Pular para o conteúdo principal

Apesar Dos Intolerantes. Novo Presidente da Comissão dos Direitos Humanos da Câmara Federal é o Pr. Marcos Feliciano.

Como fizeram na passagem de Yoani Sánchez (blogueira cubana) pelo Brasil, os intolerantes voltaram a atacar. Desta vez foi na eleição para presidente da comissão dos Direitos Humanos da Câmara dos Deputados em Brasília.
 
O candidato indicado pelo PSC (Partido Social Cristão) é o deputado Pr. Marcos Feliciano. Alegando que o referido deputado é "homofóbico e racista", um grupo de manifestantes ligados ao PSOL e pertencentes a organizações gayzistas foram para a câmara protestar. Até aí, tudo bem. Todos temos o direito de fazê-lo, defendendo, dentro das regras de uma sociedade democrática, nossos pontos de vista.
 
O engraçado, para dizer o mínimo, é que essa turma gostava quando os comandantes anteriores da dita comissão eram partícipes de seus interesses. Agora que há possibilidade de ser alguém de fora da sua agenda, resolvem mostrar a "cara de quem, realmente, é intolerante". Para levar a termo sua batalha, acionam seus integrantes encastelados na mídia (Imaginem quais emissoras encamparam os protestos televisivos? A "Globo", e sua clone, Bandeirantes).
 
"Tolerar aquele que pensa igual é mole. Quero ver é continuar se dizendo "tolerante" tendo que tolerar quem diverge."
 
Mas, o grupo que esteve na câmara não se contentou apenas com a manifestação. Forçaram a barra, de maneira histérica, para inviabilizar a própria eleição (e, por hora, conseguiram). É mais ou menos assim: "se não acontece como nós queremos, o jogo acaba". Isto não é democracia. Isto é anarquia ou, como está na moda, "ditadura de esquerda".

Apesar de todo e um novo tumulto nos corredores da câmara, a comissão se reuniu no dia seguinte com portas fechadas e elegeram o Pr. Marcos Feliciano como seu presidente.

Repito. Todos temos o direito de sermos contra e nos manifestarmos por isso. No entanto, é preciso respeitar o jogo democrático. Quando há impasse, se resolve no voto, e o resultado deve ser acolhido e respeitado por todos.
 
Não queremos um país dedicado apenas a maioria, mas, também, não queremos a imposição de uma ditadura da minoria. Num ambiente democrático, os grupos minoritários devem ser respeitados, porém, devem, também, se comportar como tal, e não tentar de todas as formas, até com violência, impor seus caprichos individuais para a maioria.
 
O melhor remédio para essa turma é mais democracia e o peso do império das leis.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Porteiro, Auxiliar, Diácono, Presbítero, Evangelista, Pastor. E Mais. Missionária, Bispo, Apóstolo. O Que é Tudo Isso?

De repente, somos sobressaltados com a notícia: "Mais algumas dezenas, e até centenas, de novos obreiros para servir no Reino de Deus". A notícia seria boa, se guardasse a essência dos requisitos bíblicos exigidos para novos obreiros e preservassem o propósito divino na separação de novos chamados.
Para que precisamos de porteiros? Óbvio. Para guardar as portas. Porteiro era considerado Levita, desenvolvia, também, a tarefa de arrecadador de ofertas (2 Cr. 31:14) e vigia (Mc. 13:34); Jesus menciona o porteiro como responsável pela guarda da porta do aprisco das ovelhas (Jo. 10:3; ver também Ed. 7:24). É improdutivo, uma igreja de porta única, com uma quantidade exagerada de porteiros para servir.
Para que precisamos de auxiliares? Há pessoas mencionadas na Bíblia como "cooperadores", no entanto, sem evidência de se referir a um cargo. Eram pessoas que haviam prestado algum tipo de auxílio à alguém, em algum momento específico (Fp. 2:25; At. 20:35). Pode ser até o mes…

Cristo Está Morto! ...de Vergonha.

As Assembleias de Deus na Bahia foi construída sobre os ombros de homens e mulheres altruístas e dedicados que seguiam os conselhos bíblicos com a radicalidade exigida de quem, verdadeiramente, se converteu a Cristo. Foi desta forma que ela cresceu, se consolidou e tornou-se referência de conduta cristã e legítima representante do movimento pentecostal. Seu povo, ordeiro, decente e piedoso, nutria profundo respeito da população por serem responsáveis, honestos, humildes e fiéis.
Mas o crescimento trouxe consigo o desassossego de uma estrutura cada vez maior para suportar um organismo em expansão. A quantidade cada vez maior de congregações exigia mais esforços de sua liderança, pois, com uma administração centralizada, a mobilidade e os recursos passam a ser compartilhados para sustentar a própria estrutura administrativa. É essa estrutura administrativa que, no afã de conceder segurança futura aos seus ministros, fundam uma associação de pastores, conhecida como Convenção.
Órgão com ab…

CEADEB x ADESAL - É feio, muito feio!

Os desdobramentos do litígio entre o presidente da CEADEB e o presidente da ADESAL prossegue revitalizando as feridas causadas pelo rompimento do vínculo de alguns pastores de sua convenção (CEADEB).
No mais recente episódio, uma decisão judicial interlocutória - sem definição de mérito - tomada na ação que a CEADEB move contra a ADESAL, foi entendida como um ato de destituição do pastor Israel Ferreira do comando da Assembleia de Deus em Salvador. Sem querer entrar nas questões técnicas da decisão (deixo isto para os advogados e rábulas), a decisão não dá nada a ninguém, haja vista uma série de “condicionantes” expressos no comando judicial. Na verdade, a decisão da desembargadora é uma espécie de carta do apóstolo Paulo aos Coríntios na versão para os assembleanos baianos: “se entendam!”
Ato seguinte a decisão mencionada, o pastor Valdomiro Pereira distribui um vídeo para os obreiros assembleanos. Nele, informa (ou desinforma) a plateia que o pastor Israel Ferreira foi destituído do…