sexta-feira, 6 de julho de 2012

Gente Que Se Engasga Com Um Mosquito e Continua Engolindo Camelos.

Condutores cegos! que coais um mosquito e engolis um camelo” (Mt. 23:24).



Num discurso inflamado contra os escribas e fariseus, Jesus discorre toda sua indignação contra aquelas pessoas que, se fazendo filhos de Deus, eram apenas cumpridores dos dogmas humanos de uma religiosidade cruel, desumana. O Mestre relaciona no texto uma série de características que apontam para uma vida distante de Deus e de sua graça.

Como líderes e formadores de opinião, os escribas e fariseus deveriam ser um exemplo de compaixão, misericórdia, bondade e amor altruísta. No entanto, o Senhor os vê como um grupo de pessoas insensíveis, materialistas, avarentos, corporativistas, orgulhosos e falsos. Em tese, deveriam ser mais compreensivos em relação às bênçãos recebidas como consequência da graça, misericórdia e compaixão divinas, porém, se comportam de forma oposta no trato com os outros e com Deus.

Jesus, dentre outras coisas, os identifica como “condutores cegos”. Eles não conseguem ver a realidade moral, social e, muito menos, espiritual de suas atitudes e comportamentos. Não conseguem enxergar almas aflitas, desiludidas, sofridas e sedentas de Deus e de seu alívio. Pelo contrário, impõem sobre as pessoas mais obrigações e, consequentemente, mais dores, imaginando ser o preço que “os outros” devem pagar para obterem as tão sonhadas bênçãos de Deus.

Estavam cegos, perdidos no caminho, sem encontrar a saída, ainda que a saída estivesse diante de seus olhos. Eles, cauterizados por seu status quo, perderam a sensibilidade característica daquelas vidas que “ainda ouvem Deus,” e incorporaram um radicalismo ferrenho na defesa de suas benesses e de sua autoridade religiosa.

Por causa desses homens, o povo de Deus se tornou apenas mais uma religião, semelhante às pagãs. O viver com Deus se tornou apenas o cumprimento de um imenso rol de ritos e ordenanças praticados a todo custo, produzindo vidas atormentadas e oprimidas. Não havia qualquer preocupação dos escribas e fariseus com o interior do “copo” (Mt. 23:25), contanto que o exterior estivesse bonito, consideravam ser esse o padrão de Deus. Enganados e enganosos.

Jesus os desmascara. Suas atitudes eram de quem tinham perdido completamente o contato e o relacionamento com aquele que é Senhor da vida, o Grande em misericórdia, compaixão e bondade. Eram religiosos, e como tal, representavam bem a religião, não, Deus.

A igreja atual, sem generalizar, comporta “espertos” disfarçados de representantes do Senhor. Conforme a lista de Jesus, sentam na cadeira de Moisés (e como brigam para sentar nela), falam bem, mas, praticam o mal; convocam o pobre para “votos financeiros” pesados (tudo, ou R$ 900,00 (...), ou valor correspondente ao aluguel da casa onde mora – o cara mora de aluguel!!!), mas os fanfarrões transitam em carros luxuosos, importados e possuem, não raro, diversas casas espalhadas por todo canto (porque não as vendem e trazem o preço para Deus os abençoar???).

Ah! Eles gostam dos primeiros lugares e de saudação nas praças (ou nos palácios governamentais); suportam conchavos políticos, utilizando o povo de Deus como moeda de troca, além de aceitarem conviver com pecados públicos e, por isto, escandalosos, deles e de pessoas que nem deveriam ter saído ainda do banco do discipulado. Jesus estava certo! Jesus está certo! “Condutores cegos! Se engasgam com um mosquito, engolem camelos”, e por verem o crescimento de suas próprias barrigas, imaginam que Deus os está fazendo prosperar.

Escribas! Torço que a graça divina, esquecida nos titulos e cargos que conquistastes, se manifeste e mude vosso coração e vossa visão, dando-lhe condições de guiar efetiva e adequadamente o povo de Deus.

Fariseus! Torço que as escamas de seus olhos se desprendam, caiam, e enxergues o dom gratuito de Deus que deve ser desfrutado e oferecido aos outros, também.

Antes que seja tarde demais... Pra vocês.

3 comentários:

Lúcio Candido disse...

Dizer algumas coisas as vezes é um dilema... porque de óbvios parecemos brilhantes!
GRande texto, que coloca às claras infeliz verdade.
Que Deus tenha misericórdia de nós, para não cairmos, em algum momento, nesse mesmo proceder.
Forte abraço, irmão.

Ivony Simioni disse...

É Mateus 23;24 que esta escrita essa passagem, o livro de Mateus só tem 28 capítulos.

Eliel Barbosa disse...

Obrigado Ivoni Simioni,

Você tem toda razão. Cometi estes erros materiais que irei corrigir. Se trata do texto em Mt. 23:24 e 25.

Fico-lhe muito grato.

Em detectanto outros erros, agradeço-lhe sua cooperação.

Graça e Paz.