terça-feira, 4 de agosto de 2015

Os Dez Piores Países Para Ser Cristão


Coréia do Norte


Na Coréia do Norte as religiões são proibidas. Milhares de cristãos estão presos no país, e muitos foram torturados e executados. Religiosos que se encontram secretamente correm o risco de serem presos. Em 2011, por exemplo, Pyongyang reclamou muito de uma árvore de Natal de 30 metros colocada sobre uma colina na Coreia do Sul, que podia ser vista do território norte-coreano. O regime acusou o Sul de tentar espalhar a religião entre os norte-coreanos.

Somália

O Islamismo é a religião oficial do país e a conversão para outra religião é um ato ilegal. O Al Shabab, grupo terrorista, almeja impor na Somália um sistema de governo doutrinado por uma interpretação radical da sharia, o rígido controle de leis islâmicas. O grupo islâmico quer "livrar" a Somália de todos os cristãos. As pessoas suspeitas de seguir a fé são susceptíveis a serem mortas. Como consequência, muitos cristãos se encontram em segredo no país.

Iraque

Depois da queda do governo de Saddam Hussein, muitos cristãos fugiram do Iraque já que a perseguição ao cristianismo só tendia a aumentar. Como o Estado islâmico assumiu o controle de grande parte do país, os cristãos e outras minorias foram forçados a se converter, pagar um imposto punitivo ou ser morto. Estima-se que 100.000 pessoas fugiram de suas casas em Mosul, uma cidade em uma região de maioria cristã no norte do Iraque.

Síria

Desde o começo da guerra civil, em 2011, estima-se que 700.000 cristãos fugiram da Síria. Assim como no Iraque, seguidores do cristianismo são perseguidos e muitas vezes raptados, mortos ou feridos no país.

Afeganistão

No Afeganistão o cristianismo é visto como uma religião ocidental e os poucos cristãos que existem devem manter sua fé em segredo ou arriscar sofrer atos cruéis como rejeição familiar e até mesmo execução. No país não há igrejas e os religiosos mantêm a prática cristã em segredo.

Sudão

No Sudão, pessoas que param de seguir o islamismo e passam para outra religião podem ser punidas com morte. Existem relatos de que o governo já chegou a atacar cristãos com bombardeios direcionados. O país também tem leis de blasfêmia que serviram para justificar a prisão de muitos cristãos.

Irã

O Islamismo é a religião oficial no Irã, isso significa que qualquer cidadão que se converta ao cristianismo é considerado apóstata. Armênios e assírios que vivem no Irã estão autorizados a praticar o cristianismo, mas muitas vezes são tratados como cidadãos de segunda classe. Igrejas são monitoradas e constantemente invadidas pelo governo. Pelo menos 75 cristãos foram presos no Irã no ano passado.

Paquistão

Um dos países mais conservadores do mundo - bebidas alcoólicas são proibidas, mulheres só saem na rua se cobertas por véus e o governo censura novelas e filmes - trata, frequentemente, os cristãos como cidadãos de segunda classe. Mulheres e crianças cristãs podem ser alvo de abuso sexual, leis de blasfêmia são abusadas para atacar seguidores e as igrejas são monitoradas e, por vezes atacadas.

Eritreia

Os cristãos são considerados uma ameaça para a Frente Popular pela Democracia e Justiça, o partido político que controla o país. Muitos tiveram suas casas atacadas ou foram torturados, espancados e presos. Há relatos de que alguns tenham sido mantidos em containers de navios em condições desumanas.

Nigéria

Desde que o grupo terrorista Boko Haram ganhou destaque na mídia, milhares de cristãos foram sequestrados ou mortos. No norte do país, os cristãos são tratados como cidadãos de segunda classe. Segundo relatos, crianças cristãs não são autorizadas a frequentar a escola e aldeias cristãs têm água limpa e acesso aos cuidados de saúde negados pelo governo.

Matéria da Veja online (08/2015)

Oremos por nossos irmãos.

Nenhum comentário: