Pular para o conteúdo principal

Daniela Mercury e Seu Protesto Contra Feliciano

A cantora de axé publicou uma foto da "esposa" como forma de protesto contra o deputado Marcos Feliciano na Comissão de Direitos Humanos da Câmara.

Há gente que usa cartazes, fazem passeatas, invadem propriedade particular e pública, expõe seios, deitam no chão, queimam lixo, etc. Outro dia foram duas velhinhas que protestaram se beijando. Observem que ninguém queima dinheiro ou joga ouro no meio da rua como forma de protesto, ou seja, ninguém destrói aquilo que dá valor para protestar. Vamos em frente...

Estamos num país livre (pena que mais para uns do que para outros), e apesar de alguns desses atos excederem os limites da lei, como por exemplo, invasão de propriedade particular e pública, e impedir o ir e vir das pessoas que não participam do ato, a democracia concede às pessoas a opção de, livremente, se manifestarem sobre qualquer coisa. Podemos até não concordar com a forma, mas, respeitamos o direito.

O que muito se ouve é que ninguém tem nada a ver com a vida particular das pessoas. Nos limites estabelecidos em lei, concordo. Que cada um preste contas de sua vida à Deus. O que a Daniela faz em sua vida íntima é problema dela. No entanto, foi a própria quem tornou público algo que só diz respeito a ela e sua família, expondo o que chama de "minha vida" como moeda de protesto (Reconheçamos. Foi uma bela jogada de marketing. Certamente que seu próximos shows obterá uma atenção maior da "imprensa imparcial" deste país).

Quando se mergulha numa guerra insana, todos os atos são frutos de destempero.

Alguns apitam, atrapalham o trânsito, queimam pneu velho. A Daniela resolveu, intencionalmente, usar a "esposa". Não deveria, mas, pode. Assim seguimos todos, até o próximo "protesto" inusitado incentivado e exposto na mídia pelos ativistas-gays.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Porteiro, Auxiliar, Diácono, Presbítero, Evangelista, Pastor. E Mais. Missionária, Bispo, Apóstolo. O Que é Tudo Isso?

De repente, somos sobressaltados com a notícia: "Mais algumas dezenas, e até centenas, de novos obreiros para servir no Reino de Deus". A notícia seria boa, se guardasse a essência dos requisitos bíblicos exigidos para novos obreiros e preservassem o propósito divino na separação de novos chamados.
Para que precisamos de porteiros? Óbvio. Para guardar as portas. Porteiro era considerado Levita, desenvolvia, também, a tarefa de arrecadador de ofertas (2 Cr. 31:14) e vigia (Mc. 13:34); Jesus menciona o porteiro como responsável pela guarda da porta do aprisco das ovelhas (Jo. 10:3; ver também Ed. 7:24). É improdutivo, uma igreja de porta única, com uma quantidade exagerada de porteiros para servir.
Para que precisamos de auxiliares? Há pessoas mencionadas na Bíblia como "cooperadores", no entanto, sem evidência de se referir a um cargo. Eram pessoas que haviam prestado algum tipo de auxílio à alguém, em algum momento específico (Fp. 2:25; At. 20:35). Pode ser até o mes…

CEADEB x ADESAL - É feio, muito feio!

Os desdobramentos do litígio entre o presidente da CEADEB e o presidente da ADESAL prossegue revitalizando as feridas causadas pelo rompimento do vínculo de alguns pastores de sua convenção (CEADEB).
No mais recente episódio, uma decisão judicial interlocutória - sem definição de mérito - tomada na ação que a CEADEB move contra a ADESAL, foi entendida como um ato de destituição do pastor Israel Ferreira do comando da Assembleia de Deus em Salvador. Sem querer entrar nas questões técnicas da decisão (deixo isto para os advogados e rábulas), a decisão não dá nada a ninguém, haja vista uma série de “condicionantes” expressos no comando judicial. Na verdade, a decisão da desembargadora é uma espécie de carta do apóstolo Paulo aos Coríntios na versão para os assembleanos baianos: “se entendam!”
Ato seguinte a decisão mencionada, o pastor Valdomiro Pereira distribui um vídeo para os obreiros assembleanos. Nele, informa (ou desinforma) a plateia que o pastor Israel Ferreira foi destituído do…

QUANDO É HORA DE MUDAR DE IGREJA

Igreja, genuinamente falando, é aquele lugar onde se reúne um grupo de seguidores de Cristo com objetivo de adorar a Deus, receber ensinamentos, evangelizar e ajudar uns aos outros (At. 2:40-47). Foi com esta clara missão em mente que o apóstolo Paulo informa-nos que Deus colocou à nossa disposição os dons espirituais, a fim de edificarmos uns aos outros e estarmos aparelhados para proclamação do evangelho. Tiago esclarece outro ponto principal da igreja, dizendo que a verdadeira religião é cuidar das viúvas e dos órfãos nas suas necessidades. Por fim, as características da igreja primitiva que a tornou marcante, referência de igreja bíblica, foi que eles tinham tudo em comum e ninguém sentia falta de nada, eram solidários no partir do pão, desfrutavam da comunhão e comungavam da doutrina dos apóstolos, esta, por sua vez, Cristocêntrica.

No domingo passado fui à igreja com minha família e contei. Numa rua com, aproximadamente, quinhentos (500) metros de comprimento, cerca de treze (13…