Pular para o conteúdo principal

Um Bom Exemplo Vindo de São Paulo/SP.

‘Ano que vem pode ser o último carnaval público’, diz Doria
Segundo o prefeito, já existem interessados na compra do sambódromo do Anhembi.

O prefeito de São Paulo, João Doria, afirmou nesta sexta-feira que pretende privatizar o sambódromo do Anhembi até o Carnaval de 2019. Ele disse que já existem interessados na compra do bem municipal, que todos os anos é palco do Carnaval de São Paulo.

Segundo Doria, a venda para a iniciativa privada ampliaria a captação de investimentos para o Anhembi, que além do sambódromo tem um grande espaço para receber eventos. “Ano que vem provavelmente será o último Carnaval público”, disse ele.
Cortes

A gestão Doria cortou neste ano os gastos com comida e bebida à vontade no camarote, como ocorria nos anos anteriores. Diferente das gestões anteriores, agora quem queria consumir tinha que pagar. De acordo com Doria, a prefeitura desembolsou 130.000 reais para custear o camarote neste ano – em 2016, a despesa foi de 2,7 milhões de reais, disse ele.

“O tempo da mordomia acabou”, afirmou o prefeito que ficou das 22h às 2h no camarote sem comer e beber nada. Conhecido por dormir pouco, Doria marcou agenda para este sábado às 9 horas no Grajaú, na Zona Sul de São Paulo.

Fonte: http://veja.abril.com.br/brasil

É disto que se trata, quando pensamos no gestor público. Deve ser idôneo e austero com o bem público. Não coloco minha mão no fogo pelo prefeito de São Paulo, Sr. João Dória, mas, reconhecemos quando uma atitude é a correta.

Há muito tempo que essa farra com dinheiro deveria ter acabado. Vejam a diferença. Em 2016, gasto de R$ 2.700.000,00 (...); Em 2017, R$ 130.000,00 (...). Quem quiser fazer festa que faça e pague com seu próprio dinheiro. No caso do carnaval, já basta o espaço público utilizado.

O exemplo do prefeito de São Paulo deve ser seguido por todos os gestores públicos. Sonhamos.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Porteiro, Auxiliar, Diácono, Presbítero, Evangelista, Pastor. E Mais. Missionária, Bispo, Apóstolo. O Que é Tudo Isso?

De repente, somos sobressaltados com a notícia: "Mais algumas dezenas, e até centenas, de novos obreiros para servir no Reino de Deus". A notícia seria boa, se guardasse a essência dos requisitos bíblicos exigidos para novos obreiros e preservassem o propósito divino na separação de novos chamados.
Para que precisamos de porteiros? Óbvio. Para guardar as portas. Porteiro era considerado Levita, desenvolvia, também, a tarefa de arrecadador de ofertas (2 Cr. 31:14) e vigia (Mc. 13:34); Jesus menciona o porteiro como responsável pela guarda da porta do aprisco das ovelhas (Jo. 10:3; ver também Ed. 7:24). É improdutivo, uma igreja de porta única, com uma quantidade exagerada de porteiros para servir.
Para que precisamos de auxiliares? Há pessoas mencionadas na Bíblia como "cooperadores", no entanto, sem evidência de se referir a um cargo. Eram pessoas que haviam prestado algum tipo de auxílio à alguém, em algum momento específico (Fp. 2:25; At. 20:35). Pode ser até o mes…

Cristo Está Morto! ...de Vergonha.

As Assembleias de Deus na Bahia foi construída sobre os ombros de homens e mulheres altruístas e dedicados que seguiam os conselhos bíblicos com a radicalidade exigida de quem, verdadeiramente, se converteu a Cristo. Foi desta forma que ela cresceu, se consolidou e tornou-se referência de conduta cristã e legítima representante do movimento pentecostal. Seu povo, ordeiro, decente e piedoso, nutria profundo respeito da população por serem responsáveis, honestos, humildes e fiéis.
Mas o crescimento trouxe consigo o desassossego de uma estrutura cada vez maior para suportar um organismo em expansão. A quantidade cada vez maior de congregações exigia mais esforços de sua liderança, pois, com uma administração centralizada, a mobilidade e os recursos passam a ser compartilhados para sustentar a própria estrutura administrativa. É essa estrutura administrativa que, no afã de conceder segurança futura aos seus ministros, fundam uma associação de pastores, conhecida como Convenção.
Órgão com ab…

CEADEB x ADESAL - É feio, muito feio!

Os desdobramentos do litígio entre o presidente da CEADEB e o presidente da ADESAL prossegue revitalizando as feridas causadas pelo rompimento do vínculo de alguns pastores de sua convenção (CEADEB).
No mais recente episódio, uma decisão judicial interlocutória - sem definição de mérito - tomada na ação que a CEADEB move contra a ADESAL, foi entendida como um ato de destituição do pastor Israel Ferreira do comando da Assembleia de Deus em Salvador. Sem querer entrar nas questões técnicas da decisão (deixo isto para os advogados e rábulas), a decisão não dá nada a ninguém, haja vista uma série de “condicionantes” expressos no comando judicial. Na verdade, a decisão da desembargadora é uma espécie de carta do apóstolo Paulo aos Coríntios na versão para os assembleanos baianos: “se entendam!”
Ato seguinte a decisão mencionada, o pastor Valdomiro Pereira distribui um vídeo para os obreiros assembleanos. Nele, informa (ou desinforma) a plateia que o pastor Israel Ferreira foi destituído do…