sábado, 7 de julho de 2012

Quando Me Decepciono Com Deus, Preciso de Um Milagre.

Quando me decepciono com Deus, minha alma se contorce em dores, meu ser se desestabiliza e tento enxergar a esperança. Mas ela foge, e assim me faz ver que se torna companheira apenas dos que confiam n’Ele.

Quando me decepciono com Deus, minha mente arde em dúvidas por causa dos questionamentos que ninguém consegue responder e, por isto, aflito, minha alma se perturba de dia e de noite.

Quando me decepciono com Deus, as benesses oferecidas aos outros e negadas a mim são esfregadas em minha face, estimulando minha incredulidade e meu esfriamento espiritual.

Quando me decepciono com Deus, me sinto um idiota que confiou e se deu mal, me sinto um escrupuloso imbecil que deveria ter seguido a correnteza, e não, remado contra a maré.

Quando me decepciono com Deus, desisto de andar com Ele, e sem andar com Ele, não se anda com mais ninguém. Eu fico só.

Quando me dececpiono com Deus, paro de ouvir profetas, deixo de enxergar milagreiros, fico insensível ao marketing sem produto dos que se travestem de... deus.

Quando me decepciono com Deus, vivo a vida, nu e cru, sem muletas, andadores ou qualquer outra coisa que possa me amparar. Pela vida apenas passo empurrado pela turba, torcendo para não cair, pois, se caio, sou pisoteado e motivo de escárnio.

Quando me decepciono com Deus, fico no vácuo... não me arrebento no chão, nem alcanço as alturas. Vivo a instabilidade de quem sabe, que em algum tempo, o ar me será tirado e eu despencarei... (Esse é um bom momento para Deus fazer um milagre, erguendo-me às alturas.)

Quando me decepciono com Deus, as respostas religiosas e tradicionais não me servem... Os pecados, que desventuradamente pratico, não são justificativas para meu isolamento e perdição. Sua graça e sua verdade afirmam seu conhecimento sobre mim e o quanto necessito de seu perdão e sua compaixão em todo tempo. “Isso é dom de Deus, não vem das obras para que ninguém se glorie”.

Quando me decepciono com Deus, a minha alma fica presa no abismo da desilusão, do desapontamento, onde as propagandas dos milagres passados não servem, as promessas de bênçãos futuras não servem, as orações não servem, a comparação com pessoas em circunstâncias piores que a minha não serve, ameaças ou conselhos não servem...

Quando me decepciono com Deus, somente Deus pode resolver...

...fazendo, Ele mesmo, um “milagre” pra mim.

2 comentários:

Anônimo disse...

Olá Eliel!

Esse texto descreve exatamente o que se passa em minha vida. Certa vez, tive uma decepção com Deus e, desde então, me tornei uma pessoa incrédula e racional até demais.

Confiei e esperei no senhor, no entanto a realidade foi favorecida a uma pessoa de conduta duvidosa. Isso me pertubou tanto que me afastei dos caminhos.

Conheço a palavra e sei as inúmeras respostas que podem me dar. Pode acreditar já pensei em todas as respostas possíveis ao meu caso e não chego a uma conclusão satisfatória.

Também não me acho melhor que ninguém, mas não consigo entender o que me aconteceu, pois tal situação não foi para minha edificação e, assim, para o afastamento dos caminhos de Deus.

Disseram até que foi obra bem arquitetada pelo inimigo, mas porque isso foi permitido? Confiei no sr. esperei por ele e tinha muita fé nisso, mas não foi como esperei.

Chego a pensar que Deus nunca se importou comigo, ou que cometi algum pecado sem perdão sem que tivesse conhecimento.

Estou desiludida e não consigo ter mais fé como antes.

Eliel Barbosa disse...

Minha cara irmã,

Sei do que se passa em sua mente e coração, pois, quando escrevi este texto, estava enfrentando as mesmas angústias. Parece que este tipo de situação não é nova. Há relato semelhante no Salmos 73.

Na verdade, querida, em algum momento da vida somos obrigados a colocar os pés no chão e perceber que a vida cristã não é só vitória. São momentos de frustração, decepção e, quase sempre, arrependimento por ter acreditado em Deus e se esforçado esse tempo todo em viver de acordo com sua vontade, sem perceber êxito decorrente. Racionalmente cobramos Deus do outro lado do "balcão". Nosso raciocínio é básico: "Se fizemos nossas aparentes obras de justiça, Deus devería priorizar nossa vida em detrimento de todos os outros ou, de alguns deles, e nos "abençoar" mais do que a eles.

Como você diz, as respostas tradicionais não conseguem atender os anseios de sua alma. Sei que você fala com sinceridade e isso é bom. Nosso Deus não quer lidar com mascarados, ele quer lidar com gente sincera, de peito aberto (Lembre-se do exemplo de Jó).

Hoje, consigo viver minha vida cristã de forma mais realista. Não digo que há milagre onde apenas houve indução ou que haja vitória onde as derrotas são visíveis e doloridas. Mas, ainda estou aprendendo a confiar em Deus nas circunstâncias adversas.

Estes momentos que você vive contribuirão para seu crescimento e amadurecimento. Só lhe faço um pedido: "Não desista!"

Vai continuar sendo difícil, e você precisará empenhar sua pouca força em crê. Se você persistir em crer, as coisas vão melhorar aos poucos. Se agora as circunstâncias zombam da sua fé, em breve, terás o louvor de Deus pela sua perseverança em meio a aflição.

Na caminhada cristã, o mais importante não é entrar na estrada, é sim, chegar no final. E quando você chegar no final, olharás e verás o milagre realizado.

Vá com calma, devagar, mas vá...

Chegaremos juntos!

Fique firme.

Que o Espírito Santo a anime e renove suas forças.

Em Cristo,

Eliel Barbosa