terça-feira, 1 de abril de 2014

Mentiras Ditas Aos Brasileiros Sobre a Copa do Mundo 2014

Presidente Dilma e ex-presidente Lula
Dez das mais famosas mentiras envolvendo a Copa do Mundo de 2014, que disseram aos brasileiros, quando queriam enganá-los sobre a realização do maior evento de futebol do mundo - O pior é que alguns brasileiros acreditaram.
 
1) Maioria dos investimentos será privada
 
Antes mesmo de o Brasil ser oficializado como sede do Mundial, em 2007, Ricardo Teixeira repetia em seus raros discursos uma tese: "Uma Copa bem organizada é aquela que tem recursos prioritariamente do setor privado". Quase sete anos depois, o dinheiro público é, de longe, o principal financiador do Mundial.
 
2) O Governo não investirá na construção de estádios
 
O discurso repetido nos primeiros meses após a escolha do Brasil como sede da Copa era de que os Governos não iriam investir na reforma e construção de estádios - a ideia era que os gastos públicos fossem feitos em outras obras de infraestrutura. Hoje, 97% do dinheiro investido nas arenas é governamental.
 
3) As arenas construídas dentro do orçamento
 
Quando os primeiros orçamentos de construção e reformas de estádios para a Copa do Mundo começaram a aparecer, a lista assustava pelos valores altos - o Estádio Nacional, em Brasília, ficaria em torno de R$ 700 milhões, por exemplo; mas custou mais de R$ 1,1 bilhão. Sete anos depois, todos os estádios da Copa já estouraram a previsão de gasto inicial.
 
4) Estádios da Copa prontos dentro do prazo
 
As recomendações da Fifa eram claras: os doze estádios para a Copa do Mundo deveriam estar prontos até dezembro de 2013, e o Governo garantia isso, conforme declarou o então Ministro dos Esportes, Orlando Silva em 2011; os que não estivessem ficariam fora do torneio. Estamos em abril de 2014, e a Arena Corinthians, palco 'somente' da abertura do Mundial, ainda não recebeu uma partida oficial.
 
5) O Monotrilho de São Paulo
 
Única obra prometida para a Copa do Mundo em São Paulo, o Monotrilho não ficará pronto a tempo para o Mundial. Depois de anos de construção e de atrasos, apenas em outubro de 2012 foi feito o anúncio de que não haverá tempo hábil para que a obra seja terminada antes do torneio.
 
6) Transporte público em Manaus
 
Quando foi anunciada como uma das 12 sedes da Copa do Mundo, Manaus apressou-se em mostrar um projeto revoluncionário de transporte público, que incluía a construção de um monotrilho e do BRT. Mas, alegando problemas burocráticos que atrasaram o início das obras, os governos estadual e municipal tiraram as obras da lista de encargos para a Copa.
 
7) O VLT de Brasília
 
Outra grande obra de estrutura de transportes anunciada com pompa foi o VLT de Brasília, O sistema de trens seria a solução para uma cidade que peca pela falta de boas opções para transporte público. A construção começou em 2007, mas parou em 2010 em meio a denúncias de corrupção. Em 2012, a obra saiu do caderno de encargos da Copa.
 
8) O ultimato da Fifa para a Copa do Mundo
 
O secretário-geral da Fifa, Jerome Valcke, perdeu a paciência com os seguintes atrasos das cidades-sede, especialmente Curitiba. Em janeiro deste ano, o homem-forte da entidade no Brasil deu um ultimato à capital paranaense: ou as obras da Arena da Baixada avançassem até 18 de Fevereiro, ou a Copa deixaria a cidade. Passou a data, o estádio ainda não está 100% concluído, e o local segue como um dos palcos para o Mundial.
 
9) Mudança na estrutura de aeroportos
 
A Copa seria uma ótima oportunidade para mudar a sucateada estrutura aeroportuária do Brasil. Durante os anos que se seguiram ao anúncio do país como sede do Mundial, todas as cidades - mesmo ainda na fase de candidatura às sedes - prometeram reformas, mas menos da metade de cumprir o planejado. Em Belo Horizonte, a reforma já foi reduzida para terminar antes do Mundial; em Curitiba, apenas 30% das obras estará pronta na época da Copa.
 
Somente dois aeroportos deverão concluir suas reformas a tempo do Mundial: Cuiabá e Fortaleza. No Rio de Janeiro, por exemplo, parte da reforma do terminal de passageiros não estará pronta, assim como em Belo Horizonte, Salvador, Manaus e Curitiba.
 
10) A Internet 4G
 
A tecnologia de acesso a internet e telefonia, que já existe em países da Europa e nos Estados Unidos, era uma das promessas para as 12 cidades-sede, devido à alta demanda durante a Copa do Mundo. Meses antes do Mundial, especialistas em telecomunicações já apontam que não há mais tempo para que o sistema seja implantado em todas estas cidades antes do Mundial.
 

Nenhum comentário: