domingo, 13 de novembro de 2011

Quando o Bem do Outro Incomoda, é Porque Somos Maus.

A velha natureza se manifesta na satisfação do mau. O bem não é valorizado, nem perseguido, mas o mau é imitado, encorajado e entendido como normal. Somos atraídos e engodados pelo que é carnal, imersos em nós mesmos, enxergamos nossos conceitos e prazeres como padrão. Talvez seja esta a única justificativa para sentir alegria no mau que vem sobre o outro.

Prazer no mau visto na televisão, no assassinato brutal, na desgraça alheia, na pobreza, na miséria que joga na sarjeta o ser humano igual. Pior, quando chamamos o outro de "irmão". Nada tão incoerente e indecente do ponto de vista humano/cristão.

Vivemos uma sociedade permeada pelo mau, e este mau não se afastará, pois, enquanto perseguido e escorraçado pelo Poder divino na natureza e nas esferas espirituais, se abriga, escondido, em nossos corações.

Trevas!!! este é o resultado de corações que abrigam o mau.

Para resolver este problema ou dilema humano, Jesus Cristo nasce de mulher, realiza milagres, ministra seus ensinos, morre numa cruz, ressuscita ao terceiro dia e retorna à casa do Pai. Não satisfeito em seu desejo de bem querer ao outro, se compromete em deixar alguém, O consolador, que ao lado, fará companhia e afastará a solidão. Por fim, se compromete ainda em retornar para nos levar para desfrutar da terra que mana "leite e mel".

O sentimento que deve ser abrigado em nossos corações, é aquele que nutre o bem-estar do outro, caso contrário, Deus continuará tendo que fazer alguma coisa mais para nos mostrar o caminho e a essência do bem. Sua essência.

Luz!!! este é o ambiente do coração que abriga o bem.

Se mesmo depois de termos assumido compromisso com o Espírito Cristão, através da fé em Cristo, continuarmos sentindo prazer na miséria do outro, mesmo inimigo, estamos longe de Deus, distantes de Cristo.

Pense nisso.

Nenhum comentário: