quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

Não Espere Um Novo Ano Melhor... Faça Um Ano Novo Melhor.

A mudança de um ano para outro é apenas troca de calendário.

A vida segue como sempre, com suas dificuldades, suas discriminações, suas injustiças e suas classes sociais que diferem uns dos outros estando todos no mesmo balaio.

Diz que a democracia é o sistema que oferece oportunidades para todos. Verdade. O problema é quem chegou primeiro na superfície e absorve todas as condições, inclusive excedentes, que permitiria que outros chegassem também. Em sua insensibilidade não permitem o outro, ou "não estão nem aí" para quem passa pela vida experimentando apenas a parte ruim da existência.

No imaginário geral, o ano se vai... vai nada! Está aí, aqui, onde sempre esteve.

O dia 01 de janeiro de 2017 será igualzinho ao outro que ficou marcado no calendário como 2016, sendo seguido pelas outras datas do mesmo jeitinho. E a gente segue dentro, acreditando que tudo mudou ou mudará como no calendário. Ilusão.

Nada muda, se a gente não muda. Observem. É fácil entender a retórica, difícil é mudar.

A gente está vivo! Olha, chegamos em 2017 e estamos vivos! Vejam quantos não chegaram, quantos ficaram para trás. Soltem os fogos! Acendam as luzes da fantasia! A vidinha vai continuar...

Continuar do mesmo jeitinho, apesar das promessas e das profetadas que diz estar você abençoado e que 2017 será um ano de vitórias! Mas, não foi isso que disseram quando o calendário apontou o final de 2015? E como você viveu 2016? Vitórias apenas na mente e no coração enquanto a vida lhe morde o calcanhar e lhe fura os pés?

Porque nos vendem ilusão? Porque é mais fácil dizer que você será abençoado por Deus do que meter a mão na cumbuca com você. É mais fácil e cômodo desejar que Deus lhe dê um "feliz 2017" do que enxergar os sofrimentos que você enfrentou em 2016 e ir contigo lutar para interromper, pelo menos, parte de suas dores (Salve, salve as exceções).

Desde a Roma antiga que pão e circo é a melhor forma de governar. Distribui as migalhas e oferece circo para a maioria se contentar e "ser feliz" com o pouco que desfruta. E ano se vai... Vai nada! Janeiro é hoje... Luz, água, supermercado, escola, IPVA, IPTU, IRPF, aluguel, gasolina, telefones, roupas, remédio, médico... E o dinheiro? Onde está o dinheiro? O "gato" comeu e ninguém viu. E em fevereiro? Ah! Em fevereiro tem carnaval, tem carnaval, tem um fusca e um violão... No Brasil de sempre, para a maioria, o fusca está com motor fundido e o violão sem cordas.

Não dá. Viver assim perdeu a graça. Por isso, tento despertar. A mudança de um ano para outro é apenas troca de calendário. Rasguem o calendário!

Invés de esperar por um novo ano que não existe, rompamos com a mesmice que nos acomoda e mãos a obra para mudar. Olhe a sua volta... Jogue as tralhas e as traças no lixo, ouse se indignar e agir para melhorar sua vida e a vida do outro.

Onde está o outro?

Está logo aí... do seu lado... na frente... passou por trás... está sentado no banco da frente, do lado, de trás na igreja. Está aí na festa... sorriso largo nos lábios e dores no coração. E você também não percebe porque seu próprio sorriso é fruto da imaginação. Você também é o outro!

Cristo nos ensinou que quando estendo a mão para melhorar a vida do outro, melhoro a minha ("Quando fizeste a um desses pequeninos, à mim me fizeste" - Mt. 25:35). Isto, sim, não é ilusão. É necessidade na realidade.

E então? O ano novo é aqui e agora! Vamos mudar?

Nenhum comentário: