terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Conselho Regional de Psicologia do Paraná Pratica Perseguição Religiosa Contra Psicóloga Cristã.


A psicóloga cristã Marisa Lobo publicou uma imagem dela em frente ao Conselho Regional de Psicologia do Paraná lendo uma Bíblia, enquanto aguardava para ser ouvida pelas fiscais do CRP, e afirmou estar lendo seu manual de ética enquanto aguardava.

Marisa Lobo recebeu ultimato do Conselho para que retire de seus perfis em mídias sociais toda e qualquer menção à sua crença pessoal de fé, caso contrário, terá seu registro profissional de psicóloga cassado. As denúncias contra ela teriam sido feitas por ativistas homossexuais, e outros, favoráveis por exemplo, à legalização das drogas.

Enquanto no Brasil o número de cristãos aumenta, proporcionalmente, aumenta à perseguição a fé cristã. Este caso envolvendo a psicóloga Marisa Lobo, reflete bem o atual momento em que vivemos. Porém, não podemos e não vamos abrir mão da nossa posição.

No Brasil há a liberdade religiosa e a liberdade de expressão que vale para a mídia, para o político e para o cidadão. Infelizmente, e é contra isto que nos posicionamos, alguns segmentos escolheram os evangélicos como inimigos por não contar com seu apoio. Estão numa guerra deliberada para fazer calar as posições contrárias às suas ideias e escolhas. Respeitamos as opiniões de quem quer que seja, porém, não suportam serem contestados. É assim no que diz respeito a comportamentos, política e ciência.

A história registra, mas, parece que não aprendem. O cristianismo não se acovarda, nem se vende. Manteremos posição, manteremos nossa fé e, quando também capacitados cientificamente, usaremos nossa capacidade para, somadas a nossa fé, ajudar as pessoas a encontrarem o tão sonhado prazer de viver.

Que os cristãos paranaenses se solidarizem com a irmã Marisa Lobo, a apoiem, e ao lado dela, resistam a mais esta tentativa, já de antemão fracassada, de fazer calar o povo de Deus nesta nação.

E o Conselho de Psicologia do Paraná, hein? Exercendo pressão psicológica sobre uma pessoa, quando deveriam promover a paz e o equilíbrio mental delas. E a psicóloga perseguida ainda tem que dar dinheiro para eles. Vá entender. Este Conselho, como dizia o jornalista Boris Casoy, “é uma vergonha!”

Nenhum comentário: