Pular para o conteúdo principal

Recado aos Maus Juízes: Malditos, Malditos, Malditos Sejam

Por VILMA GRYZINSKI (Veja.com)

Já que não dá para dizer outra coisa aos que escarnecem o povo com interpretação perversa das leis e direitos só para os que 'pensam como nós'

O venezuelano nu diante da força do Estado mostrou o desespero de um país que chegou a uma situação extrema.

Hans Wuerich que, há duas semanas, tirou a roupa para mostrar os sinais das balas de borracha no corpo magro, virou um símbolo e um aviso: chega uma hora em que não dá mais para aguentar.

É um recado que não tem fronteiras, a mensagem sem palavras dos que são tripudiados por aqueles a quem deveriam representar e defender. Os eleitos pelo voto, os concursados, os nomeados, os togados.

Os que sabem falar bem, emitir opiniões e interpretar leis, mas pervertem suas obrigações funcionais, morais, profissionais e humanas.

Os que, evidentemente, soltam condenados pela justiça porque um julgamento em primeira instância não vale nada. Desde que os julgados sejam aqueles a quem desejam proteger, sob a capa negra dos argumentos falsificados de defesa do estado de direito.

A interpretação perversa das leis e a defesa dos direitos universais apenas aos que “pensam como nós” não é exclusiva dos togados e dos eleitos. Organizações não-governamentais e profissionais que têm o dever de informar incorrem nas mesmas deformações.

Alguns exemplos recentes, ocorridos no Brasil, da mesma forma que poderiam ter acontecido em outros lugares do mundo, desde que as liberdades democráticas permitam estes abusos.

Devido a assaltos contra empresas de transporte de valores, com roubo dos armamentos pesados, vem sendo sugerido que a solução seria desarmar estas empresas. Ou seja, depois da cassação do direito à legítima defesa dos cidadão comuns, a proposta é tirar as armas das empresas que permitem o dinheiro aparecer nos caixas eletrónicos e os celulares, entre outros produtos valorizados, chegarem às mão dos contribuintes desprotegidos.

Antes, evidentemente, que criminosos armados os levem e as vítimas ainda precisem agradecer a providência divina, na falta da humana, por não terem levado um tiro no processo.

Além de usar armas pesadas, mesmo que isso faça parte intrínseca de sua função, as empresas de segurança também parecem cometer o pecado imperdoável de ser empresas. Utilizam armamentos, representam o capitalismo e provavelmente merecem ser eliminadas da face da terra, é o raciocínio implícito.

Seus funcionários, expostos a alto risco e alvejados por criminosos, não são lembrados nem uma única vez. Merecem morrer mesmo, é , mais uma vez, o raciocínio implícito. O mesmo aplicado aos policiais que “agridem estudante”.

Tomara que o estudante se recupere, que retorne à vida, à família e aos estudos. Mas qual é a parte da constituição brasileira que garante a manifestantes o direito de cobrir o rosto?
Tomara que o policial que o feriu, se comprovado o abuso, seja tratado como prescreve a lei. E tomara que os estudantes que gritavam “abuso de poder”, repetindo idiotices provavelmente ouvidas de professores idiotas, algum dia entendam que a expressão certa não é “abuso de poder”.

E os “imigrantes estrangeiros agredidos” pela “extrema direita” em São Paulo? Além do pleonasmo, os absurdos lógicos são escandalosos: os policiais presentes e as primeiras instâncias jurídicas consideraram que os “imigrantes estrangeiros” jogaram uma bomba na “extrema direita”, resultando numa “confusão”, a palavra preferida pelos espíritos mornos.

Mas só os “imigrantes estrangeiros” foram presos, reclamaram os informadores. O que levaria à seguinte situação: se um cidadão conseguir reagir a um assalto e ferir um criminoso, contrariando todos os conselhos dos especialistas que culpam as vítimas quando esboçam algum sinal de inconformidade, ambos devem ser presos.

Principalmente se o cidadão for de “extrema direita”. Esta, se fizer manifestações, estará sempre incorrendo em crimes inomináveis. Se for do outro lado do espectro político, em compensação, será “manifestante”, “estudante” ou até “participante”. De extrema esquerda, jamais.

E por que será que a “extrema direita” começa a atrair simpatizantes? O desamparo e a revolta dos cidadãos abandonados por todos, principalmente os que sabem falar bem, teriam algo a ver com isso?

Togados e não-togados entendem as consequências de seus atos? Percebem que o venezuelano nu diante do poder do Estado pode ser um sinal de coisas que estão por vir? Entendem a voz dos que os maldizem?

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Porteiro, Auxiliar, Diácono, Presbítero, Evangelista, Pastor. E Mais. Missionária, Bispo, Apóstolo. O Que é Tudo Isso?

De repente, somos sobressaltados com a notícia: "Mais algumas dezenas, e até centenas, de novos obreiros para servir no Reino de Deus". A notícia seria boa, se guardasse a essência dos requisitos bíblicos exigidos para novos obreiros e preservassem o propósito divino na separação de novos chamados.
Para que precisamos de porteiros? Óbvio. Para guardar as portas. Porteiro era considerado Levita, desenvolvia, também, a tarefa de arrecadador de ofertas (2 Cr. 31:14) e vigia (Mc. 13:34); Jesus menciona o porteiro como responsável pela guarda da porta do aprisco das ovelhas (Jo. 10:3; ver também Ed. 7:24). É improdutivo, uma igreja de porta única, com uma quantidade exagerada de porteiros para servir.
Para que precisamos de auxiliares? Há pessoas mencionadas na Bíblia como "cooperadores", no entanto, sem evidência de se referir a um cargo. Eram pessoas que haviam prestado algum tipo de auxílio à alguém, em algum momento específico (Fp. 2:25; At. 20:35). Pode ser até o mes…

CEADEB x ADESAL - É feio, muito feio!

Os desdobramentos do litígio entre o presidente da CEADEB e o presidente da ADESAL prossegue revitalizando as feridas causadas pelo rompimento do vínculo de alguns pastores de sua convenção (CEADEB).
No mais recente episódio, uma decisão judicial interlocutória - sem definição de mérito - tomada na ação que a CEADEB move contra a ADESAL, foi entendida como um ato de destituição do pastor Israel Ferreira do comando da Assembleia de Deus em Salvador. Sem querer entrar nas questões técnicas da decisão (deixo isto para os advogados e rábulas), a decisão não dá nada a ninguém, haja vista uma série de “condicionantes” expressos no comando judicial. Na verdade, a decisão da desembargadora é uma espécie de carta do apóstolo Paulo aos Coríntios na versão para os assembleanos baianos: “se entendam!”
Ato seguinte a decisão mencionada, o pastor Valdomiro Pereira distribui um vídeo para os obreiros assembleanos. Nele, informa (ou desinforma) a plateia que o pastor Israel Ferreira foi destituído do…

QUANDO É HORA DE MUDAR DE IGREJA

Igreja, genuinamente falando, é aquele lugar onde se reúne um grupo de seguidores de Cristo com objetivo de adorar a Deus, receber ensinamentos, evangelizar e ajudar uns aos outros (At. 2:40-47). Foi com esta clara missão em mente que o apóstolo Paulo informa-nos que Deus colocou à nossa disposição os dons espirituais, a fim de edificarmos uns aos outros e estarmos aparelhados para proclamação do evangelho. Tiago esclarece outro ponto principal da igreja, dizendo que a verdadeira religião é cuidar das viúvas e dos órfãos nas suas necessidades. Por fim, as características da igreja primitiva que a tornou marcante, referência de igreja bíblica, foi que eles tinham tudo em comum e ninguém sentia falta de nada, eram solidários no partir do pão, desfrutavam da comunhão e comungavam da doutrina dos apóstolos, esta, por sua vez, Cristocêntrica.

No domingo passado fui à igreja com minha família e contei. Numa rua com, aproximadamente, quinhentos (500) metros de comprimento, cerca de treze (13…