terça-feira, 26 de novembro de 2013

Não me Interessa Quem Governa o Brasil. Meu Voto Não os Autoriza Corromper Nem Serem Corrompidos.

Já estimulei outros a votarem e já votei no PT, no Lula, no Pinheiro (alguém aí se lembra dele? Cadê o nobre Senador cristão?) e, depois do que fizeram e fazem no poder, não há possibilidade de continuar acreditando em mentiras. Quem outrora apontou os trezentos picaretas, agora, se integra a turma.
 
Se aliaram com gente da época da ditadura, se coligaram com gente condenada por desvio de dinheiro, se abraçaram com políticos coronéis, adotaram as mesmas práticas que antes condenavam.
 
Privilegiaram os feudos econômicos (os bancos continuam com lucros exorbitantes), cooptaram sindicatos de trabalhadores, protegem e amparam governos ditatoriais, dão cobertura a escravidão moderna imposta a médicos cubanos (o dinheiro destinado aos médicos é entregue ao governo cubano), gastam uma fortuna com estádios de futebol e deixam hospitais, presídios, mobilidade urbana e coisas afins submetidos a escassez de recursos e a corrupção.
 
Propõem no Congresso a aprovação do aborto, a proteção e projeção do homossexualismo, a liberação das drogas, e quando encontram resistência política para suas propostas, ou compram as consciências ou tentam aprová-las tripudiando da democracia.
 
Eles revelaram quem realmente são (arrogantes, prepotentes, manipuladores, oportunistas e miniaturas de ditadores), e comprovam que a batalha que travaram na época da ditadura não era para implantar a democracia no Brasil, era apenas para mudar o tipo de ditadura. A tão propagada defesa do proletariado se mostrou, no governo do PT, uma falácia. Na verdade o que queriam era mudar de posição na escala social (Será que Lula continua pobre?). Realmente são adeptos da "ditadura do proletariado" - leia-se: Eles mesmos. Quando essa turma fala de "trabalhadores", falam deles mesmos! Agora podemos ler claramente.
 
Não sou petista como nunca fui partidário de nenhum outro grupo político. Sou brasileiro e, consciente de minha responsabilidade como cidadão deste país, torço para que minha nação seja justa, humana e decente, não para um partido político que usa o aparelhamento do Estado para, através da corrupção, comprar consciências e manter-se a qualquer preço no poder.
 
Acreditava na mensagem ética do PT. Fui enganado com o discurso farisáico. Seria um imbecil se permanecesse acreditando nessa turma depois de tantos casos de desvio de conduta (Rose Noronha quem é? Os ministros envolvidos em corrupção onde estão? Há muitos outros casos para citar. Não tenho espaço).
 
Destaque-se. A desculpa de que sempre se roubou no país, de que os outros partidos também são assim e que essas mazelas é resultado de anos de malfeitos não interessa mais! Essas desculpas ja deram. Cansou!
 
Quero que as autoridades de minha nação tenham vergonha na cara e me respeitem.
 
Não me interessa quem ou qual o partido governa o Brasil. O meu voto não os autoriza corromper nem serem corrompidos, mesmo que seja para cuidar do povo (do seu povo). É meu dever, nosso dever, votar acreditando que aquele(a) candidato(a) zelará pelos interesses da nação. No entanto, se desviarem-se deste ideal, nós temos o dever moral de retirá-los de lá e, provado desvio de conduta no exercício funcional, devem integrar o "Partido da Papuda".
 
A Papuda foi construída para abrigar "inocentes" culpados e políticos cara-de-pau adeptos do "rouba-mais-faz". Gente como José Genoíno, José Dirceu e Delúbio Soares.

Nenhum comentário: