo Livro Sagrado que declara ser este o lugar de destino de todo pecador, não arrependido, que permanece na prática do pecado (1 Co. 6:10). Peço que observe a existência de outros delitos que, a semelhança do homossexualismo, tem como pena viver a eternidade distante de Deus. São eles: devassos, adúlteros, ladrões, avarentos, maldizentes, mentirosos, idólatras (Ap. 21:8). Ih, a lista é grande.
G - Mas, que absurdo.
C - Pois, é . É nesse livro que nós, cristãos, acreditamos. Agora, deixa eu te dizer: não fomos nós que o escrevemos. Nós apenas acreditamos nele.
G - Ah! é por isso que vocês tem essa visão preconceituosa?
C - Esta é a sua opinião e eu não concordo com ela. Pré-conceito é a opinião que emitimos, com base numa ideia que possuimos antes de conhecer do fato. Então, não se trata de pré-conceito. Desde que o mundo é mundo, a Bíblia é a Bíblia e o cristianismo é o cristianismo este é um conceito bíblico. Não mudou, continua o mesmo, porque a questão da homossexualidade é conhecida desde muito tempo atrás. Você já ouviu falar de Sodoma e Gomorra?
G - Já ouvir alguma coisa.
C - Pois é. É da cidade de Sodoma que vem o termo utilizado como definição para homossexualidade, ou seja, "sodomia". E foram, ambas as cidades, destruídas por Deus por esta razão. É exatamente por isto que não se pode falar de preconceito. A homossexualidade, desde que conhecida no mundo, é identificada como um erro diante de Deus.
G - Mas, utilizar a Bíblia, esse livro antigo e ultrapassado, como base para definir como erro a homossexualidade é injusto. Estamos na pós-modernidade. Tempo de luz, de cores, de diversidade, da aceitação do outro como ele é.
C - Deus aceita o mentiroso, mas, deseja que ele mude e pare de mentir. E porquê? Porque mentir é viver uma falsidade e Deus deseja que sejamos uns para com os outros o que realmente somos. Mentir para Deus é uma bobagem, pois, Ele, sendo quem é, conhece toda verdade. Quanto a utilizar a Bíblia como base de nossos pensamentos, não vejo problema algum. Nas universidades os mestres se utilizam de escritos de Karl Marx, Nietzsche, Sigmund Freud e tantos outros ateus e humanistas secularizados como base de pensamento e não escuto ninguém reclamando disto. Ora, por que os conceitos formulados a partir dos escritos desses homens são melhores que os meus formulados a partir da Bíblia?
G - É, mas por causa dessa forma de encarar a homossexualidade muitos gays tem sido mortos no Brasil.
C - Desculpe-me, mais isso é uma falácia e a razão é muito simples. Cerca de 70% dos gays assassinados tiveram como algozes seus companheiros, e no percentual restante, 30%, nenhum dos autores eram cristãos. Como se vê é mentira. Sem falar que o nº de gays mortos no Brasil, em relação ao nº dos demais brasileiros mortos, é ínfimo. Obviamente que a morte de um único brasileiro, seja hétero ou homossexual, é algo que merece nossa reprovação. Dito isto, deveríamos estar mais empenhados em acabar, ou minimizar, com a violência de maneira geral do que preocupados com o próprio umbigo.
G - Ah, sei. Mas, já é tarde e preciso ir embora. Outro dia a gente prossegue nossa conversa.
C - Ok. Mais uma coisa. Temos profunda e sincera compaixão por todos os seres humanos, inclusive os homossexuais, porém, como cristãos, não podemos afirmar outra coisa que não seja a reprovação de Deus para esta prática. Você não precisa de nossa aprovação para viver sua vida, mas, não pode exigir nossa concordância ou silêncio quando nos perguntam sobre isto. Não queremos impor nossa visão e princípios sobre a sociedade, mas, também, não podemos permitir que ativistas gays obriguem os brasileiros a adotar seus conceitos como únicos e absolutos e, o que é pior, obrigar as igrejas cristãs brasileiras a aceitarem de boca fechada. A tolerância e o respeito a diversidade é o que queremos para nós, para vocês e os demais brasileiros. tem muitas outras incompreensões que, se tivermos outro papo, faço questão de esclarecer. Deus o abençoe.

Nenhum comentário: