domingo, 14 de junho de 2015

Podemos Chantagear Deus?

Chantagear - Força empregada, seja de riqueza ou atitudes, com objetivo de exigir alguma coisa em troca, que a despeito de querer ou não, o chantageado seja obrigado a entregar.

Entregamos o dízimo. Aliás, na maioria das mensagens evangélicas, somos obrigados a entregar, sob pena de sermos perseguidos pelo migrador, devorador, cortador, destruidor . Enviado por quem? por Deus! (que terror!). Assim, Deus, também, é obrigado a nos abençoar, pois, no mesmo texto que diz "tragam os dízimos à casa do tesouro", diz, "depois, me provem, se Eu (Deus) não abrir as janelas dos céus, derramando sobre vocês bençãos sem medida".

Servimos na Casa do Senhor. "Sede firmes e constantes sempre abundantes na obra do Senhor, sabendo que o vosso trabalho, tem uma recompensa." Na casa de Deus (Igreja), somos reconhecidos com cargos cada vez mais altos, mais altos e mais altos, além de fama cada vez maiores, e maiores e maiores. A casa é de Deus. Como trabalho nela, temos por recompensa, o reconhecimento através da ocupação dos primeiros e principais assentos.

O adoramos com canções, executando os dons que Ele nos deu. Dito isto, o Senhor tem obrigação de providenciar as oportunidades, que me devem ser cativas, para adorá-lo. Toda reunião em que estiver presente (eu... e o Senhor), quem vai ter oportunidade, não sei. A do "adorador" tem que estar preservada (se não, tem bico, zanga, conflito). Em primeira instância, Deus é o responsável, pois, se não lhe derem oportunidade (ao adorador), é porque o Senhor não lhe permite executar seus dotes (ou, dons). Logo, vai embora e desiste por causa, em última instância, de Deus.

Ajudamos o pobre e necessitado. "Quem dá ao pobre, empresta à Deus". A lógica nos remete a "exigir" de Deus que pague o que deve, afinal, a Bíblia recomenda que sejamos bons pagadores (Pv. 6:1-4). Não vai ficar bem o bom nome do Senhor na cadastro de inadimplentes.

Os exemplos são intermináveis. O resumo é: "Ou Deus faz, ou faz". Não há alternativas. Se são dois lados de uma mesma moeda (ação e reação, causa e efeito, trabalho e pagamento, atuação e recompensa), e cumprimos com o lado que nos diz respeito, cabe à Deus, fazer valer o outro lado. Em razão daquilo que fazemos, Deus não tem escolha.

Isaías 64:6 - "Somos como o impuro — todos nós! Todos os nossos atos de justiça são como trapo imundo. Murchamos como folhas, e como o vento as nossas iniquidades nos levam para longe."

Jó 41 - 42:6 (42:2): "Eu reconheço que para ti nada é impossível e que nenhum dos teus planos pode ser impedido."

Que tal olhar todas estas coisas como oportunidades que Deus nos concede para melhorarmos como seres humanos e adoradores?

Para quem acredita que pode chantagear Deus, "Sabe de nada, inocente!"

Nenhum comentário: