segunda-feira, 22 de novembro de 2010

QUEM TEM OUVIDO, OUÇA O QUE OS HOMENS DIZEM ÀS IGREJAS

Desde que Cristo retornou ao céu, concedeu aos homens a missão de anunciar aos outros as boas novas do seu nascimento, morte e ressurreição. Enquanto estava entre nós tivemos a oportunidade de ouvi-lo e, desta forma, termos o conhecimento da verdade (Jo. 14:6). Quando retornou aos céus, anunciou que seria enviado o Espírito Santo, e “Ele vos guiará em toda verdade; porque não falará de si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido, e vos anunciará o que há de vir” (Jo. 16:13).

Os textos de João 16 e Atos 1, nos direciona para a realidade do vínculo entre o que pregamos e a mensagem do Espírito Santo. Os discípulos deviam ficar em Jerusalém até que recebessem as virtudes do Espírito Santo. No texto de Atos capítulo primeiro, virtude significa disposição constante do Espírito que nos induz a anunciar o evangelho. Deus concede aos homens a presença do Espírito Santo no seu interior, a fim de capacitá-los a repercutir o testemunho do próprio Espírito Santo. Ele, o Espírito Santo, “não falará de si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido...” Observe que o Espírito Santo está vindo do céu, e manifestará tudo que ouviu no lugar de onde está vindo, céu.

Sendo assim, a mensagem evangélica deve ter a clareza dos interesses divinos como seu pano de fundo. Nós, homens e mulheres que dizemos proclamar o evangelho de Jesus Cristo, devemos nos ater aos propósitos divinos se quisermos ser autênticas testemunhas da sua graça, poder e amor.

O senso comum diz que qualquer pessoa que deseja ouvir a Palavra de Deus deve freqüentar uma igreja. Qualquer igreja - falam alguns. Com isto, as igrejas se enchem de pessoas que almejam ouvir “palavras ouvidas no céu”. Desejam ouvir mensagens do trono de Deus. Querem saciar a sede de suas almas com os inefáveis conselhos de Deus.

Quando no ambiente eclesial, terá uma enorme “sorte” aquele que tiver a sua frente um pregador que se mantenha no anúncio dos sábios conselhos de Deus, haja vista que, o pano de fundo das mensagens atuais deixou de ser o reino de Deus, para ser o reino da terra. Não é por isto que as pregações atuais estão voltadas apenas para as curas físicas e não espirituais, revelações de coisas terrenas e não celestiais, e visões de terror humano e não da glória eterna? O que se ouve são as dolorosas mensagens motivadas por ganhos materiais e honras humanas, fazendo as pessoas acreditarem que Deus está falando mesmo quando Ele deseja ficar calado.

Dois resultados são visíveis: 1º, organizações religiosas distanciadas de Cristo, manipulando pessoas, espalhando dogmas humanos amparados em suas próprias tradições, disseminando a insensibilidade social e a incredulidade espiritual. 2º, pessoas acostumadas com a rotina religiosa, travestidos de “deus”, ignoram a Bíblia, julgam, perseguem, criticam e condenam todos aqueles que não se parecem com eles. Não respeitam as diferenças, e na primeira discordância de seus pontos de vista, agem com ódio característico de fundamentalistas suicidas, apenas motivados pela frustração de não ter conseguido transformar o outro em sua imagem e semelhança.

Todavia, apesar do quadro caótico atual, graças a Deus, ainda há homens sensíveis a voz do Espírito Santo ocupando tribunas de igrejas (o problema é achá-los). Garimpando, encontramos homens chamados por Deus para ser-lhes Suas testemunhas. E estes homens é que nos motivam a continuar indo a “casa de Deus”, a fim de ouvir mensagens e louvores que enlevam nossa alma e renovam nossa fé.

Que os bons pastores não se escondam. Nós precisamos de vocês! Sabemos que vocês estão por aí, relegados a segundo plano porque não sabem pular, gritar, marchar e rodopiar. Vocês não sabem emocionar as multidões; vocês não sabem dizer aquilo que as pessoas querem ouvir, e sim, o que Deus quer que elas ouçam; vocês não conhecem e nem utilizam os métodos modernos de manipulação das massas. Vocês só sabem pregar mensagens que chamam ao arrependimento, a humilhação, a obediência ao senhorio de Cristo, a aceitação de seu plano salvífico, a contentarem-se com a graça divina e observarem seu amor. Ora! As massas não querem ouvi-los.

Mas, tem quem queira!

Os que têm sede de Deus, os que esperam em Cristo, e os que receberam o Espírito Santo, anseiam por ouvi-los. Venham com vossos cântaros e deixem cair em nossa língua um pouco desta água. “Ó Deus, tu és o meu Deus, de madrugada te buscarei; a minha alma tem sede de ti; a minha carne te deseja muito em uma terra seca e cansada, onde não há água” (Sl 63:1).

A melhor imagem bíblica que se compara as igrejas atuais (organizações religiosas), é a vinha onde foi plantado trigo e joio. Separar é difícil. O que fazer? LEIA A BÍBLIA, e a partir daí, “quem tem ouvidos, ouça o que o “ESPÍRITO” diz às igrejas” (Ap. 3:6), depois, “ouçam o que os homens dizem às igrejas” e escolham a quem seguir, Deus ou baal.

Nenhum comentário: