segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Sabedoria, Gera Enfado. Conhecimento, Aumenta a Dor.

 
"E apliquei o meu coração a conhecer a sabedoria e a conhecer os desvarios e as loucuras, e vim a saber que também isto era aflição de espírito. Porque na muita sabedoria há muito enfado; e o que aumenta em conhecimento, aumenta em dor" (Eclesiastes 1:17-18).
 
Lí certa vez um artigo escrito por uma Juíza que trazia como título: "Deveria ser proibido ler." Estranhei uma colocação que atestava a manutenção da ignorância.
 
Atraído pelo título tão insensato, mergulhei no texto para ler e procurar entender as razões de um conselho tão incoerente. Percebi que, com muita propriedade, dizia que a leitura nos conduz a novos horizontes e nos desafia a pensar.
 
O problema, apontado por ela, é que construímos uma sociedade tão afastada do bom senso que, a proporção que melhoramos nossa compreensão da vida e das coisas, através de uma boa leitura, nos deparamos com o imenso abismo entre o ideal e o real.
 
O mundo ideal é diferente, melhor e superior ao que se vê nos dias atuais.
 
Quando lemos, nossa mente nos leva a contemplação de um ideal imaginário que encontra como maior oposição o mundo real. Isto causa-nos um choque e muitas frustrações que, por vezes, faz-nos enxergar a triste realidade: "construímos uma sociedade que nos destrói.E o pior. Nos engessamos no espaço que nos é reservado e nos acomodamos com a dor. Ao contrário da indignação, levantamos as mãos para os céus e damos graças a Deus como que reconhecendo: "Está bom!"
 
Damos graças a Deus como se Deus fosse o responsável final por nossa acomodação, nossa sujeição paciente às contrariedades da vida. Sim, naquilo que não podemos mudar. Não, naquilo que podemos mudar, como por exemplo, a forma de gerir os recursos e os serviços públicos.
 
Sentimos falta de laser, de saúde, de segurança, de moradia, de educação, mas, estamos vivendo... sobrevivendo, numa sociedade em que apenas alguns privilegiados vivem desfrutando do que a vida pode oferecer. Uma boa leitura nos mostra que isto está errado.
 
Mas, o que fazer? Numa sociedade democrática, mudar isto através do voto. Na democracia, a ditadura é da maioria. Portanto, a maioria acredita que está bom e que, no futuro, todos estarão desfrutando do que a vida pode oferecer. Nos esquecemos que o futuro será sempre no futuro, ou seja, é apenas aquilo que está além da nossa existência.
 
O passado é lembrança, o futuro, esperança, o presente é minha vida.
 
No contexto social em que estamos inseridos, "quem espera, nunca alcança". E como dizia o compositor Geraldo Vandré (Pra não dizer que não falei das flores): "...quem sabe faz a hora, não espera acontecer."
 
Quem lê, pensa. Quem pensa, se depara com o enorme fosso social que continuamos mergulhados. Por isto, concordo com a Magistrada: "deveria ser proibido ler".
 

Nenhum comentário: