quinta-feira, 24 de março de 2011

A Família e a Igreja

A Igreja é coluna e firmeza da verdade. Sua importância é tão grande que podemos fazer alusão as palavras de Jacó: “E temeu, e disse: Quão terrível é este lugar! Este não é outro lugar senão a casa de Deus; e esta é a porta dos céus” (Gn. 28:17).

Sendo, a família, coluna máter da sociedade, é preciso entender e manter a relação entre essas duas colunas principais da existência humana. Por esta razão, o conselho de Deus à Noé:

Gn. 7:1 – “Depois disse o Senhor a Noé: Entra tu e toda a tua casa na arca, porque tenho visto que és justo diante de mim nesta geração”.

A obediência de Noé resultou na salvação de sua família.

Hb. 11:7 – “Pela fé Noé, divinamente avisado das coisas que ainda não se viam, temeu e, para salvação da sua família, preparou a arca, pela qual condenou o mundo, e foi feito herdeiro da justiça que é segundo a fé”.

A salvaguarda da arca de Noé, nos tempos de hoje, está representada no sacrifício do Senhor Jesus em nosso favor e, como a promessa feita à Abraão (Gn. 12:3), estendida às famílias da terra. Eis a importância de conduzirmos nossas famílias dentro do contexto de uma igreja local.

Pv. 31:21 – “Não teme a neve na sua casa, porque toda a sua família está vestida de escarlata”.

A relação entre a Igreja e a Família está delineada na Bíblia Sagrada. Por isso, devemos atentar para os conselhos práticos definidos para esta relação:

2 Rs. 8:2 – “E levantou-se a mulher, e fez conforme a palavra do homem de Deus; porque foi ela com a sua família, e peregrinou na terra dos filisteus sete anos”.

Ø  Seguir os conselhos do homem de Deus (...do "homem de Deus").

Gn. 35:2 – “Então disse Jacó à sua família, e a todos os que com ele estavam: Tirai os deuses estranhos, que há no meio de vós, e purificai-vos, e mudai as vossas vestes”.

Ø  Tirar os deuses estranhos e purificar as vestes.

1 Tm. 5:4 – “Mas, se alguma viúva tiver filhos, ou netos, aprendam primeiro a exercer piedade para com a sua própria família, e a recompensar seus pais; porque isto é bom e agradável diante de Deus”.

Ø  As viúvas aprendam a exercer a piedade em casa.

Ø  Os filhos aprendam a recompensar seus pais.

1 Tm. 5:8 – “Mas, se alguém não tem cuidado dos seus, e principalmente dos da sua família, negou a fé, e é pior do que o infiel”.

Ø  Os cristãos devem ter cuidado primeiro, com os seus.

Ex. 12:4 – “Mas se a família for pequena para um cordeiro, então tome um só com seu vizinho perto de sua casa, conforme o número das almas; cada um conforme ao seu comer, fareis a conta conforme ao cordeiro”.

Ø  Quando sobra, devem aprender a compartilhar.

Sl. 96:7 – “Dai ao Senhor, ó famílias dos povos, dai ao Senhor glória e força”.

Ø  Por fim, a família deve comparecer diante de Deus, na Igreja, a fim de prestar sua adoração ao Senhor.

Eis, portanto, a íntima relação entre família e igreja, ressaltando que, invariavelmente, nosso comportamento na igreja é reflexo daquilo que aprendemos e fazemos em nossas próprias casas.

Que este comportamento, então, seja honroso ao Senhor dos céus e da terra.

Nenhum comentário: