terça-feira, 21 de agosto de 2012

Se É Pra Continuar do Jeito Que Está, Pra Quê Mudar?

Considerando os líderes expoentes do Cristianismo no Brasil que, seguindo os passos dos poderosos da nação, trilham o mesmo caminho da vaidade, do farisaísmo e do narcisismo;

Considerando a mídia em poder dos evangélicos, o evangelho e a forma como Ele é propagado através dela;

Considerando as guerras pelo poder e "disputa pelo mercado" entre instituições religiosas cristãs;

Considerando a perpetuação do poder nas mãos dos poucos que se consideram os "únicos" chamados por Deus para o exercício da liderança institucional;

Considerando o "fatiamento" das regiões, como reserva de mercado para "monarquias religiosas", que não tem a mínima vergonha de seu nepotismo cristão;

Considerando a letargia dos líderes cristãos atuais, cansados do próprio tédio e da falta de inspiração;

Considerando a superficialidade do povo cristão, fruto de uma obediência cega a lideranças personalistas e afastadas da Bíblia;

Considerando a nova idolatria, que eleva a condição de semi-deuses pregadores e cantores cristãos afamados, objeto de adoração, veneração e sacrifícios;

Considerando os políticos cristãos que, a exceção do termo "cristãos", são iguais aos outros no que diz respeito a sangria dos recursos públicos, imoralidade funcional e aos conchavos políticos para os quais, invariavelmente, arrastam os líderes cristãos;

Considerando o caráter belicoso e maledicente dos que atualmente se auto-denominam cristãos, elegendo e alimentando inimigos, condenando o que não pensa igual, implacavelmente, ao fogo e a condenação eterna;

Considerando a utilização dos recursos financeiros, constituídos por dízimos e ofertas, para construção e manutenção de uma "elite cristã" apegada ao luxo, ao conforto, a fazenda, ao gado, aos aviões, as casas na praia, as roupas de griffe e as reuniões em restaurantes da moda, em detrimento da palhoça, da tenda, dos pés descalços e da fome das viúvas e dos órfãos;

e, finalmente, que me perdoe os líderes e evangélicos honestos e sinceros, mas, considerando..., considerando..., considerando...

DEUS NOS LIVRE DE UM BRASIL EVANGÉLICO!!!

Não se deve fazer uma troca quando o substituto não acrescenta melhoria ao que está posto pois, se é pra continuar do jeito que está, pra quê mudar? Nosso problema principal é saber à quem obedecer, para poder escolher à quem seguir e saber em quem votar.

Nenhum comentário: