sexta-feira, 11 de maio de 2012

Análise de Apocalipse

Apocalipse é escrito na forma de literatura profética (cf. Daniel e Zacarias) por um profeta (10.11; 22.9) e, em si mesmo, defende esta qualidade (1:3; 22:7,10,18-19). Os três movimentos principais desta profunda revelação são apreendidos em 1:19: "as coisas que viste" (cap. 1); "as coisas que são" (caps. 2-3); "e as que hão de acontecer depois destas" (caps. 4-22).

"As coisas que viste" - Apocalipse contém um prólogo (1:1-3) antes da saudação usual (1:4-8). A revelação foi recebida por Cristo do Pai e comunicada pelos anjos a João. Este é o único livro bíblico que, especificamente, promete uma bênção para aqueles que o lerem (1:3), mas ele também promete uma maldição para aqueles que acrescentarem ou tirarem qualquer coisa dele (22:18-19). A saudação e a bênção de despedida mostram que ele foi originalmente escrito como uma epístola as sete igrejas da Ásia.

Um rico retrato teológico do Deus Triúno (1:4-8) é seguido por uma teofania assoberbante (manifestação visível de Deus) em 1:9-20. O Cristo onipotente e onisciente que irá subjugar todas as coisas sob sua autoridade é a figura central neste livro.

"As coisas que que são" - (2-3). As mensagens às sete igrejas se referem a um aspecto da visão de Cristo e contém um mandamento, uma recomendação e/ou condenação, uma correção e um desafio.

"As cisas que hão de acontecer depois destas" - (4-22). João é trasladado ao céu, onde recebe uma visão da majestade divina. Nela, o Pai ("o que está assentado no trono") e o Filho (o Leão/Cordeiro) são adorados pelos vinte e quatro anciãos, quatro seres viventes e o anjo forte por causa de quem eles são, e pelo que fizeram (criação e redenção; 4-5).

Três ciclos de sete julgamentos nos caps. 6-16 consistem de sete selos, sete trombetas e sete taças. Há uma inserção profética entre o sexto e o sétimo selos e os julgamentos da trombeta e um interlúdio prolongado entre os julgamentos da trombeta e da taça. Por causa da semelhança do sétimo julgamento em cada série, é possível que os três grupos de julgamentos aconteçam concomitantemente ou com alguma superposição para que todos terminem no retorno de Cristo. Um enfoque alternativo os vê como três séries consecutivas de julgamento, para que o sétimo selo seja as sete trombetas e a sétima trombeta seja as sete taças.

(BEP - SBB)

Nenhum comentário: