Pular para o conteúdo principal

Liderança em Tempos de Crise

Subsídios - Lição 2 - Jovens e Adultos - 4º Tri de 2011 - CPAD
Texto Áureo: Ne. 2:20
Texto Base: Ne. 2:11-18

Líder é aquele que comanda, que controla uma ação, fazendo por sua atuação, que outros indivíduos se interessem e estejam motivados em atingir um objetivo final.

Dentro de uma organização, o líder tem papel fundamental, pois, o resultado alcançado pelo todo será reflexo da atuação daquele que o liderou. É por esta razão que as empresas investem na preparação daqueles que ocuparão postos de líderes em suas respectivas organizações. Na igreja não é diferente. Vejam o que diz o Senhor, através do profeta Oséias.

"Por isso, como é o povo, assim será o sacerdote; e castigá-lo-ei segundo os seus caminhos, e dar-lhe-ei a recompensa das suas obras".

Na Bíblia, encontramos o exemplo singular de liderança: o próprio Senhor Jesus Cristo. Como nenhum outro, Jesus recruta doze distintos senhores, a fim de formarem um grupo coeso, investidos de uma missão. O desafio, diante das características diferentes existentes entre esses discípulos, foi habilmente vencido pelo Senhor, deixando um exemplo singular para a humanidade em todos os tempos e situações.

Outro exemplo onde podemos extrair elementos essenciais para liderança é o de Neemias. Se liderar em momentos "normais", sem sobressaltos, já se configura uma tarefa árdua, imagine liderar numa situação em que o grupo a ser conduzido vem de um processo de degradação e humilhação que lhe retira a esperança e, conseqüentemente, a força para ressurgir.

Este filho de Deus se disponibiliza a conduzir um povo destruído. Era um enorme desafio para Neemias, porém, ele segue os impulsos de seu coração e a fé de seu espírito que o estimula a vencer todas as batalhas, uma a uma, até a vitória final. Vamos recorrer, então, a Palavra de Deus, onde encontramos ponderações sobre a difícil tarefa de liderar em tempos de adversidades.

1. Neemias tem a visão correta do problema (Ne. 1:3; 2:3) - O líder que não enxerga, não saberá qual o desafio a ser vencido.

Na obra de Deus, quando um servo é separado para a função de liderança, o Senhor coloca à sua disposição, dons específicos que o capacitarão a exercê-la adequadamente. Um dos atributos de um bom líder, é a visão. Qual o desafio? Aonde queremos chegar? Como chegar? Quais as ferramentas que temos? Quem pode nos ajudar? Estas são algumas das perguntas que quem exerce liderança se defrontará. A diferença é que o bom líder conhece as respostas.

2. Neemias era altruísta (Ne. 2:4-8; 5:14) - Aquele que só sabe liderar sobre "muito" e não abre mão de benefícios quando houver "pouco", não é um líder, é um mercenário.

Como exigir do povo uma contraprestação quando seus muros estavam derribados, sua nação em ruínas, as famílias afundadas em dívidas e destruídas pela perda de seus filhos? Ainda que a ação de Neemias fosse reparadora, ele, apesar de possuir "direitos" como governador e está coberto pela legalidade, se o exigisse, não ousou colocar mais uma carga sobre o povo.

Neemias é um exemplo a ser seguido por muitos líderes que, mesmo recebendo justas aposentadorias de empresas seculares, relativas ao tempo em que exerciam atividades remuneradas no mercado de trabalho, não abrem mão da ajuda de custo e "prebentas" de igrejas que vivem em estado de penúria. Não conseguem abrir mão nem um mês, quanto mais doze anos, como aconteceu com Neemias.

Deveriam se envergonhar. Porém, além de não se envergonharem, irão assumir púlpitos espalhados pelo Brasil afora, "tentando" ensinar esta preciosa lição tão necessária em dias tão difíceis. Certamente, nem ficarão com a cara vermelha.

3. Neemias é um cuidadoso analista (Ne. 2:11-16) - Um líder que não busca analisar o problema, terá como aliados equívoco e confusão.

O líder precisa ponderar sobre o estado real das coisas. Para isto, não pode tomar medidas e decisões apenas com base em sentimentos, em percepções ou em informações de terceiros. Ele precisa conhecer "in loco", ou seja, no lugar onde o problema acontece. Contar com colaboradores é necessário e de excelente ajuda, no entanto, o líder para cumprir com eficiência seu papel, deve estar na "dianteira" do trabalho. Um líder que manda e não vai junto, é chefe. Um chefe não motiva, pelo contrário, desestimula e se torna um empecilho na solução do problema.

Neemias se dispõe a visitar os muros, as ruas, as fendas, as portas, verifica com os próprios olhos a extensão das dificuldades e a urgência da restauração. Cumpre-nos destacar que uma das razões de muitas denominações estarem em dificuldades administrativas, é porque os pastores se tornaram "chefes de voluntários". Entrincheirados em seus gabinetes, promovem a máxima da inércia: "quando não se quer resolver um problema, forma-se uma comissão e faz-se uma reunião". Desculpem-me. Sou de um tempo em que encontrávamos o pastor liderando o culto e a evangelização, a vigília e a visitação, a escola bíblica e a manutenção.

Podemos e devemos fazer um esforço para imitarmos Neemias e, principalmente, Cristo. E, por favor, a desculpa de que o povo cresceu e a demanda é grande, não serve. A quantidade de pastores que existem podem dar conta do tamanho ou, se for necessário, peçam a Deus que enviem obreiros para sua seara (quer a referência?). Deus fará a parte que lhe cabe, enviará. Mas, os líderes denominacionais devem fazer seu trabalho, treinando, capacitando, dando o exemplo e liberando os novos pastores para exercerem suas atividades com responsabilidade.

O que falta é deixar de lidar com a obra de Deus como se fosse uma indústria de dependentes. Dêem autonomia aos pastores que aí estão, para, com grupos menores, ou seja, congregações locais, possam desenvolver o trabalho para o qual foram chamados.

4. Neemias era um líder discreto (Ne. 2:16; 4:19) - Um líder que se preocupa com a propaganda de si mesmo, desperdiça tempo caiando o sepulcro e já terá recebido seu galardão (se tiver direito a um).

A discrição é uma virtude. O líder não procura se impor aos outros pelo brilho das estrelas penduradas no peito; ele conquista os outros pelo comportamento de alguém que sabe produzir frutos em Cristo. Neemias é exemplo de líder que sabe à hora certa de compartilhar sonhos, sabe o momento certo de apresentar sua análise e conquistar a cooperação dos líderes formais do povo.

A sua discrição foi essencial no sucesso que obteve ao contatar os líderes formais do povo. Apesar dos líderes existentes estarem distantes de Deus (abandono das tarefas sacerdotais, casamentos mistos, etc.), ele soube qual era o momento de prestar à esses líderes as informações sobre sua missão e os fatos vividos que ratificavam o mandado de Deus para ele.

5. Neemias era um líder determinado (Ne. 6:2-15)Nem mesmo falsos líderes e falsos profetas conseguem deter um líder determinado.

As dificuldades materiais/estruturais, os inimigos, os falsos amigos, as limitações pessoais, todos eles são elementos que tentam desestimular o líder chamado por Deus. No entanto, o homem de Deus sabe Quem o chamou e o habilitou para o trabalho.

O objetivo do líder está além do muro das adversidades. Eis aqui uma característica essencial. O líder não vê o problema antes de ter visto a solução. Quando Deus chama é assim. Observe que Neemias já saiu da fortaleza de Susã com oficiais do exército e cavaleiros, além das cartas do rei Ciro que facilitaria sua caminhada e a aquisição de material necessário para a reconstrução.

Tentaram fazer Neemias parar a obra a fim de participar de uma reunião no templo. Tinha até mesmo uma profetisa envolvida. No entanto, um verdadeiro líder, realmente chamado por Deus, conhece a voz do seu Pastor e O segue em sua missão. Ele têm consciência que a obra que Deus lhe confiou é melhor e maior que qualquer mandato político, é mais valiosa que qualquer riqueza e mais urgente que qualquer ato secular.

Conclusão

É preciso ponderar sobre a atuação de um líder chamado por Deus diante de outras pessoas, em sua relação interpessoal, principalmente aqueles que já ocupam função de liderança. Neemias não era um desobediente, incrédulo, arrogante e imaturo. Ele não se apresenta como aquele que deve ocupar o lugar de lider-maior em detrimento a todos os outros existentes.

Os sacerdotes de Judá estavam em situação deplorável em seu ministério, todavia, Neemias não os expulsou ou humilhou-os. Pelo contrário, respeitou suas funções, prestando-lhe conta de sua missão, e orientou-os a voltar a exercer suas funções originais (Ne. 13:30), mesmo porque, Neemias era um copeiro-mor licenciado (Ne. 2:6; 13:6). Após reconstruir e reorganizar seu povo, deveria retornar as suas funções na fortaleza de Susã (que belo exemplo).

Muito ainda temos a aprender com a liderança de Neemias, no entanto, pela limitação do espaço, não podemos avançar. Nossa esperança é que cada irmão, principalmente aqueles que foram chamados por Deus para liderar sua obra, estejam aptos e determinados a realizar sua missão, de tal modo que, ao final, sejam considerados pelo Senhor, "servo bom e fiel" (Mt. 25:21-23).

Ser líder na obra do Senhor é apenas reconhecer ser um instrumento de Deus na manifestação de seu poder e vontade para com seu povo. Seja em tempos "menos ou mais difíceis", o servo de Deus deve empreender esforços no sentido de cumprir com determinação sua missão, sabendo que "o vosso trabalho não é vão no Senhor" (I Co. 15:58).

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Porteiro, Auxiliar, Diácono, Presbítero, Evangelista, Pastor. E Mais. Missionária, Bispo, Apóstolo. O Que é Tudo Isso?

De repente, somos sobressaltados com a notícia: "Mais algumas dezenas, e até centenas, de novos obreiros para servir no Reino de Deus". A notícia seria boa, se guardasse a essência dos requisitos bíblicos exigidos para novos obreiros e preservassem o propósito divino na separação de novos chamados.
Para que precisamos de porteiros? Óbvio. Para guardar as portas. Porteiro era considerado Levita, desenvolvia, também, a tarefa de arrecadador de ofertas (2 Cr. 31:14) e vigia (Mc. 13:34); Jesus menciona o porteiro como responsável pela guarda da porta do aprisco das ovelhas (Jo. 10:3; ver também Ed. 7:24). É improdutivo, uma igreja de porta única, com uma quantidade exagerada de porteiros para servir.
Para que precisamos de auxiliares? Há pessoas mencionadas na Bíblia como "cooperadores", no entanto, sem evidência de se referir a um cargo. Eram pessoas que haviam prestado algum tipo de auxílio à alguém, em algum momento específico (Fp. 2:25; At. 20:35). Pode ser até o mes…

CEADEB x ADESAL - É feio, muito feio!

Os desdobramentos do litígio entre o presidente da CEADEB e o presidente da ADESAL prossegue revitalizando as feridas causadas pelo rompimento do vínculo de alguns pastores de sua convenção (CEADEB).
No mais recente episódio, uma decisão judicial interlocutória - sem definição de mérito - tomada na ação que a CEADEB move contra a ADESAL, foi entendida como um ato de destituição do pastor Israel Ferreira do comando da Assembleia de Deus em Salvador. Sem querer entrar nas questões técnicas da decisão (deixo isto para os advogados e rábulas), a decisão não dá nada a ninguém, haja vista uma série de “condicionantes” expressos no comando judicial. Na verdade, a decisão da desembargadora é uma espécie de carta do apóstolo Paulo aos Coríntios na versão para os assembleanos baianos: “se entendam!”
Ato seguinte a decisão mencionada, o pastor Valdomiro Pereira distribui um vídeo para os obreiros assembleanos. Nele, informa (ou desinforma) a plateia que o pastor Israel Ferreira foi destituído do…

QUANDO É HORA DE MUDAR DE IGREJA

Igreja, genuinamente falando, é aquele lugar onde se reúne um grupo de seguidores de Cristo com objetivo de adorar a Deus, receber ensinamentos, evangelizar e ajudar uns aos outros (At. 2:40-47). Foi com esta clara missão em mente que o apóstolo Paulo informa-nos que Deus colocou à nossa disposição os dons espirituais, a fim de edificarmos uns aos outros e estarmos aparelhados para proclamação do evangelho. Tiago esclarece outro ponto principal da igreja, dizendo que a verdadeira religião é cuidar das viúvas e dos órfãos nas suas necessidades. Por fim, as características da igreja primitiva que a tornou marcante, referência de igreja bíblica, foi que eles tinham tudo em comum e ninguém sentia falta de nada, eram solidários no partir do pão, desfrutavam da comunhão e comungavam da doutrina dos apóstolos, esta, por sua vez, Cristocêntrica.

No domingo passado fui à igreja com minha família e contei. Numa rua com, aproximadamente, quinhentos (500) metros de comprimento, cerca de treze (13…