Pular para o conteúdo principal

Pr. Silas Malafaia - Um Guerreiro Solitário

O Pr. Silas Malafaia foi o entrevistado da semana no programa da Marília Gabriela (SBT - 03/02). Na entrevista, dividida em três blocos, a jornalista fez mais do que entrevistar o pastor. Na verdade, partiu para um debate aberto acerca das idéias que considera corretas, atacando o ponto de vista dos outros  quando destoam dos seus (intolerância).

No caso do entrevistado, a jornalista não ponderou que ele representa uma população de, aproximadamente, 25 milhões de pessoas (Isto sem levar em consideração os cristãos católicos. Sem qualquer desmerecimento aos irmãos católicos. Eles possuem a CNBB).

Apesar de algumas discordâncias pontuais, o Pr. Silas Malafaia pensa e diz, o que pensa, e gostaria de ser ouvido, 25 milhões de cristãos que são cidadãos deste país. Ora, sendo assim, não está correta a postura da jornalista em tentar impor seu ponto de vista ao entrevistado, muito menos aos cristãos brasileiros.

Os temas abordados foram os da cartilha da moda: homossexualismo, casamentos alternativos e finanças pastorais. Estava em pauta, também, o aborto, porém, não houve tempo para abordá-lo no programa. Fica claro, para os cristãos, que a intenção da jornalista era, intelectualmente, moer o pastor até deixá-lo sem argumentos. No final, estaria provado que ele seria um homofóbico, fundamentalista e homem especializado em retirar dinheiro de pobres para enriquecer. Deu-se mal, pois, quem defende a verdade jamais fica sem voz.

Como sempre, a entrevista gerou polêmica, principalmente, em razão da colocação do pastor, que inquirido sobre o amor cristão aos homossexuais, disse que amava aos homossexuais como ama o bandido. Quem assistiu a entrevista pode perceber que a resposta foi extraída da colocação anterior do pastor.

A colocação do entrevistado está correta do ponto de vista da doutrina cristã, haja vista que, o homossexualismo é classificado pela Bíblia como pecado semelhante a roubo, alcoolismo, difamação, devassidão e similares (1 Co. 6:10; Rm. 1:27-32). A ideia apresentada foi: "Amo as pessoas, independentemente daquilo que elas fazem, sem que, com isso, tenha que concordar com elas". A colocação não teve o condão de dar aos homossexuais o estigma de pessoas bandidas. Apesar de classificados como pecados, são coisas diferentes. Naturalmente há os interessados em descontextualizar as palavras do pastor e tentar jogar a sociedade contra ele. Normal.

Uma coisa me chama a atenção nas entrevistas realizadas pela jornalista Marília Gabriela. Ela, no mesmo tempo que faz a pergunta, apresenta a resposta, e se o entrevistado não segue na linha de "suas verdades", parte para o ataque na tentativa de convencer o  seu, agora, oponente. Houve momentos que não sabíamos se o entrevistado era o Pr. Silas Malafaia ou  a própria jornalista.

No final do programa, a pegadinha principal. Disse a jornalista ao Pastor: "Que meu Deus (que não é o teu) te perdoe". Porque pegadinha? Ela não acredita em Elohim. Vem daí sua ignorância em relação a "theos".

O Pr. Silas Malafaia tem o apoio do povo cristão que lê a Bíblia e entende os princípios da fé evangélica. Repito. Mesmo discordando um ponto aqui, outro ali, no geral, especialmente nesses assuntos mais caros para o cristianismo no contexto da sociedade brasileira, ele se esforça em nos representar bem. É uma pena que esteja só.

O Pr. Silas Malafaia, mesmo com os arroubos de agressividade (que discordamos) característico do seu temperamento, tem sido uma voz solitária. Será que no Brasil não há outros pastores com preparo intelectual e teológico suficiente para fincar posição, ao lado do referido pastor, na defesa dos valores cristãos? Será que não há outros que assumam a defesa da família tradicional e da heterossexualidade? Será que outros formadores de opinião cristãos, como cantores renomados, especialmente, não tem coragem de levantar a bandeira do evangelho de Cristo?

Que Deus abençoe o Pr. Silas Malafaia, um guerreiro solitário. Voz de defesa dos princípios cristãos num Brasil de cristãos mudos.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Porteiro, Auxiliar, Diácono, Presbítero, Evangelista, Pastor. E Mais. Missionária, Bispo, Apóstolo. O Que é Tudo Isso?

De repente, somos sobressaltados com a notícia: "Mais algumas dezenas, e até centenas, de novos obreiros para servir no Reino de Deus". A notícia seria boa, se guardasse a essência dos requisitos bíblicos exigidos para novos obreiros e preservassem o propósito divino na separação de novos chamados.
Para que precisamos de porteiros? Óbvio. Para guardar as portas. Porteiro era considerado Levita, desenvolvia, também, a tarefa de arrecadador de ofertas (2 Cr. 31:14) e vigia (Mc. 13:34); Jesus menciona o porteiro como responsável pela guarda da porta do aprisco das ovelhas (Jo. 10:3; ver também Ed. 7:24). É improdutivo, uma igreja de porta única, com uma quantidade exagerada de porteiros para servir.
Para que precisamos de auxiliares? Há pessoas mencionadas na Bíblia como "cooperadores", no entanto, sem evidência de se referir a um cargo. Eram pessoas que haviam prestado algum tipo de auxílio à alguém, em algum momento específico (Fp. 2:25; At. 20:35). Pode ser até o mes…

CEADEB x ADESAL - É feio, muito feio!

Os desdobramentos do litígio entre o presidente da CEADEB e o presidente da ADESAL prossegue revitalizando as feridas causadas pelo rompimento do vínculo de alguns pastores de sua convenção (CEADEB).
No mais recente episódio, uma decisão judicial interlocutória - sem definição de mérito - tomada na ação que a CEADEB move contra a ADESAL, foi entendida como um ato de destituição do pastor Israel Ferreira do comando da Assembleia de Deus em Salvador. Sem querer entrar nas questões técnicas da decisão (deixo isto para os advogados e rábulas), a decisão não dá nada a ninguém, haja vista uma série de “condicionantes” expressos no comando judicial. Na verdade, a decisão da desembargadora é uma espécie de carta do apóstolo Paulo aos Coríntios na versão para os assembleanos baianos: “se entendam!”
Ato seguinte a decisão mencionada, o pastor Valdomiro Pereira distribui um vídeo para os obreiros assembleanos. Nele, informa (ou desinforma) a plateia que o pastor Israel Ferreira foi destituído do…

QUANDO É HORA DE MUDAR DE IGREJA

Igreja, genuinamente falando, é aquele lugar onde se reúne um grupo de seguidores de Cristo com objetivo de adorar a Deus, receber ensinamentos, evangelizar e ajudar uns aos outros (At. 2:40-47). Foi com esta clara missão em mente que o apóstolo Paulo informa-nos que Deus colocou à nossa disposição os dons espirituais, a fim de edificarmos uns aos outros e estarmos aparelhados para proclamação do evangelho. Tiago esclarece outro ponto principal da igreja, dizendo que a verdadeira religião é cuidar das viúvas e dos órfãos nas suas necessidades. Por fim, as características da igreja primitiva que a tornou marcante, referência de igreja bíblica, foi que eles tinham tudo em comum e ninguém sentia falta de nada, eram solidários no partir do pão, desfrutavam da comunhão e comungavam da doutrina dos apóstolos, esta, por sua vez, Cristocêntrica.

No domingo passado fui à igreja com minha família e contei. Numa rua com, aproximadamente, quinhentos (500) metros de comprimento, cerca de treze (13…