No Casamento, Aprendam a Engolir Elefantes

É desafiador a relação conjugal, na qual, duas pessoas com características diferentes, algumas delas, inclusive, antagônicas, devem conviver uma com a outra e, ao mesmo tempo, buscar a comunhão e interação como um só ser.

Não há fórmulas mágicas que concedam aos casais as ferramentas ou caminhos que firmemente os conduzam à este nobre objetivo. Como, então, superar as manias, gostos, visão de mundo e os mais variados quereres distintos de cada um? Como vencer os turbilhões emocionais advindos das divergências?

Vou falar por enigma.

Não é um elefante que destrói um casamento e, sim, uma nuvem de mosquitos.

Elefante = Grandes problemas. Exs.: doenças graves de um dos cônjuges, dificuldades financeiras extremas e infidelidade conjugal. Em casos como esses se revelará o caráter de cada um.

Mosquitos = Problemas insignificantes. Exs.: tolha molhada em cima da cama, dormiu até mais tarde e palavras "mal ditas". Aqui se demonstrará a imaturidade ou maturidade de cada um.

Quer uma casamento duradouro? Não permita que as inquietações e insatisfações dos mosquitos se avolumem na sua mente e coração. E se realmente quiser obter sucesso conjugal, "aprenda engolir elefante, pois, quem engole elefante não se engasga com mosquitos."

Fique bem.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Porteiro, Auxiliar, Diácono, Presbítero, Evangelista, Pastor. E Mais. Missionária, Bispo, Apóstolo. O Que é Tudo Isso?

Quatro Pilares Para Uma Família Feliz

QUANDO É HORA DE MUDAR DE IGREJA