segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

Hormônio Feminino na Soja - Cuide de Sua Família.

Leia a notícia abaixo, volto em seguida.

Soja: Um hormônio feminino natural

A soja é um alimento que, há mais de mil anos, sempre esteve presente na culinária japonesa. Recentemente, pesquisadores têm percebido que a soja é um alimento muito importante para a prevenção do câncer e de doenças no coração. Além disso, a soja possui uma substância chamada isoflavona que imita o estrogênio (o hormônio feminino). Por isso, a soja pode ser utilizada como um repositor hormonal natural no período da menopausa.

Para a nutricionista Marlete Pereira, do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho (UFRJ), a soja deve fazer parte das refeições de todos os brasileiros, especialmente das mulheres. “Não deixe de incluí-la nas refeições. Para as mulheres, a soja alivia os sintomas da menopausa, causados pela queda hormonal, como dores de cabeça, insônia e as famosas ondas de calor. Como a soja ‘imita’ a ação do estrogênio, pesquisadores acreditam que esse alimento diminui os riscos de tumores de mama e de útero”, explica a nutricionista. Portanto, não perca tempo: comece a explorar o que a soja tem de melhor.

Fonte: saberviver.org.br

A soja não contém o hormônio estrogênio, mas contém isoflavonas, também conhecidas como fitoestrogênios, que funcionam de forma diferente do estrogênio. Apesar de não serem o mesmo hormônio, a estrutura química do fitoestrogênio e do estrogênio são semelhantes. Isto leva o corpo humano a reagir a ingestão de fitoestrogênio como o hormônio feminino, surgindo a partir daí reações orgânicas e físicas característicos.

No corpo do homem há uma supremacia da testosterona (hormônio masculino), enquanto no corpo da mulher há supremacia de estrogênio (hormônio feminino). Quando o corpo feminino recebe o fitoestrogênio, identifica-o como estrogênio e incrementa sua ação, em razão do corpo está perfeitamente identificado como feminino. Talvez seja esta a justificativa para tantas meninas, ainda com seus dez, onze anos, estarem desenvolvendo, precocemente, características de uma mulher adulta.

No lado masculino, quando o corpo recebe continuamente o referido hormônio, ocorre um desequilíbrio nas taxas de estrogênio e testosterona. Este desequilíbrio no percentual de referência (maior/menor), causa uma maior incidência das características femininas no corpo masculino. É por esta razão que o homossexual/travesti adota uma dieta rica em hormônio feminino, inclusive com a injeção intravenosa. Qual o objetivo? Evidenciar características femininas que, originariamente e naturalmente, não possui. Eles sabem que o desequilíbrio provocado pela absorção contínua deste hormônio promove alterações que o aproximará do formado e das características femininas.

A soja é hoje utilizada em uma quantidade enorme de produtos, dentre eles, temos o leite infantil que é utilizado como substituto na alimentação das crianças. Qual o resultado disto? A fitoestrogênio presente na soja é recebida pelo corpo que o identifica como estrogênio (hormônio feminino). E qual a função do estrogênio no corpo? Adequá-lo para as atividades femininas. Decorre-se o incremento da voz aguda, desenvolvimento de seios e arredondamento do corpo.

Nosso objetivo com este texto não é emitir parecer técnico sobre a soja (sou leigo nisto), porém, ouvindo e lendo sobre o assunto, despertei-me na missão de alertar famílias. Quero provocar uma reflexão sobre as alterações no campo alimentar que, certamente, mexem com  o equilíbrio natural do corpo humano. Quero jogar luz sobre alterações orgânicas e físicas em nós e nossos filhos que, muitas vezes, não encontramos justificativas. Procurem um médico e nutricionista de sua confiança, e discutam com eles sobre isto. Olhem os rótulos dos alimentos que compram, protejam sua família, em especial, protejam seus filhos. "Busquem a verdade e a verdade libertará vocês".

Estamos num tempo em que a vigilância deve ser redobrada. Fiquem atentos e não permita que enganem você. Um argumento que costumamos ouvir, quando se trata de pesquisas sobre problemas causados pela alimentação na saúde da população é: "Não há nenhuma pesquisa que comprove malefícios decorrentes das alterações genéticas promovidas neste ou naquele alimento". Ok. Mas a questão, também, é: "Há alguma pesquisa que afirme serem seguras as alterações nutricionais provocadas em alimentos? A ciência tem certeza que este tipo de alimentação não tem efeitos colaterais?"

A natureza foi feita para atuar em equilíbrio, logo, quando alteramos algum de seu componente, certamente alteramos todo o conjunto. Depreende-se que as consequências são devastadoras para a própria raça humana. A ciência tem crescido bastante,  porém, não consegue se cercar de todo conhecimento. Mesmo com  avanço tecnológico, continuam tateando no escuro.

Não delegue cegamente a sua segurança e de sua família.

Nenhum comentário: