E Tiririca Não Será Mais Candidato. Ufa!

Muito se fala sobre a decisão do então deputado Tiririca em não concorrer mais a qualquer cargo político. Levando em consideração sua atuação na vida parlamentar, o resultado de seu mandato é "zero". No entanto, ele considera o fato de ser assíduo no parlamento como testemunho da qualidade de seu mandato. Para alguém que tem a responsabilidade de legislar e fiscalizar as ações governamentais, é muito pouco achar que assiduidade no parlamento é suficiente para se considerar um bom deputado. Assiduidade é dever.

No "suposto" discurso de despedida, informa a platéia que está decepcionado com a atuação de "alguns" colegas parlamentares; diz ainda que jamais falará mal deles em qualquer lugar e que, se Lula for candidato, votará nele. Lembrado sobre os processos e a condenação que pesa sobre Lula, ainda assim, mesmo considerando que é complicado "esse negócio de processo", votará em Lula, porque fez muito pelo povo.

Parece que esqueceu. 

Em sua campanha eleitoral de 2010, ele perguntava aos eleitores: "o que é que faz um deputado federal? Na realidade, eu não sei, mas vote em mim que eu te conto." Bom, pelo que se vê, esqueceu que assumiu o compromisso de "contar o que um deputado federal faz". Pesa mais para ele ser leal aos seus pares, mesmo decepcionado com o que eles fazem, do que com o "povo" que ele diz se importar.

Rouba, mas faz? tanto faz.

Quando alega que votará em Lula, apesar de ser um condenado como corrupto, demonstra apenas que não têm a menor ideia de princípios que deve ser base de qualquer candidato à vida pública. Mas, "Lula melhorou a vida da gente". É a versão parlamentar do "rouba, mas faz" tão criticada alhures pelo próprio "povo".

Vai, mas a conta fica.

Enfim, Tiririca "provavelmente" (quem confia?) sairá da vida pública da mesma forma como entrou. Nulidade total. Porém, sua atuação nula gerou despesas para o "povo" da ordem de R$ 2.208.000,00 (...), só de salário líquido nos últimos oito anos (duas legislaturas), considerando sua informação de receber, R$ 23.000,00 líquidos, e deixando de lado os demais gastos ligados ao seu finado mandato.

Omisso?

No parlamento brasileiro de nossos dias só há dois tipos de pecadores: os que agem na defesa de um sistema corrupto que lhe beneficia e os que fecham os olhos e se omitem quanto a responsabilidade de condenar e agir em defesa da coisa pública e da idoneidade  ética e moral. Pelo visto, Tiririca vai se manter fiel ao grupo dos omissos (até prova em contrário) mesmo depois de abandonar a vida pública.

Nossa vida não é um picadeiro.

A eleição de um candidato como Tiririca, com todo respeito, já foi um desserviço a nação. Como ele, há tantos outros que deveriam sair. Mas, brasileiro é tão determinado que não desistirá de seu desejo de acabar com os frutos pobres da política, destruindo a árvore da democracia. Na fila já há como pré-candidatos, apresentadores de televisão, ex-jogadores de futebol, bailarinas, cantores e cantoras, filhinhos de políticos profissionais, e outros menos qualificados para a tamanha responsabilidade de construir um país e fazê-lo nação.

É por esta razão que brasileiro não pode reclamar de tudo que sofre. Só colhe o que planta. Feliz 2018!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Porteiro, Auxiliar, Diácono, Presbítero, Evangelista, Pastor. E Mais. Missionária, Bispo, Apóstolo. O Que é Tudo Isso?

Quatro Pilares Para Uma Família Feliz

QUANDO É HORA DE MUDAR DE IGREJA