Pular para o conteúdo principal

A Oração do Cético

Essa afirmação – de que todos os que buscam a verdade objetiva encontram-na – é testável pela experiência, pelo experimento. Se você é um cientista honesto, aqui está um jeito de saber se o cristianismo é verdadeiro ou não. Execute um experimento relevante. Teste a hipótese de que alguém esteja atrás da porta, batendo nela. Confira se este alguém que está atrás é Cristo. Bata até que a porta seja aberta para você!

Como bater? Ore! Diga a Cristo que você está buscando a verdade – buscando-o. Peça-lhe que cumpra a promessa de que todos que o buscam encontram-no (no tempo dele, naturalmente). Jesus prometeu que encontraríamos, mas não prometeu obedecer a um horário rígido como se fosse um trem. Ele é amoroso.

Você pode alegar: “mas não sei se Cristo é Deus. Nem sei se existe um Deus”. Está bem! Então faça a oração do cético:
?                        ?                          ?
“Deus, não sei se tu existes. Sou cético. Tenho dúvidas. Acho que tu podes ser só um mito. Mas não tenho certeza disso (se for honesto comigo mesmo). Então, se tu existes e realmente prometestes recompensar os que te buscam, deves estar ouvindo-me agora. Então, de agora em diante, declaro-me alguém que busca a verdade seja ela o que for e esteja onde estiver. Quero conhecer a verdade e viver a verdade. Ajuda-me, por favor, se tu és a verdade!”
?                        ?                          ?

Tal oração se constitui um teste “cientificamente” honesto da “hipótese cristã”; isto se você não colocar restrições injustas sobre Deus, exigindo um milagre do seu jeito, não do dEle; no seu tempo, e não no dEle. Dificilmente a exigência de que Deus agisse como seu empregado seria um teste cientificamente honesto da hipótese de que exista um Deus e que seja Rei absoluto.

Mas tudo o que esse Rei pede primeiro é a honestidade, não a falsificação de uma fé que você não tenha. A honestidade é uma escolha da vontade; a escolha de buscar a verdade não importa o que ela é ou onde esteja. Esta é a escolha mais grandiosa que você pode fazer. É a escolha da luz sobre as trevas e, em última instância, do céu sobre o inferno.

A honestidade é infinitamente mais grandiosa do que pensamos. Também é muito mais difícil. Nossa cultura banaliza a honestidade, reduzindo-a a um simples compartilhar de idéias, sentimentos ou vontades. Mas essa atitude não se opõe à desonestidade; opõe-se à vergonha ou à timidez. A honestidade superficial busca compartilhar, a honestidade profunda busca a verdade. A honestidade superficial se sustenta na presença dos outros, a honestidade profunda se sustenta na presença de Deus.

(...) [O] ponto principal é algo infinitamente mais importante: o apelo à vontade para que ela seja honesta e aberta à verdade e ao seu instrumento, a razão, e que siga o argumento onde quer que ele a leve, como um guia no meio da floresta.

 (Extraído do “Manual de Defesa da Fé” – Peter Kreeft e Ronald k. Tacelli)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Porteiro, Auxiliar, Diácono, Presbítero, Evangelista, Pastor. E Mais. Missionária, Bispo, Apóstolo. O Que é Tudo Isso?

De repente, somos sobressaltados com a notícia: "Mais algumas dezenas, e até centenas, de novos obreiros para servir no Reino de Deus". A notícia seria boa, se guardasse a essência dos requisitos bíblicos exigidos para novos obreiros e preservassem o propósito divino na separação de novos chamados.
Para que precisamos de porteiros? Óbvio. Para guardar as portas. Porteiro era considerado Levita, desenvolvia, também, a tarefa de arrecadador de ofertas (2 Cr. 31:14) e vigia (Mc. 13:34); Jesus menciona o porteiro como responsável pela guarda da porta do aprisco das ovelhas (Jo. 10:3; ver também Ed. 7:24). É improdutivo, uma igreja de porta única, com uma quantidade exagerada de porteiros para servir.
Para que precisamos de auxiliares? Há pessoas mencionadas na Bíblia como "cooperadores", no entanto, sem evidência de se referir a um cargo. Eram pessoas que haviam prestado algum tipo de auxílio à alguém, em algum momento específico (Fp. 2:25; At. 20:35). Pode ser até o mes…

CEADEB x ADESAL - É feio, muito feio!

Os desdobramentos do litígio entre o presidente da CEADEB e o presidente da ADESAL prossegue revitalizando as feridas causadas pelo rompimento do vínculo de alguns pastores de sua convenção (CEADEB).
No mais recente episódio, uma decisão judicial interlocutória - sem definição de mérito - tomada na ação que a CEADEB move contra a ADESAL, foi entendida como um ato de destituição do pastor Israel Ferreira do comando da Assembleia de Deus em Salvador. Sem querer entrar nas questões técnicas da decisão (deixo isto para os advogados e rábulas), a decisão não dá nada a ninguém, haja vista uma série de “condicionantes” expressos no comando judicial. Na verdade, a decisão da desembargadora é uma espécie de carta do apóstolo Paulo aos Coríntios na versão para os assembleanos baianos: “se entendam!”
Ato seguinte a decisão mencionada, o pastor Valdomiro Pereira distribui um vídeo para os obreiros assembleanos. Nele, informa (ou desinforma) a plateia que o pastor Israel Ferreira foi destituído do…

QUANDO É HORA DE MUDAR DE IGREJA

Igreja, genuinamente falando, é aquele lugar onde se reúne um grupo de seguidores de Cristo com objetivo de adorar a Deus, receber ensinamentos, evangelizar e ajudar uns aos outros (At. 2:40-47). Foi com esta clara missão em mente que o apóstolo Paulo informa-nos que Deus colocou à nossa disposição os dons espirituais, a fim de edificarmos uns aos outros e estarmos aparelhados para proclamação do evangelho. Tiago esclarece outro ponto principal da igreja, dizendo que a verdadeira religião é cuidar das viúvas e dos órfãos nas suas necessidades. Por fim, as características da igreja primitiva que a tornou marcante, referência de igreja bíblica, foi que eles tinham tudo em comum e ninguém sentia falta de nada, eram solidários no partir do pão, desfrutavam da comunhão e comungavam da doutrina dos apóstolos, esta, por sua vez, Cristocêntrica.

No domingo passado fui à igreja com minha família e contei. Numa rua com, aproximadamente, quinhentos (500) metros de comprimento, cerca de treze (13…