segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

Antes de Orar...

Não quero ser incrédulo (Jo. 20:27), mas, reconheço uma tentação à doutrina de Tomé atrás da minha orelha. Tanta gente orando, curando, profetizando bênçãos mil e... nada! - Is. 1:15 - Nada além de reações a estímulos e resultados derivados de tratamentos psicológicos. Nada de cegos enxergando, coxos andando, viciados libertos, famintos saciados... nada. O que se vê é apenas uma vaga esperança de mudanças terrenas que qualquer bom emprego pode proporcionar e gente sendo abençoada pela razão da proporcionalidade (Numa multidão de 200 indivíduos, "alguém" receberá "algum tipo de coisa que definirá como bênção, e isto com profecia ou sem profecia, com liberação de unção ou sem liberação de unção pelo profeta, missionária ou apóstolo da vez").

"E tudo que pedirdes em oração, crendo, o recebereis" (Mt. 21:22). "A oração do justo pode muito em seus efeitos" (Tg. 5:16).

Conforme a Bíblia, Deus é bom, puro, sincero, doador de toda boa dádiva e Aquele que tem boa vontade para com todos os homens, porém, exige daqueles que se aproximam d'Ele atitudes que justifiquem, não a bênção, e sim, um bom coração. Talvez seja esta a razão do porquê escolhemos o atalho das profecias fabricadas, bênçãos imaginárias, curas induzidas, libertações provisórias e muito estímulo a confissão positiva.

Deus quer muito falar com a gente, mas, antes...

Antes de dobrarmos os joelhos em oração, Deus quer que os dobremos em humildade (Lc. 18);

Antes de abrirmos a boca, Deus quer que abramos o coração e falemos de acordo (Hb. 10:22);

Antes de balbuciarmos palavras, Deus deseja que embacemos os olhos com as lágrimas de um coração quebrantado e contrito (Sl. 51:17);

Antes de indicar para Deus nossos sacrifícios como suposto código de acesso à sala do trono, Ele quer que indiquemos nossos inimigos com os quais nos reconciliamos (Mt. 5:24);

Antes de buscarmos Suas bênçãos, Ele quer que sejamos bênção para o pobre e moribundo, irmão (Lc.10);

Antes de buscarmos comunhão com a Trindade, Elohin deseja ver nossa comunhão com "todos" os nossos semelhantes ( 1 Jo. 4:20);

Ah! esse "antes" tornou nossa atitude de oração uma verdadeira guerra contra nós mesmos. Nos debatemos mentalmente entre o "farisaicamente" correto e a intenção sincera de nosso coração. Cedemos. Nos tornamos réus de uma consciência manietada, jogamos fora a liberdade de ser o que somos diante de Deus, e perdemos a oportunidade d'Ele nos tornar o que devemos ser diante dos homens.  


Nossa oração se tornou improdutiva quando substituímos a obediência e amor à Palavra de Deus pelo comportamento farisaico do amor e apego ao status quo e ao sistema onde a forma, a farda e as palavras são melhores que uma vida cristã íntegra. É isto que nos faz agredir um irmão (com palavras, pensamentos, intenção de coração e atitudes) e, no instante seguinte, nos curvarmos numa tentativa de contato com o Altíssimo.


Antes de orar deveríamos olhar para nós mesmos e nos confrontar com a Palavra de Deus, somente assim reconheceríamos que a melhor forma de orar não são com as palavras, mas, com o barulho ensurdecedor de um coração em paz com os princípios de Deus, com todos os homens, consigo mesmo e em silêncio.

Os mais de quatrocentos anos de silêncio divino, aquele registrado no interstício de tempo entre o AT e NT, se tornaram vigentes em nosso tempo com uma característica perturbadora:  "Deus quer conversar conosco, emite Palavras, insiste, envia seu Santo Espírito, mas, continuamos conversando com nosso próprio umbigo, e as únicas palavras que escutamos são aquelas produzidas por nossa própria voz".

2 comentários:

Pr Dário Gomes disse...

Excelente!
Sé não atentarmos para estes <"antes"> teremos um <"depois"> não <"agora"> de decepções e frustrações.

Eliel Barbosa disse...

Meu caro amigo,

Que felicidade em tê-lo aqui. Sua presença honra este blog e eleva minha capacidade de compreensão dos assuntos abordados.

Tenho acompanhado os "poucos" textos publicados em teu blog (Que coisa. Você não ficou chocado com a renúncia do Papa? Nem eu). Só espero mais velocidade. O mundo voa, e os assuntos são inúmeros. Não podemos deixar de levar as pessoas nosso ponto de vista, a partir da Bíblia.

Que Deus mantenha suas bênçãos sobre você e o ajude nos desafios que, compreendo, são terríveis.

Abçs.