quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Mais Um Escândalo na República

Lula recebe proteção para abafar revelações

Governo age no Congresso para minimizar denúncias da relação entre ex-presidente e a ex-chefe de gabinete Rosemary Noronha
 
PF revela que algumas ligações foram feitas pelo ex-presidente para o escritório da Presidência em São Paulo / Victor Moriyama/FolhapressPF revela que algumas ligações foram feitas pelo ex-presidente para o escritório da Presidência em São PauloVictor Moriyama/Folhapress Constrangido, o governo tenta minimizar - com ações principalmente no Congresso - a relação entre o ex-presidente Lula e a ex-chefe de gabinete da presidência em São Paulo, Rosemary Noronha, indiciada na Operação Porto Seguro.





Líderes de oposição revelaram ao Metro que foram procurados por emissários de Lula na tentativa de negociar uma forma de preservá-lo das investigações. “Tentam impor uma lei do silêncio sobre o assunto”, revelou um líder, sob a condição do anonimato.

Os oposicionistas resistem, alertam que não vão se intimidar na tentativa de blindagem e vão insistir no pedido de depoimento assim que conseguirem reunir mais informações. “Vamos reunir o maior número de informações possíveis antes de convidá-lo para depor”, afirmou o deputado Carlos Sampaio (PSDB-SP).

Em outra frente, o Palácio do Planalto determinou que o ministro da Justiça, José Eduardo Cardoso, atue como ‘bombeiro’ da crise, inclusive atuando para evitar o vazamento de informações por agentes da Polícia Federal insatisfeitos com a falta de negociação de reajuste salarial.

Oficialmente, a PF nega a existência de 122 conversas telefônicas entre Lula e Rose interceptadas. Admite, porém, que “algumas ligações” foram feitas pelo ex-presidente para o escritório da Presidência em São Paulo.

Comento:

E os escândalos se sucedem, tendo como agente motivador dos desvios, o antigo partido paladino da ética. Agora se demonstra a verdadeira ética em que acreditam: o uso do Estado Brasileiro em benefício próprio e do seu projeto de domínio eterno.

Fica claro que essa gente não pensa na gente, pensa, como sempre pensou, neles mesmos.

Nenhum comentário: