terça-feira, 8 de maio de 2012

As Chaves Para Apocalipse

Palavra-chave: A revelação da vinda de Cristo.

Os propósitos pelos quais Apocalipse foi escrito dependem até certo ponto de como o livro é interpretado como um todo. Por causa de sua complexa imagem e simbolismo, Apocalipse é o livro bíblico mais difícil de ser interpretado, e há quatro alternativas principais:

1. O ponto de vista simbólico ou idealista sustenta que Apocalipse não é uma profecia de predição, mas um retrato simbólico do conflito cósmico de princípios espirituais.

2. O ponto de vista preterista (da palavra latina praeter, que significa "passado") sustenta que ele é uma descrição simbólica da perseguição romana da Igreja, da adoração ao Imperador e do julgamento divino de Roma.

3. O ponto de vista histórico aborda apocalipse como um panorama alegórico da história da Igreja (ocidental) do primeiro século até o segundo advento.

4. O ponto de vista futurista reconhece a influência óbvia que o conflito do primeiro século entre o poder romano e a Igreja teve sobre os temas deste livro. Ele também aceita a maior parte de Apocalipse (4-22) como uma visão inspirada da época que imediatamente precede o segundo advento (a "Tribulação", geralmente vista como sete anos (6-18)), e se estendendo da volta de Cristo até a criação do novo cosmos (19-22).

Defensores de todos os quatro enfoques de interpretação de Apocalipse concordam que ele foi escrito para assegurar aos destinatários o triunfo de Cristo sobre todos os que se levantam contra ele e seus santos. Os leitores enfrentavam tempos de perseguição e uma época ainda pior viria a seguir. Dessa forma, eles precisavam ser encorajados a perseverar, permanecendo firmes em Cristo por causa do plano de Deus para o justo e o ímpio. Esse plano é especialmente claro nas palavras comovedoras do epílogo (22:6-21).

O livro também foi escrito para desafiar os cristãos complacentes a pararem de se envolver com o mundo. Segundo os futuristas, Apocalipse cumpre o propósito adicional de dar uma perspectiva sobre os acontecimentos finais que teriam significado e relevância para a vida espiritual de todas as gerações de cristãos que viriam.

Versos -chave: Apocalipse 1:19 e 19:11-15

"Escreve, pois, as coisas que vistes, e as que são, e as que hão de acontecer depois destas" (1:19)

"Vi o céu aberto, e eis um cavalo branco. O seu cavaleiro se chama Fiel e Verdadeiro e julga a peleja com justiça. Os seus olhos são como chama de fogo; na sua cabeça, há muitos diademas; tem um nome escrito que ninguém conhece, senão ele mesmo. Está vestido com um manto tinto de sangue, e o seu nome se chama Verbo de Deus; e seguiam-no os exércitos que há no céu, montando cavalos brancos, com vestiduras de linho finíssimos, branco e puro. Sai da sua boca uma espada afiada, para com ela ferir as nações; e Ele mesmo as regerá com cetro de ferro e, pessoalmente, pisa o lagar do vinho do furor da ira do Deus Todo-Poderoso" (19:11-15).

Capítulos-chave: Apocalipse 19-22

Quando o fim da história for completamente compreendido, o seu impacto afetará radicalmente o presente. Em Ap. 19-22. os planos de Deus para os últimos dias e para toda a eternidade estão registrados em termos explícitos. O estudo cuidadoso e a obediência a eles trarão as bênçãos prometidas (1:3). As palavras de Jesus devem ser guardadas no lugar principal do coração e da mente: "eis que venho sem demora."

(BEP - SBB)

Nenhum comentário: