segunda-feira, 28 de novembro de 2011

A Confusão na Assembleia de Deus em Capelinha - Peço Perdão...

(Peço paciência aos leitores deste blog, pois, começaria a discorrer sobre os sintomas de uma igreja doente a partir deste post, no entanto, fatos lamentáveis insistem em prosseguir na seara evangélica em Salvador, e preciso, diante de Deus, da sociedade, dos meus irmãos cristãos de outras denominações e da minha família, expor o texto que segue.

"Rasgo as minhas vestes, me cubro de saco e mergulho minha face no pó, reconhecendo minhas vergonhas e as vergonhas do meu povo").

Como é do conhecimento de todos, a Assembléia de Deus no Estado da Bahia, especialmente em Salvador e, específicamente em Capelinha de São Caetano vive dias terríveis. A luta travada entre dois grupos de pessoas pela posse do templo tem gerado toda espécie de agressões, gerando mortos (espirituais) e feridos por todos os lados.

De antemão, dirijo-me aos que estão na guerra: “entendo suas razões, mas, não compactuo com suas armas”.

Diante dos tristes atos praticados por pessoas que lidaram com a letra do cristianismo e esqueceram sua essência, inúmeras vítimas têm sido jogadas ao chão, dentre elas, a credibilidade do evangelho e a boa-fé dos sinceros.

Como integrantes da minha família estão diretamente envolvidos, sinto-me envergonhado, decepcionado e no dever de dirigir estas palavras às pessoas que se tornaram “amigas ou inimigas” nesta guerra carnal e extremamente escandalosa para o puro e eficaz evangelho de Jesus.

Como filho, pai, irmão e servo do Senhor, sinto-me na obrigação moral e espiritual de pedir perdão...

     Pedir perdão aos meus pais por não ter conseguido lhes dar um final de vida (87/77 anos) em paz e tranqüilidade, desfrutando de um ambiente espiritual sadio e mais próximos de Deus;

     Pedir perdão aos meus irmãos consangüíneos que, mesmo distantes do evangelho, estão desapontados e escandalizados com o nível de ódio e barbárie que se instalou entre os “irmãos em Cristo”, e agora, estão sendo empurrados para os braços de outras religiões ou, pior, para a incredulidade (rogo à Deus por vocês);

     Pedir perdão àqueles que foram agredidos por integrantes da minha família, indistintamente, quer seja por palavras ou por atos praticados;

     Pedir perdão às pessoas que se tornaram alvo da insanidade daqueles que deveriam utilizar as armas do amor para conquistar suas vitórias; insanidade que não consegue distinguir “amigos” de “inimigos” porque o ódio afetou sua visão;

     Pedir perdão aos que, afetados intimamente e espiritualmente por esta guerra insana, sentem a dor e a angústia da derrota imposta ao evangelho de Cristo nesta cidade. Neste particular, aos irmãos de outras denominações que com afinco e renúncia, exaltam o nome de Jesus com um portar digno de "filhos de Deus";

     Pedir perdão àqueles que durante anos contribuíram com seus dízimos e ofertas para construir um ambiente de culto a Deus e estão presenciando nestes últimos dias, a depredação do patrimônio adquirido e construído com tanto sacrifício;

     Pedir perdão aos vizinhos da Igreja em Capelinha por não ter podido dormir sossegadamente o tão sonhado sono digno do trabalhador, em razão do tumulto e das brigas protagonizadas nas últimas madrugadas por um povo inconseqüente e carnal;

     Pedir perdão aos soteropolitanos pela incoerência entre o discurso e a prática demonstrada por alguns dentre os evangélicos da Assembléia de Deus em Salvador, especialmente, no bairro da Capelinha de São Caetano, fazendo o Estado destinar seu aparelho policial para separar a briga entre “um” povo que “deveria” ser “especial, zeloso e de boas obras”;

     Ainda pedir perdão aos cidadãos desta cidade que invés de ouvir através da mídia a proclamação do evangelho, ouvem as notícias do “povo de Deus” nas páginas policiais, e se escandalizam...

     Pedir perdão àqueles que, mesmo em meio ao tumulto protagonizados pelos maus, só desejam servir e adorar a Deus em sua igreja;

     Pedir perdão aos policiais, delegados, magistrados e outros envolvidos na missão de apaziguar a luta, pelo trabalho dado por quem deveria servir de apoio e auxílio na luta de combate “ao mau”, utilizando o equilíbrio, o direito e o bom siso;

     Enfim, pedir perdão àqueles que se sentirão ofendidos pela minha atitude de pedir perdão.


E, finalmente, peço à Deus: Pai, perdoa-lhes por que não sabem o que fazem.

8 comentários:

Lúcio Candido disse...

Caro Eliel, saudações.
Entendo sua "revolta". Uma vez ouvi um pastor me dizer que na arca de Noé, haviam animais limpos e imundos. E tanto um quanto o outro cheiravam mal. O pastor me fez pensar... imagina o cheiro dos excrementos, da urina, dos restos de alimentos... e tantos dias sem poder tomar um banho. E quando alguém não realizava a tarefa que lhe era devida... todos sofriam igualmente! Quando um brigava com o outro e nem podia sair de dentro da arca para espairecer... mas vc preferia estar dentro ou fora da arca. Segundo esse pastr, igreja é a mesma coisa... se isso consola, não sei. Particularmente não tenho frequentado igreja alguma. Por esses e por outros motivos. Por alguns tenho até sido chamado de infiel, e por outros apenas de descrente. Há quem afirme que eu não me converti de verdade...
Enfim, essa "arca" chamada igreja tem lá seus dissabores. Mas quem vai ao leme garante dias melhores no final da jornada, apesar dos dissabores da viagem... mas cá entre nós; vc já sentiu de perto o cheiro do excremento dos elefantes? è horrível!
Forte abraço, amigo.

Eliel Barbosa disse...

Meu caro Lúcio,

É um prazer tê-lo conosco. Fico feliz em saber notícias tuas. Cristo deve ser, em todas as circuntâncias, nosso padrão de conduta e nosso salvador.
A situação é triste e constrangedora para nós cristãos. No entanto, a diferença com o exemplo que mencionastes é que, na época de Noé, os animais dentro da arca eram irracionais... Será que entraram de novo?!

Fique com Deus, irmão. Paz para toda a família.

Pr. Raimundo Campos disse...

Caro Eliel, sua visão dos fatos que envolvem a Capelinha, principalmente a questão de posse de bens da instituição, exposta em teu último comentário em meu blog, me inspirou a escrever uma matéria. Todavia, preciso de tua autorização para citar trechos de tua postagem. Quanto a esta postagem, compartilho do mesmo pensamento. Acredito que este pedido de perdão deveria partir de nossos líderes, tantos da Adesal, quanto da CEADEB. Nunca me esqueço da coragem de Jimmy Swaggart de aparecer publicamente e dizer: "pequei, me perdoem..." http://www.youtube.com/watch?v=ryMKKWGCgkE
Vale a pena conferir.

Lúcio Candido disse...

REspondendo à sua pergunta, por esse e outros motivos, tenho medo que a resposta seja sim, embora seja a mais provável. E como se diz em ciências; num evento complexo, contendo muitas possibilidades de respostas... crê-se que a mais simpes, possivelmente sejaa mais correta. Nesse caso, não temos muito a que apelar.

Eliel Barbosa disse...

Caro, Lúcio.

Infelizmente, é isso.

Paz.

Eliel Barbosa disse...

Meu caro Pr. Raimundo,

Para mim é uma honra ser citado por você. Agradeço à Deus por mesmo em meio as turbulências, estar sendo útil em alguma coisa.

Fique à vontade.

Em Cristo, Sua GRaça, sua Paz.

Missª. Hairan disse...

Oi,Primo!
Paz do Senhor!

Estas atitudes expressam a falta de temor ao Senhor e quando falta isto na vida do cristão este é atraído pelo pecado.Pecado não confessado,enfraquece a alma, fortalece o desejo pelo mal e acumula culpa diante da santidade de Deus.E quem peca torna-se escravo do diabo,quando não se arrepende a tempo,se humilha,confessa,pede perdão.A força do diabo na vida de alguém é o pecado.
Toda vez que o povo de Deus brincou com o pecado não levando a sério as Escrituras e desprezando a repreensão do Senhor foi envolvido em ondas de violência,de alguma forma.E tornou-se escravo de homens ímpios.
Nosso Deus não mudou.Tudo isto que está acontecendo com a Igreja Evangélica Assembléia de Deus é consequência de pecado não confessado, não corrijido,não repreendido,não punido,progressivamente aceito com naturalidade e que infectou o corpo quase todo...A casa se dividiu contra si mesmo!!!A mistura das trevas com a luz dá nisso.
Somente o surgimento do verdadeiro avivamento espiritual trará a solução porque chegará trazendo a mensagem de arrependimento para os crentes.
Clamemos como Daniel (Dn. 9:3-22),como Neemias (Nee. 1:4-11),como Habacuque (Hb. 3:2) porque Jesus Cristo é o mesmo em nossos dias(Heb. 13:8,9,13,20-22).

Aviva ,ó Senhor, a tua obra no Brasil !

abraços,
sua prima
Missª. Hairan

Eliel Barbosa disse...

Prezada Prima,

Fico grato pela sua participação aqui, dando seu parecer e ajudando-nos no desenvolvimento de nossa consciência espiritual.
Certamente que a profanação do sagrado traz consigo a justa e merecida "recompensa".
Deus, como pai amoroso, acompanha e sente a tristeza por ver seus filhos se distanciarem de seus conselhos. No entanto, como no post, cabe-nos o reconhecimento sincero do nosso estado e a busca pela misericórdia divina que está ao alcance de todos, indistintamente.

Abraços à todos.

Em Cristo, Sua Graça, Sua Paz.