quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

No Casamento, Aprendam a Engolir Elefantes

É desafiador a relação conjugal, na qual, duas pessoas com características diferentes, algumas delas, inclusive, antagônicas, devem conviver uma com a outra e, ao mesmo tempo, buscar a comunhão e interação como um só ser.

Não há fórmulas mágicas que concedam aos casais as ferramentas ou caminhos que firmemente os conduzam à este nobre objetivo. Como, então, superar as manias, gostos, visão de mundo e os mais variados quereres distintos de cada um? Como vencer os turbilhões emocionais advindos das divergências?

Vou falar por enigma.

Não é um elefante que destrói um casamento e, sim, uma nuvem de mosquitos.

Elefante = Grandes problemas. Exs.: doenças graves de um dos cônjuges, dificuldades financeiras extremas e infidelidade conjugal. Em casos como esses se revelará o caráter de cada um.

Mosquitos = Problemas insignificantes. Exs.: tolha molhada em cima da cama, dormiu até mais tarde e palavras "mal ditas". Aqui se demonstrará a imaturidade ou maturidade de cada um.

Quer uma casamento duradouro? Não permita que as inquietações e insatisfações dos mosquitos se avolumem na sua mente e coração. E se realmente quiser obter sucesso conjugal, "aprenda engolir elefante, pois, quem engole elefante não se engasga com mosquitos."

Fique bem.

Nenhum comentário: