sábado, 27 de setembro de 2014

É MENTIRA!

É MENTIRA que os cristãos querem IMPOR sua visão de mundo e suas crenças aos brasileiros, através de leis do tipo "pode e não pode".
 
Se há uma coisa que os cristãos tem consciência é o fato de que o evangelho não pode ser recebido por IMPOSIÇÃO, como uma OBRIGAÇÃO. Nem Deus, com seu poder, soberania e legitimidade, nos obriga a aceitar e cumprir suas leis. A conversão aos princípios do evangelho se dá pela fé e de forma voluntária.
 
É MENTIRA que os cristãos são homofóbicos.

O fato de defendermos que a Bíblia informa ser, o homossexualismo, uma abominação contra Deus, não significa que odiamos os homossexuais e queremos destruí-los. Se é Deus quem considera a homossexualidade um desvio da normalidade, Ele, no tempo certo, tratará desta questão com os envolvidos. Apesar disto, a Palavra de Deus, ao contrário do pensamento ignorante de alguns, defende que cada cidadão tem o direito de fazer o que quiser em sua vida privada, contanto que não agrida o direito dos outros.
 
É MENTIRA que Pastor determina o voto dos cristãos.

Durante todos esses anos de convivência no meio cristão, nunca presenciei imposição de voto para A, B ou qualquer outro candidato. Pelo contrário. O que se defende é a consciência dos princípios cristãos para um voto cidadão consciente. Porém, é verdade que um bom líder tem influência sobre o público cristão. No entanto, sua arma de influência é uma vida coerente e argumentos bíblicos convincentes.


É MENTIRA que "cristão vota em cristão".

Cristão vota em candidatos que lhe inspire confiança, transpire honestidade e demonstre integridade. Além disto, é importante para este segmento que o candidato se comprometa com a não agressão aos princípios bíblicos inegociáveis. Se for cristão, melhor.


É MENTIRA que o cristão é "obrigado" a dar dízimos e ofertas.

Dízimos e ofertas constam na Bíblia como meio de contribuição voluntária da comunidade dos cristãos. Não é imposição. É capacidade crítica de reconhecer que as despesas decorrentes das reuniões que participamos devem ser compartilhadas pelos que delas participam. É usufruir do bônus, assumindo o ônus.


É MENTIRA que todo dinheiro doado na Igreja vai para o bolso do pastor.

A comunidade cristã tem demandas que prescinde de recursos financeiros para suprir. Luz, água, telefone, deslocamentos, construção de prédios, conservação de imóveis, ajuda aos mais carentes, aos drogados e as demais vítimas de uma sociedade hedonista irresponsável. Como se faz sem recursos? O princípio da cooperação igualitária é o fundamento de sustentação das igrejas. É verdade que dentre as despesas há ajuda de custo (prebenta, salário, como queiram)  para pastores que vivem exclusivamente em função do trabalho religioso. Ou eles devem trabalhar diuturnamente no sacerdócio e morrer junto com sua família progressivamente?


É MENTIRA que todo pastor desvia o dinheiro da igreja em seu benefício.

A maioria dos pastores são íntegros e vivem no limite de suas necessidades pessoais e familiares, em razão de sua luta na condução de um povo que se inclinou para Deus.


É VERDADE...
 
Vamos continuar pregando boas novas de salvação, condenando o pecado, anunciando o retorno de Jesus e alertando sobre o "dia da prestação" de contas perante Deus.

Isto, sem dúvidas.

2 comentários:

Leci Souza disse...

Parabenizo Você por mais um texto que nos instiga à reflexão e também pelo espaço para transmitirmos o nosso ponto de vista.
Concordo com a sua tese. Porém, o ponto que pretendo focar é "O que se defende é a consciência dos princípios cristãos para um voto cidadão consciente".
Daí por que, na minha concepção e de acordo com o que aprendi(segundo a Bíblia), tanto nós, eleitores e candidatos evangélicos, quanto os cristãos de modo geral, devemos VOTAR nos candidatos que prezam esses princípios.

Eliel Barbosa disse...

Com certeza, querida Leci. É por esta razão que tento estimular nosso povo a pensar criteriosamente. Quanto mais formos conscientes, menos enganados seremos pelos candidatos fariseus de plantão.