terça-feira, 14 de outubro de 2014

Cristãos Atentos

Em um ambiente extremamente contaminado pela disputa eleitoral, se faz mais do que necessário que os cristãos tenham bom senso e visão crítica do quadro que temos atualmente no Brasil. É preciso analisar partindo do pressuposto, não de partidos políticos, mas, sim, dos princípios que regem a vida cristã.
 
Não queremos dizer com isso que nosso projeto é construir um país evangélico ou coisa parecida. O que dizemos é que nosso interesse maior está em torno das igualdades sociais e do respeito aos mandamentos divinos. Não adianta uma nação economicamente rica, tendo entre seus nativos pessoas sofrendo misérias, abandono e dores de todo tipo. O que desejamos é uma desenvolvimento nacional em bases sólidas. Sem temor a Deus é impossível alcançar isso, pois, o ser humano vai estar esperando apenas uma oportunidade para delinquir e fazer sofrer seu semelhante.
 
Pois bem. A primeira destaque que desejo expor é, os partidos que obtiveram dianteira na disputa política brasileira são partidos de esquerda. Normalmente, os partidos de esquerda são avessos as coisas ligadas a Deus. Apenas durante o período eleitoral é que eles se voltam para o ambiente religioso. E, mesmo assim, porque, hoje, os religiosos se constituem um segmento que, do ponto de vista eleitoral, não se pode ignorar.
 
O que vigora nesses dias, portanto, é a falsidade e a mentira direcionadas ao público cristão. O que os cristãos pensam sobre liberdade de expressão, aborto e casamento homossexual, especificamente?
 
Sobre liberdade de expressão.
 
Somos o segmento social mais criticado nesse país, e essas críticas são reiteradas diuturnamente sem que "ninguém" tenha, em algum momento, se solidarizasse conosco e condenasse as agressões. Mesmo assim, somos a favor que se mantenha nesse país o direito das pessoas se manifestarem em relação a tudo e a todos, com respeito, sem agressões ou estímulos a violência. Isto tem relação direta com nossa missão de pregar o evangelho a toda criatura.
 
E o que dizem os partidos que disputam a presidência da República?
 
Os da oposição mantem a posição de respeito a liberdade de expressão (talvez porque estão na oposição). O partido do governo fala em controle de conteúdo da mídia (no mínimo, censura prévia).
 
Sobre aborto.
 
Este assunto não pode ser abordado em poucas linhas, em razão da sua complexidade, o que gera divergência interna. Grupos cristãos a favor, contra e meio-termo. Porém, objetivamente, levando em consideração as maiores denominações, a posição cristã é contrária ao aborto em qualquer situação.
 
E o que dizem os partidos que disputam a presidência da República?
 
Tanto oposição quanto situação dizem preservar a questão do aborto nos termos atuais da legislação brasileira, ou seja, apenas para os casos de gravidez em decorrência de estupro, com risco a saúde da mulher ou da criança e em casos de anencéfalos. Isto significa que, no exercício do poder, este assunto não se tornará um programa de governo. No entanto, há de se verificar no Congresso Nacional que o partido do governo lidera os projetos de leis que sugerem a liberação do aborto no Brasil.
 
Sobre o casamento homossexual.
 
Consideramos a homossexualidade uma abominação diante de Deus. Isso não significa que é interesse dos cristãos, principalmente evangélicos, proibir as pessoas de optarem por relações desse tipo. Todos os seres humanos devem ser respeitados em suas decisões pessoais, contanto que essas decisões pessoais não impliquem em algum tipo de agressão ou dano para o outro. Dessa forma, somos contrários ao famigerado casamento homossexual, não concordando que a defesa dessa opção tenha que ser transformado em programa de governo, concedendo determinados privilégios para seus adeptos.
 
E o que dizem os partidos que disputam a presidência da República?
 
Tanto um como o outro são favoráveis ao casamento homossexual.
 
É o que temos.
 
Concluo.
 
Vale destacar que a importância das posições dos partidos em relação a estas questões se dá em razão da defesa que seus quadros, no Congresso Nacional, farão. Assim, é mais importanto para os cristãos a eleição de seus representantes como Deputados Federais, Estaduais e Senadores, do que da eleição do Presidente da República.
 
Repito. É mais importante que a eleição para Presidente. Isto não quer dizer que é irrelevante quem coloquemos no Palácio do Planalto. Politicamente falando, "o poder da caneta faz milagres".
 
Portanto, já tendo eleitos os representantes para o legislativo, é hora de elegermos o representante do povo para o Palácio. Que isso seja feito com responsabilidade, coerência e bom senso, olhando o Brasil como todo, e não, como briga de segmentos, ou seja, nós contra eles.

Nenhum comentário: