quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

Greve da PM na Bahia - "Que é isso Companheiro"

Estamos cansados do lero-lero dos politicos quando as manifestações de trabalhadores atrapalham a vida da população. É sempre um pouco mais do mesmo. "É preciso respeitar as leis, tenho limites orçamentários, a população não pode sofrer por esta causa, a economia do Estado está sofrendo, os negócios da economia estão parando, etc., etc". As falácias são as mesmas.

Nós, que fazemos parte desta tal "população", precisamos entender que nossos políticos só se movimentam em favor dos trabalhadores quando estes conseguem incomodar sua popularidade e possa, com isto, causar prejuízos políticos. O PT bem sabe disto. Outrora, quando oposição, encampou movimentos grevistas em praticamente todas as categorias de trabalhadores. A fórmula para fazer eles conhecem. A solução, também. Porque não adotam?

Dizem que é preciso respeitar as leis. Concordo. Porém, vejam o que está acontecendo no Congresso Nacional. Para atender a FIFA, querem "mudar as leis".

Dizem que possuem limites orçamentários explícitos na Lei de Responsabilidade Fiscal. Para continuar dentro dos parâmetros da Lei, basta eliminar os cargos comissionados, reduzir o número de deputados e vereadores com seus assessores anexos, reduzir a quantidade de viagens desnecessárias realizadas por presidentes, governadores, senadores, enfim, por eles mesmos, além de concluir em menor tempo as obras faraônicas e dispendiosas como metrô e estádios de futebol. Comecem fazendo isto e os recursos financeiros surgirão para garantir a melhoria nos salários dos trabalhadores, principalmente da área de segurança pública.

Dizem que a população não pode sofrer as consequências da paralisação. Até parece que se preocupam com isso. A população já vem sofrendo faz tempo e eles continuam sem fazer nada. Saúde, segurança, habitação, educação, dentre outros. Qual serviço o Estado presta com eficiência e qualidade? Será que eles não estão vendo o povo sofrendo nas filas da saúde, nos colégios públicos e nas encostas?

Dizem que o movimento grevista é ruim para a economia. Oh! novamente ela, a pobre coitada da economia. Alguém sabe quem é esta tal "economia ou mercado"? Basta atentar para o fato de que apenas 10% (dez por cento) da população, aproximadamente, é que desfruta da nossa riqueza. Se você observar um pouco mais vai perceber que banqueiros, especuladores, empresários da área de entretenimento, industriais, políticos e grandes empreiteiros são os integrantes desta faixa da população mais conhecida como "mercado ou economia". É assim. Não é sem razão que estão preocupados com os prejuízos nos negócios gerados com o carnaval.

O governador Wagner prova do próprio veneno. Vendo como ele lida com os grevistas e as desculpas que apresenta, caberia ao ex-pobre-trabalhador-sindicalista-presidente, Luís Inácio Lula da Silva, falar para ele: "que é isso companheiro?".

O problema dessa gente é que apenas são parte da população brasileira e, no caso em pauta, baiana, quanto não galgam uma função no Estado. Encastelados, agem como é próprio da natureza dos políticos. Para eles, tudo é possível, para os demais, pão e circo, e tá bom demais! Como diria o compositor popular: "a gente não quer só comida, a gente quer bebida, diversão e arte".

Apesar dos incidentes, apesar dos atos insanos, apesar do incômodo que nos causam, apesar dos oportunistas e aproveitadores, apesar dos pesares, estou torcendo que os Políciais Militares saiam vitoriosos nesta greve. De preferência, depois do carnaval. Talvez, assim, nós, "pobres trabalhadores", que dependemos do suor do nosso rosto para sobreviver, tenhamos mais consciência que para mudar, depende, também, de cada um de nós somados ao todo.

Nenhum comentário: