terça-feira, 8 de abril de 2014

Como Nação, Não Dá Mais Para Salvar Essa Geração.

Por Eliel Teixeira

Vejam como estamos.

A mídia começa a divulgar que o MMA é um esporte (apesar da violência como objetivo que mata seus próprios lutadores), que a cervejinha com os amigos é deliciosa (apesar de ser amarga e carregada com níveis de álcool que interfere na lucidez), que determinadas modas são "super-modernas" (apesar de apenas vulgarizar o corpo), que a copa do mundo vai gerar mais dividendos para nosso país (apesar de já terem desperdiçado mais de 10 bilhões de reais da nação), que "sub-celebridades" são importantes porque foram expostas num programa Barato, Besta e Bruto (apesar de sua completa inutilidade e de servir apenas para retirar dinheiro da população), e a sociedade brasileira embarca na onda.

Qual a consequência de uma mídia (televisiva, principalmente) com nível moral tão baixo? Uma sociedade desprovida de bom senso, respeito e educação, além de anárquica, insensível e egoísta. Vale destacar que a bancarrota moral da sociedade brasileira se dá com mais intensidade a partir dos anos 60. Década em que a televisão foi se tornando popular.

Neste contexto, não dá para desconectar a Rede Globo de Televisão do papel de principal agente de destruição dos valores morais na sociedade brasileira. Ela tem assumido o papel de principal formadora de opinião neste país e, para isso, compra com exclusividade os maiores eventos de toda natureza. Dessa forma, ela impede uma visão mais plural e a abertura de espaço para que outras posições e opiniões sejam expostas para a população.

Portanto, ela, a Rede Globo de Televisão, é diretamente responsável pelo aumento da gravidez na adolescência e suas consequências, pela destruição da família tradicional e suas consequências, pelo aumento da corrupção e suas consequências, enfim, pela crescente degradação moral, social e espiritual dos brasileiros.

A sociedade brasileira chega a um ponto de deterioração que, numa prova realizada por uma escola pública de Brasília/DF, uma cantora desconhecida chamada Walesca Popozuda, é identificada como "grande pensadora contemporânea" (imagem acima - http://cbn.globoradio.globo.com/editorias/pais/). Qual a sua contribuição para a filosofia, ou para o Brasil? Compôs a música "beijinho no ombro".

Imaginava-se que o poço da ignorância, da superficialidade, da vulgaridade e da inutilidade tivesse fundo. No Brasil, nesses tempos, parece que não tem. Eles sempre nos surpreende com uma idiotice maior.

Será que ainda há tempo para consertar? Confesso meu pessimismo. Os atuais governantes federal, estadual e municipal não nos ajudam a respirar esperança.

Nossa geração perdeu, a geração de nossos filhos e filhas perdeu, e apenas a geração subsequente tem uma chance. Isso se nós, AGORA, começarmos a mudar.

Mudar o critério do tipo de entretenimento que assistimos, não dando ibope a programas e eventos que não nos respeitam, mudar na política, retirando e impedindo que gestores com mentes danificadas pelo modelo socialista falido fiquem no poder; mudar nossas atitudes familiares, rejeitando o abandono e assumindo nosso papel como pais e mães responsáveis pelas vidas dos nossos filhos e filhas, e mudar dentro de nós mesmos, nos impondo um rigoroso cumprimento diário das regras legais e morais de convivência social. Só assim, e somente assim, conseguiremos garantir um futuro melhor para futuras gerações.

Nenhum comentário: