Pular para o conteúdo principal

Terceirização Pastoral

(O Que Aconteceu Com a Assembléia de Deus na Bahia - Parte VI)

No entanto, aqui surge um problema que poucos enxergam. Com o crescimento numérico da igreja, as atividades que outrora eram conduzidas pelo pastor passaram a ser “terceirizadas”, ou seja, outros obreiros passaram a exercer papel principal quando deveriam apenas auxiliar no desenvolvimento das atividades. Assim sendo, o pastor, principal responsável, simplesmente se afastou. Vale dizer que este afastamento, muitas das vezes, não foi intencional, e sim, em razão do enorme tamanho da organização.

Como a Assembléia de Deus cresceu quantitativamente muito, houve uma sobrecarga de reuniões e atividades administrativas sobre os ombros pastorais, não lhe restando tempo para sua atividade principal: cuidar de ovelha. Por favor, não confundamos cuidar de uma organização (igreja local) com o cuidar de ovelhas (pessoas). Neste aspecto, porque não seguir o exemplo da igreja primitiva escolhendo homens cheios do Espírito Santo para as tarefas seculares (diáconos), e os apóstolos vão cuidar da oração e da Palavra? Com certeza a resposta a esta questão passa por confiança, ética, moral e integridade. Que tristeza.

A conclusão que chego é que, onde podem e devem terceirizar, não terceirizam, e onde não podem terceirizar, terceirizam. Eis aí o que o clero valoriza. Pessoas valem menos que dinheiro, patrimônio, segurança financeira, assistência médica, posição e poder. Isto é inversão de valores. Resultado: o negócio não funciona bem.

Com a “terceirização”, foi formada nos olhos e na mente do pastor, a idéia de que as ovelhas estão sendo cuidadas e, no limite dos esforços dos auxiliares, estão, mas não o suficiente para as ovelhas se sentirem bem acolhidas e bem nutridas. O que não percebem é que ovelha gosta mesmo é da companhia do seu pastor. Com todo respeito aos líderes de departamentos que assumiram estas atribuições (me incluo aí), o que tenho percebido é que ovelha só confia mesmo é no seu pastor.

Estes líderes podem, colaboram e devem continuar ajudando, porém, atuando como Hur e Arão, que “apoiavam os braços de Moisés até que a vitória estivesse completa” (Ex. 17:12). Saliente-se que este episódio bíblico trata de guerra contra inimigos e não do cuidado de ovelha dentro do aprisco. No entanto, destacamos que a atuação de Josué, Hur e Arão foram importantes na guerra contra os Amalequitas, todavia, Moisés, o líder, estava diretamente envolvido com a batalha. Isto posto, tanto nas guerras contra inimigos da obra, quanto no zelo com o rebanho do Senhor, a responsabilidade do líder é intransferível.

Em se tratando de conduzir ovelhas, repito, elas querem ir ao campo, mas só se sentirão seguras se “ouvirem”, e desta forma, perceberem, seu pastor à frente. O que vemos hoje é que a organização ficou tão grande que é impossível um único homem acompanhar, quanto mais coordenar, organizar e fazer acontecer atividades-fins da obra e de sua exclusiva responsabilidade. No que se refere ao aprisco assembleiano, é, no mínimo, um incômodo, chegar ao ponto que chegamos: “há ovelha que não conhece seu pastor”.

Comentários

Caro Eliel, no mundo das grandes corporações, a tercerização só é feita depois de analisada e comprovada a capacidade da tercerizada, que deve exercer a função que seria do contratante com a mesma capacidade daquele. No nosso meio, apesar de termos aqueles que fazem com zelo e amor, temos, além da ausência dos cuidados pastorais, uma tercerização desqualificada (salvo os bons exemplos, claro), ou uma tercerização que não supre a necessidade do rebanho por causa daquilo que você bem colocou: as ovelhas querem o pastor. O parabenizo pela clareza do argumento e pela atualidade do tema. Grande abraço.
Eliel Teixeira disse…
Querido irmão e amigo,

Estou lutando desesperadamente por mudanças. Em nossas conversas, eu minha amada esposa, reforçamos nossa disposição de ajudar. Se "alguém" quiser mudar a trajetória, estamos prontos a nos colocar ao seu lado e agir. Só não nos peçam para apoiar a mesmice que ama a injustiça, nos afasta de Deus e despreza os necessitados espirituais e sociais do nosso povo. Não sei se nossa geração conseguirá alcançar o tempo de uma Assembléia de Deus na Bahia sarada. Mesmo assim, continuarei lutando usando a única arma que temos: a boa Palavra de Deus. E quem tiver ouvidos que ouça.
Fique com Deus. Um gde abraço em Núbia e nos filhos.

Postagens mais visitadas deste blog

Porteiro, Auxiliar, Diácono, Presbítero, Evangelista, Pastor. E Mais. Missionária, Bispo, Apóstolo. O Que é Tudo Isso?

De repente, somos sobressaltados com a notícia: "Mais algumas dezenas, e até centenas, de novos obreiros para servir no Reino de Deus". A notícia seria boa, se guardasse a essência dos requisitos bíblicos exigidos para novos obreiros e preservassem o propósito divino na separação de novos chamados.
Para que precisamos de porteiros? Óbvio. Para guardar as portas. Porteiro era considerado Levita, desenvolvia, também, a tarefa de arrecadador de ofertas (2 Cr. 31:14) e vigia (Mc. 13:34); Jesus menciona o porteiro como responsável pela guarda da porta do aprisco das ovelhas (Jo. 10:3; ver também Ed. 7:24). É improdutivo, uma igreja de porta única, com uma quantidade exagerada de porteiros para servir.
Para que precisamos de auxiliares? Há pessoas mencionadas na Bíblia como "cooperadores", no entanto, sem evidência de se referir a um cargo. Eram pessoas que haviam prestado algum tipo de auxílio à alguém, em algum momento específico (Fp. 2:25; At. 20:35). Pode ser até o mes…

CEADEB x ADESAL - É feio, muito feio!

Os desdobramentos do litígio entre o presidente da CEADEB e o presidente da ADESAL prossegue revitalizando as feridas causadas pelo rompimento do vínculo de alguns pastores de sua convenção (CEADEB).
No mais recente episódio, uma decisão judicial interlocutória - sem definição de mérito - tomada na ação que a CEADEB move contra a ADESAL, foi entendida como um ato de destituição do pastor Israel Ferreira do comando da Assembleia de Deus em Salvador. Sem querer entrar nas questões técnicas da decisão (deixo isto para os advogados e rábulas), a decisão não dá nada a ninguém, haja vista uma série de “condicionantes” expressos no comando judicial. Na verdade, a decisão da desembargadora é uma espécie de carta do apóstolo Paulo aos Coríntios na versão para os assembleanos baianos: “se entendam!”
Ato seguinte a decisão mencionada, o pastor Valdomiro Pereira distribui um vídeo para os obreiros assembleanos. Nele, informa (ou desinforma) a plateia que o pastor Israel Ferreira foi destituído do…

QUANDO É HORA DE MUDAR DE IGREJA

Igreja, genuinamente falando, é aquele lugar onde se reúne um grupo de seguidores de Cristo com objetivo de adorar a Deus, receber ensinamentos, evangelizar e ajudar uns aos outros (At. 2:40-47). Foi com esta clara missão em mente que o apóstolo Paulo informa-nos que Deus colocou à nossa disposição os dons espirituais, a fim de edificarmos uns aos outros e estarmos aparelhados para proclamação do evangelho. Tiago esclarece outro ponto principal da igreja, dizendo que a verdadeira religião é cuidar das viúvas e dos órfãos nas suas necessidades. Por fim, as características da igreja primitiva que a tornou marcante, referência de igreja bíblica, foi que eles tinham tudo em comum e ninguém sentia falta de nada, eram solidários no partir do pão, desfrutavam da comunhão e comungavam da doutrina dos apóstolos, esta, por sua vez, Cristocêntrica.

No domingo passado fui à igreja com minha família e contei. Numa rua com, aproximadamente, quinhentos (500) metros de comprimento, cerca de treze (13…