domingo, 4 de março de 2012

Zé Dirceu ou "Zé das borboletas" - Quem Fala Demais?

O ex-guerrilheiro fujão, "José Dirceu" (PT)
O ex-ministro chefe da Casa Civil no governo Lula, José Dirceupublicou texto em seu blog afirmando que os evangélicos pretendem impor à sociedade uma visão “preconceituosa e repressiva”, e “patrulhar todas as políticas públicas com relação às questões do aborto e da homossexualidade”.

Zé Dirceu, como é conhecido, está afastado da política após ter tido seu mandato cassado em 2005, por suas ligações com o esquema do mensalão. Mesmo com os direitos políticos suspensos até 2013, o ex-deputado e ex-ministro é um dos homens mais influentes dentro do Partido dos Trabalhadores ao lado de Gilberto Carvalho, posição conquistada durante a campanha que elegeu Lula como presidente em 2002.

Confira abaixo a íntegra do artigo “O desserviço que o preconceito impõe à democracia”, escrito pelo ex-ministro e deputado cassado José Dirceu (PT-SP):
"Temos que destacar e apoiar a posição do pré-candidato à prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad, quando denuncia o uso político dado à polêmica sobre o aborto, na eleição de 2010, e, recentemente, ao kit anti-homofobia, do Ministério da Educação, quando foi ministro da pasta.
Ele está certo quando taxou de “torpe” a forma como essas discussões foram encaminhadas e aproveitadas politicamente. De acordo com Haddad, o uso destes temas incentiva o preconceito e promove a violência.
“Isso não faz bem para o Brasil”, frisou ele. Haddad ressaltou que o kit anti-homofobia surgiu de uma demanda de emenda parlamentar. Ainda assim, devido às críticas da bancada evangélica contra a distribuição do material nas escolas, a iniciativa foi suspensa. Segundo o ex-ministro, no entanto, o kit foi usado em cursos de formação de professores.
Não podemos ficar na defensiva e no recuo frente à violência e à chantagem de certos setores evangélicos que querem interditar o debate sobre esses temas no país e patrulhar todas as políticas públicas com relação às questões do aborto e do homossexualidade. Esses grupos buscam impor ao Estado brasileiro uma visão preconceituosa e repressiva. Os que dão guarida a esse comportamento violento que introduz em nossa sociedade o ovo da serpente do preconceito e do racismo prestam um desserviço à democracia e à convivência social".

Comento:

O ex-ministro, que foi escurraçado por agir, como é de seu costume, fora da legalidade, gosta de voltar a mídia para proferir seus sentimentos em relação aos temas da moda. Como os evangélicos estão despontando no cenário político brasileiro como uma força capaz de mudar resultados de eleições, resolve agir apontando suas armas para este segmento da sociedade brasileira.

Há de se admirar a capacidade deste senhor em falar de "violência", "preconceito", "racismo", "desserviço a democracia", e outros termos que na boca de alguém íntegro seria de uma nobreza invejável. Porém, como se trata de "Zé Dirceu", é melhor esquecer, pois, o conceito que ele demonstrou ter desses termos ao longo da sua vida, os torna completamente distante de seus autênticos significados.

O problema do Zé Dirceu e outros integrantes deste embuste chamado PT - Partido dos Trabalhadores, é que eles aceitam o "debate" quando suas idéias prevalecem. Se encontram algum grupo mais eficiente na discussão, forçam a barra para impor restrições ao livre pensar. São pessoas que não gostam do contraditório. Aprenderam em suas escolas anárquicas que o povo não sabe pensar, e por isto, devem mentalizar, dizer e aceitar apenas o que o partido e seus comparsas pregam: posse do alheio, insignificância da vida, desapego a Lei e a ordem e o roubo de consciências.

Devem atentar, no entanto, para ao fato de que, o Brasil mudou. Não é aquele da época de ações bandidas, travestidas de ações guerrilheiras. Vários segmentos da sociedade brasileira, inclusive os evangélicos, não aceitam calados as falsas premissas divulgadas pelos poderosos sanguessugas da vez. Isto não cola, seu Zé Dirceu. Aprendemos a debater e a cada dia temos consciência de que o voto de um evangélico tem o mesmo peso de qualquer outro brasileiro, inclusive você.

E só para você tentar ponderar (deve ser difícil para um homem que se olha no espelho e não tem certeza de quem é). Não, seu Zé Dirceu. Os evangélicos não querem impor nada, como queriam os movimentos guerrilheiros que o senhor fez parte (trocar apenas de ditadura militar para ditadura comunista nos moldes de Cuba). Os evangélicos apenas divulgam sua mensagem, a mensagem de Cristo, e as pessoas tem o "direito" de escolher seguir ou não. Os evangélicos debatem no campo das idéias e da legalidade, campos que o senhor em sua pequenez mental não sabe o que é.

Somos cidadãos brasileiros com todos os direitos e deveres que isto represente, o que significa que merecemos o mesmo respeito que qualquer outro segmento da sociedade. Se quiser discutir, "sem preconceito com o segmento evangélicos", fique à vontade, senão, siga sua insanidade e nos veremos nas urnas.

Zé Dirceu me lembra "Zé das borboletas", aquele personagem de uma novela antiga, "O Bem Amado", do tempo em que novela era apenas para contar uma história através de personagens representados por brilhantes atores e atrizes, sem apelação sexual e sem ser baseado na loucura mística de autores desvairados.

A diferença é que o personagem Zé das borboletas não mudou de face, era gago e apanhava inocentes borboletas nas horas vagas, enquanto o "cumpade de Lula", Zé Dirceu, nem bem sabe quem realmente é, gosta de uma verborragia e, nas horas vagas, tenta impôr seus jeito singular de fazer política, manipulando consciências de fracos parlamentares e empresários com uma rede de dinheiro retirado do público (meu e seu bolso) para o privado (de parlamentares e do caixa do PT).

Zé Dirceu deveria ser "Zé das borboletas", pelo menos caçaria borboletas, não poderia falar muito e seria um "abestado", mas, íntegro servidor da sociedade brasileira. Entre integridade ingênua e sagacidade criminosa, fico com a primeira. Zé Dirceu, pelo que se vê, não faria a mesma escolha.

Nenhum comentário: